Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Presidente da Santur promete Centro de Eventos pronto até julho

Terça, 4/2/2020 15:05.
Renata Rutes Henning.
Participantes da reunião.

Publicidade

O edital para as empresas interessadas em gerenciar o Centro de Eventos de Balneário Camboriú foi lançado no último dia 31. Para tirar dúvidas e debater com o trade turístico, a presidente da Santur, Flávia Didomenico, esteve na cidade na manhã desta terça-feira (4), a convite do Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

O Página 3 informou na segunda-feira (3) que o edital possui uma “caixa preta milionária” que pode abrir espaço para favorecimento e corrupção. Flávia citou a matéria na reunião, mas não apontou quais seriam as ‘informações erradas’ citadas pelo jornal, apenas chamando o conteúdo de ‘medíocre’, afirmando que ‘não precisam de mídia negativa’.

A presidente da Santur disse que o momento é ‘emblemático’ e que desde que assumiu o cargo na Santur enfrentou ‘um batalhão de desafios’, incluindo o Centro de Eventos de Balneário, e que apesar de ser um processo muito ‘emperrado’ finalmente a situação está sendo resolvida.

Ela disse que apesar do trade e da imprensa apontarem que há demora para a entrega do Centro de Eventos, tudo está ‘o mais acelerado possível’, afirmando ainda que o Governo do Estado também deseja abrir o local o quanto antes, já que com ele fechado ‘estamos deixando de ganhar dinheiro’.

A presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro, Bares, Restaurantes e Similares de Balneário Camboriú e Região (Sechobar), Olga Ferreira, citou a questão da lista de eventos já pré-agendados para o Centro de Eventos, lembrando as feiras que devem acontecer e opinando que não concorda com elas, tendo apoio de alguns membros do trade, que disseram que elas podem servir como concorrência ao comércio da cidade.

“Não sabemos quem vai gerir. Estamos esperando o Centro de Eventos há mais de 25 anos. Qual vai ser a nossa participação? Queremos nos apropriar, ele é nosso”, questionou.

Flávia respondeu que esse momento é de ‘desatar os nós’ e que as feiras ‘não vão ser camelôs’.

“O equipamento (Centro de Eventos) é comercial e estratégico. Queremos eventos internacionais. O governo irá transferir tudo para a empresa que vencer e é ela que vai definir os preços dos eventos. O Estado não irá interferir, isso é mercado. Nem sempre vocês vão gostar do que vai acontecer. O nosso papel agora é fazer dar certo e é urgente passar para a iniciativa privada, o governo não quer o Centro de Eventos”, salientou.

Prazos

Flávia apresentou uma ‘agenda’ dos próximos acontecimentos referente ao Centro de Eventos. Segundo ela, até 31 de março é o prazo limite para as empresas interessadas apresentarem suas propostas. O Governo do Estado terá 15 dias para verificar os documentos. O anúncio da vencedora deve ser feito até maio e até fim de junho o contrato será assinado, com a expectativa de que em julho o Centro de Eventos já esteja funcionando.

Se houver algum problema judicial, a presidente disse que a Santur assumirá provisoriamente a gestão para que os eventos já agendados para julho e agosto aconteçam conforme o estabelecido.

Opiniões
O Página 3 escutou a opinião de pessoas presentes à reunião, confira:

Valdir Walendowsky, secretário de Turismo de Balneário Camboriú – “A prefeitura tem a maior expectativa para a inauguração, a gente está torcendo que abra o quanto antes. É a intenção maior de todos. Tem toda uma agenda de grandes eventos marcados para julho, agosto, setembro, outubro, novembro; e outros grandes eventos que querem vir para Balneário Camboriú. Ou seja, o quanto antes abrir, melhor para todos, não só para Balneário Camboriú, como para Santa Catarina também. Vai para a iniciativa privada a gestão e aí será uma relação de comércio, não haverá interferência do governo com relação a preço. É uma licitação que é aberta a empresas que tem a condição e valores para que possa ser a melhor possível na gestão. Queremos que abra logo esse Centro de Eventos, é isso que estamos torcendo”.

Osny Maciel Junior, presidente do Comtur – “Eu vejo que essa reunião foi muito positiva porque desde novembro a gente vem pleiteando agendas, montamos uma comissão, a Santur prontamente nos atendeu, colocou pessoas que ficavam durante esses meses conversando com a gente, passando as tratativas. A vinda da Flávia foi muito positiva também, ela assumiu um compromisso com a cidade. Ela nos deu os prazos a serem cumpridos e se eles forem cumpridos o Centro de Eventos estará aberto até julho. Mas também foram colocadas algumas situações que podem acontecer, que não será culpa do governo, como a impugnação de algum candidato que não ficou satisfeito, mas a Santur também assumiu que assumiria o Centro de Eventos para esses eventos que estão programados a partir de julho.”

Ana Maria Alves dos Santos, presidente do Balneário Camboriú Convention & Visitors Bureau – “Pode acontecer algum entrave, é normal, a gente até espera que pode acontecer, mas tem que acreditar que vai abrir até julho. Se perdermos essa esperança então vai ficar mais complicado. A gente precisa abrir e eu quero acreditar que vai dar certo. Nós precisamos nos empoderar do turismo, precisamos nos assumir. Temos problemas de infraestrutura e não podemos continuar desse jeito, temos que evoluir nesse sentido, resolver esses problemas que nós temos, porque o turista precisa ter experiências positivas, ele vai disseminando a má experiência por onde ele vai. Santa Catarina tem um potencial gigante, natureza, equipamentos... que é invejável para outros Estados. Temos que assumir que somos um Estado fantástico, atraindo grandes empreendimentos e marcas internacionais, nossos aeroportos. Acredito que o de Navegantes em breve passará pela esperada reestruturação completa. As coisas vão acontecendo, o que não é legal é a coisa negativa, a ideia de sempre querer minar o outro. Temos que eliminar isso, focar no positivismo e bola pra frente, vamos trabalhar”.

Margot Rosenbrock Libório, vice presidente do BC Convention – “Esperamos que realmente abra em julho, que o processo de concessão tenha êxito. A gente ficou muito feliz porque o Governo do Estado tinha se comprometido a lançar o edital até o final de janeiro e no dia 31 foi lançado. Isso, na verdade, é uma situação simples, mas que começa a gerar confiança do que nos é repassado. Esse equipamento nunca foi tão importante para Balneário Camboriú e para o turismo da cidade como ele é nesse ano, um ano difícil. 2019 não foi um ano fácil, a temporada 2020 é uma temporada que a gente não pode dizer nesse momento que ela é ruim, mas ela não é uma temporada que ‘estourou’. Sempre esperamos e trabalhamos para ter uma temporada excelente, mas a crise na Argentina foi muito forte. O mercado vai entrando no ano de 2020 mais sensível, e o turismo gera emprego, gera renda, movimenta muito a economia da cidade. Quando esse setor fica extremamente sensível não é positivo nem para Balneário, para a região Costa Verde & Mar. Santa Catarina inteira está assim. Não foi fácil pra ninguém. Ou seja, o Centro de Eventos não poderia vir em uma hora melhor. Vai equilibrar. Imagina em um futuro próximo pelo menos três eventos mensais, já vão equilibrar muito a questão da demanda”.

Olga Ferreira, presidente do Sechobar – “Nós estávamos muito desinformados, nada era falado claramente. Eu acho que alguma coisa foi falada, mas não tudo. A gente ainda não sabe como é que realmente vai ser toda essa gestão, vamos ter que aguardar. Eu acredito que a sociedade civil organizada tem força para mudar, para exigir. Eles deram prazo, isso tudo está registrado, eu acho que temos como cobrar. Se até julho realmente não acontecer aí nós vamos ter que realmente ir e cobrar, mas cobrar com vontade, porque eu acho que está muito blábláblá. Eu vou acreditar que realmente vai acontecer a abertura, mas se não acontecer teremos que nos posicionar para defender o nosso município e o Centro de Eventos, que também é nosso”.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Renata Rutes Henning.
Participantes da reunião.
Participantes da reunião.

Presidente da Santur promete Centro de Eventos pronto até julho

Publicidade

Terça, 4/2/2020 15:05.

O edital para as empresas interessadas em gerenciar o Centro de Eventos de Balneário Camboriú foi lançado no último dia 31. Para tirar dúvidas e debater com o trade turístico, a presidente da Santur, Flávia Didomenico, esteve na cidade na manhã desta terça-feira (4), a convite do Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

O Página 3 informou na segunda-feira (3) que o edital possui uma “caixa preta milionária” que pode abrir espaço para favorecimento e corrupção. Flávia citou a matéria na reunião, mas não apontou quais seriam as ‘informações erradas’ citadas pelo jornal, apenas chamando o conteúdo de ‘medíocre’, afirmando que ‘não precisam de mídia negativa’.

A presidente da Santur disse que o momento é ‘emblemático’ e que desde que assumiu o cargo na Santur enfrentou ‘um batalhão de desafios’, incluindo o Centro de Eventos de Balneário, e que apesar de ser um processo muito ‘emperrado’ finalmente a situação está sendo resolvida.

Ela disse que apesar do trade e da imprensa apontarem que há demora para a entrega do Centro de Eventos, tudo está ‘o mais acelerado possível’, afirmando ainda que o Governo do Estado também deseja abrir o local o quanto antes, já que com ele fechado ‘estamos deixando de ganhar dinheiro’.

A presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro, Bares, Restaurantes e Similares de Balneário Camboriú e Região (Sechobar), Olga Ferreira, citou a questão da lista de eventos já pré-agendados para o Centro de Eventos, lembrando as feiras que devem acontecer e opinando que não concorda com elas, tendo apoio de alguns membros do trade, que disseram que elas podem servir como concorrência ao comércio da cidade.

“Não sabemos quem vai gerir. Estamos esperando o Centro de Eventos há mais de 25 anos. Qual vai ser a nossa participação? Queremos nos apropriar, ele é nosso”, questionou.

Flávia respondeu que esse momento é de ‘desatar os nós’ e que as feiras ‘não vão ser camelôs’.

“O equipamento (Centro de Eventos) é comercial e estratégico. Queremos eventos internacionais. O governo irá transferir tudo para a empresa que vencer e é ela que vai definir os preços dos eventos. O Estado não irá interferir, isso é mercado. Nem sempre vocês vão gostar do que vai acontecer. O nosso papel agora é fazer dar certo e é urgente passar para a iniciativa privada, o governo não quer o Centro de Eventos”, salientou.

Prazos

Flávia apresentou uma ‘agenda’ dos próximos acontecimentos referente ao Centro de Eventos. Segundo ela, até 31 de março é o prazo limite para as empresas interessadas apresentarem suas propostas. O Governo do Estado terá 15 dias para verificar os documentos. O anúncio da vencedora deve ser feito até maio e até fim de junho o contrato será assinado, com a expectativa de que em julho o Centro de Eventos já esteja funcionando.

Se houver algum problema judicial, a presidente disse que a Santur assumirá provisoriamente a gestão para que os eventos já agendados para julho e agosto aconteçam conforme o estabelecido.

Opiniões
O Página 3 escutou a opinião de pessoas presentes à reunião, confira:

Valdir Walendowsky, secretário de Turismo de Balneário Camboriú – “A prefeitura tem a maior expectativa para a inauguração, a gente está torcendo que abra o quanto antes. É a intenção maior de todos. Tem toda uma agenda de grandes eventos marcados para julho, agosto, setembro, outubro, novembro; e outros grandes eventos que querem vir para Balneário Camboriú. Ou seja, o quanto antes abrir, melhor para todos, não só para Balneário Camboriú, como para Santa Catarina também. Vai para a iniciativa privada a gestão e aí será uma relação de comércio, não haverá interferência do governo com relação a preço. É uma licitação que é aberta a empresas que tem a condição e valores para que possa ser a melhor possível na gestão. Queremos que abra logo esse Centro de Eventos, é isso que estamos torcendo”.

Osny Maciel Junior, presidente do Comtur – “Eu vejo que essa reunião foi muito positiva porque desde novembro a gente vem pleiteando agendas, montamos uma comissão, a Santur prontamente nos atendeu, colocou pessoas que ficavam durante esses meses conversando com a gente, passando as tratativas. A vinda da Flávia foi muito positiva também, ela assumiu um compromisso com a cidade. Ela nos deu os prazos a serem cumpridos e se eles forem cumpridos o Centro de Eventos estará aberto até julho. Mas também foram colocadas algumas situações que podem acontecer, que não será culpa do governo, como a impugnação de algum candidato que não ficou satisfeito, mas a Santur também assumiu que assumiria o Centro de Eventos para esses eventos que estão programados a partir de julho.”

Ana Maria Alves dos Santos, presidente do Balneário Camboriú Convention & Visitors Bureau – “Pode acontecer algum entrave, é normal, a gente até espera que pode acontecer, mas tem que acreditar que vai abrir até julho. Se perdermos essa esperança então vai ficar mais complicado. A gente precisa abrir e eu quero acreditar que vai dar certo. Nós precisamos nos empoderar do turismo, precisamos nos assumir. Temos problemas de infraestrutura e não podemos continuar desse jeito, temos que evoluir nesse sentido, resolver esses problemas que nós temos, porque o turista precisa ter experiências positivas, ele vai disseminando a má experiência por onde ele vai. Santa Catarina tem um potencial gigante, natureza, equipamentos... que é invejável para outros Estados. Temos que assumir que somos um Estado fantástico, atraindo grandes empreendimentos e marcas internacionais, nossos aeroportos. Acredito que o de Navegantes em breve passará pela esperada reestruturação completa. As coisas vão acontecendo, o que não é legal é a coisa negativa, a ideia de sempre querer minar o outro. Temos que eliminar isso, focar no positivismo e bola pra frente, vamos trabalhar”.

Margot Rosenbrock Libório, vice presidente do BC Convention – “Esperamos que realmente abra em julho, que o processo de concessão tenha êxito. A gente ficou muito feliz porque o Governo do Estado tinha se comprometido a lançar o edital até o final de janeiro e no dia 31 foi lançado. Isso, na verdade, é uma situação simples, mas que começa a gerar confiança do que nos é repassado. Esse equipamento nunca foi tão importante para Balneário Camboriú e para o turismo da cidade como ele é nesse ano, um ano difícil. 2019 não foi um ano fácil, a temporada 2020 é uma temporada que a gente não pode dizer nesse momento que ela é ruim, mas ela não é uma temporada que ‘estourou’. Sempre esperamos e trabalhamos para ter uma temporada excelente, mas a crise na Argentina foi muito forte. O mercado vai entrando no ano de 2020 mais sensível, e o turismo gera emprego, gera renda, movimenta muito a economia da cidade. Quando esse setor fica extremamente sensível não é positivo nem para Balneário, para a região Costa Verde & Mar. Santa Catarina inteira está assim. Não foi fácil pra ninguém. Ou seja, o Centro de Eventos não poderia vir em uma hora melhor. Vai equilibrar. Imagina em um futuro próximo pelo menos três eventos mensais, já vão equilibrar muito a questão da demanda”.

Olga Ferreira, presidente do Sechobar – “Nós estávamos muito desinformados, nada era falado claramente. Eu acho que alguma coisa foi falada, mas não tudo. A gente ainda não sabe como é que realmente vai ser toda essa gestão, vamos ter que aguardar. Eu acredito que a sociedade civil organizada tem força para mudar, para exigir. Eles deram prazo, isso tudo está registrado, eu acho que temos como cobrar. Se até julho realmente não acontecer aí nós vamos ter que realmente ir e cobrar, mas cobrar com vontade, porque eu acho que está muito blábláblá. Eu vou acreditar que realmente vai acontecer a abertura, mas se não acontecer teremos que nos posicionar para defender o nosso município e o Centro de Eventos, que também é nosso”.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade