Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Sucesso na primeira manobra especial na nova Bacia de Evolução no Complexo Portuário de Itajaí

A manhã desta quinta-feira (16) será histórica para o setor portuário de Itajaí, porque a Manobra Especial com o navio ‘Valor’ de 300m de comprimento por 48,3m de largura (boca), na nova Bacia de Evolução, foi realizada com sucesso. Ele completou o teste em 1h40´.

Sexta, 17/1/2020 12:59.
Daiane Fagundes (APMT).

Publicidade

Como programado pela Superintendência do Porto de Itajaí (Autoridade Portuária), em conjunto com a Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí (Marinha), Praticagem, Terminais Portuários (APMT e PORTONAVE), e empresas de rebocadores, a manobra teve seu início no berço 02 da Portonave, desatracando às 10 horas da manhã. De imediato, foi rebocado e seguiu de ré até a área da bacia, dando sequência para o giro de 180º da manobra e posteriormente encerrando toda a atividade.

O Superintendente do Porto de Itajaí, engenheiro Marcelo Werner Salles, acompanhou de perto toda a manobra e comemorou pela realização do complexo portuário de Itajaí estar recebendo navios de grande porte.

“Para nós isso foi um marco histórico, não só por ser a primeira manobra na Bacia de Evolução, mas pelo ineditismo na América do Sul, de fazer uma manobra a ré, onde a embarcação fica sem máquinas e os rebocadores efetivamente o conduzem até a área da bacia. Isso é uma operação que vários portos da Europa realizam, mas é a primeira vez que é feita no Brasil. Essa manobra faz parte de um conjunto de ações que estamos fazendo para fazer com que a infraestrutura do complexo portuário de Itajaí possa atingir e atender os navios denominados mega ships, navios com até 350m de comprimento”, comemora.

O prefeito em exercício, Marcelo Sodré, também acompanhou de perto a atividade e ficou entusiasmado com o potencial que Itajaí terá no futuro garantindo expectativas positivas de comércio.

“Foi fabuloso ver o navio fazer o giro. Essa manobra colocou Itajaí no cenário nacional e internacional de concorrência portuária, garantindo o futuro da nossa cidade. Também se não tivermos soluções como essa para garantir a economia da cidade, tanto o porto de Itajaí, quanto o porto de Navegantes, e demais terminais a montante, que não pudesse recepcionar navios de grande porte, estaríamos todos fadados a num futuro muito curto, estando até impossibilitados de ampliar esta atividade’

O navio ‘Valor” pertence ao Armador Evergreen (bandeira de Malta). Vindo do Porto de Rio Grande (RS), atracou às 17h30 no berço 02 do terminal Portonave, nesta quarta-feira (15). Após o encerramento da manobra, seguiu seu destino marítimo para o porto de Paranaguá (PR).

”Sem dúvida a manobra foi um sucesso, resultado do envolvimento de todo um trabalho em equipe que foi desenvolvido durante muitos anos. Para Porto de Itajaí isso é primordial, uma vez que abre oportunidade para que navios maiores entrem no complexo e com isso a gente tenhamos novas oportunidades comerciais”, comentou Daniel Belizário, Gerente Comercial da APM Terminals de Itajaí.

Na próxima segunda-feira (20), deverá acontecer uma nova reunião com membros da Superintendência do Porto de Itajaí, Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí (Marinha), Praticagem, Terminais Portuários (APMT e PORTONAVE), e empresas de rebocadores, entre outros envolvido, para discutir toda essa ação da primeira manobra.

Inicialmente para as manobras experimentais na Bacia de Evolução, serão usados navios (embarcações), que já operam em nosso complexo, e que sucessivamente serão substituídos por navios de porte maior. Estão previstas ainda mais cinco manobras especiais com navios de até 306 metros na nova Bacia de Evolução.

“Mais do que esperar, nós nos preparamos todos para esse momento. Creio que foi um trabalho muito interessante da autoridade portuária, Marinha, dos práticos, todos os recursos foram empregados e quando se tem um bom planejamento, o resultado é muito bom, então foi um resultado excelente, pois a vida segue e temos a frente uma perspectiva muito melhor para os próximos anos em relação a movimentação portuária”, analisa Osmari de Castilho Ribas, Diretor Superintendente Administrativo da Portonave (Terminal Portuário de Navegantes).

Em junho de 2019, o Município de Itajaí, juntamente com a Superintendência do Porto de Itajaí, e empresa Van Oord (especializada em dragagem e contratada para a conclusão da primeira etapa das obras da Bacia), realizaram a assinatura do aditivo contratual no valor de R$ 40,1 milhões, cuja participação da Portonave em colaborar com investimentos foi na ordem de R$ 5,5 milhões para o transporte da Draga Backhoe até o local da bacia.

O aditivo foi necessário em caráter emergencial, pois as obras da bacia iniciaram em março de 2016, e ao final do contrato, o Governo do Estado encerrou seus trabalhos alegando que não era mais possível fazer aditivos para concluir a obra. O contrato pontuava a retirada de quase 3 milhões de metros cúbicos de resíduos do fundo do rio, e que quando esse volume fosse atingido, a empresa e o Estado consideraram os trabalhos por encerrado. Após o aporte financeiro, as obras entraram em ritmo acelerado encerrando a primeira etapa em setembro do ano passado. A Bacia de Evolução contempla 500 metros de diâmetro e profundidade de 14,00 metros.

O Complexo Portuário de Itajaí é segundo maior em operações de contêineres no Brasil, representando quase 4% da balança comercial brasileira e 60% dos produtos produzidos em Santa Catarina. Todas essas estatísticas são verdadeiras e contribuem para o sucesso junto as exportações e importações no mercado internacional.

“Empresas de Armadores já realizaram estudos econômicos junto ao Complexo Portuário local, e destacaram que em Itajaí, de cada contêiner que entra no complexo, é deixado em nossa atividade econômica, na nossa cidade de Itajaí e de Navegantes, R$1.600,00. Se nós movimentarmos 100 mil contêineres, que nós já estamos movimentando, é uma injeção de recursos de 160 milhões por mês na nossa atividade, ou seja: quase três bilhões nas nossas cidades. Por isso que é extremamente importante mantermos a atualidade da infraestrutura do Porto de Itajaí para que a gente possa manter as nossas operações em ritmo crescente”, conclui Marcelo Werner Salles.


Texto: Luciano Sens/Assessor de Comunicação Social


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Daiane Fagundes (APMT).

Sucesso na primeira manobra especial na nova Bacia de Evolução no Complexo Portuário de Itajaí

A manhã desta quinta-feira (16) será histórica para o setor portuário de Itajaí, porque a Manobra Especial com o navio ‘Valor’ de 300m de comprimento por 48,3m de largura (boca), na nova Bacia de Evolução, foi realizada com sucesso. Ele completou o teste em 1h40´.

Publicidade

Sexta, 17/1/2020 12:59.

Como programado pela Superintendência do Porto de Itajaí (Autoridade Portuária), em conjunto com a Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí (Marinha), Praticagem, Terminais Portuários (APMT e PORTONAVE), e empresas de rebocadores, a manobra teve seu início no berço 02 da Portonave, desatracando às 10 horas da manhã. De imediato, foi rebocado e seguiu de ré até a área da bacia, dando sequência para o giro de 180º da manobra e posteriormente encerrando toda a atividade.

O Superintendente do Porto de Itajaí, engenheiro Marcelo Werner Salles, acompanhou de perto toda a manobra e comemorou pela realização do complexo portuário de Itajaí estar recebendo navios de grande porte.

“Para nós isso foi um marco histórico, não só por ser a primeira manobra na Bacia de Evolução, mas pelo ineditismo na América do Sul, de fazer uma manobra a ré, onde a embarcação fica sem máquinas e os rebocadores efetivamente o conduzem até a área da bacia. Isso é uma operação que vários portos da Europa realizam, mas é a primeira vez que é feita no Brasil. Essa manobra faz parte de um conjunto de ações que estamos fazendo para fazer com que a infraestrutura do complexo portuário de Itajaí possa atingir e atender os navios denominados mega ships, navios com até 350m de comprimento”, comemora.

O prefeito em exercício, Marcelo Sodré, também acompanhou de perto a atividade e ficou entusiasmado com o potencial que Itajaí terá no futuro garantindo expectativas positivas de comércio.

“Foi fabuloso ver o navio fazer o giro. Essa manobra colocou Itajaí no cenário nacional e internacional de concorrência portuária, garantindo o futuro da nossa cidade. Também se não tivermos soluções como essa para garantir a economia da cidade, tanto o porto de Itajaí, quanto o porto de Navegantes, e demais terminais a montante, que não pudesse recepcionar navios de grande porte, estaríamos todos fadados a num futuro muito curto, estando até impossibilitados de ampliar esta atividade’

O navio ‘Valor” pertence ao Armador Evergreen (bandeira de Malta). Vindo do Porto de Rio Grande (RS), atracou às 17h30 no berço 02 do terminal Portonave, nesta quarta-feira (15). Após o encerramento da manobra, seguiu seu destino marítimo para o porto de Paranaguá (PR).

”Sem dúvida a manobra foi um sucesso, resultado do envolvimento de todo um trabalho em equipe que foi desenvolvido durante muitos anos. Para Porto de Itajaí isso é primordial, uma vez que abre oportunidade para que navios maiores entrem no complexo e com isso a gente tenhamos novas oportunidades comerciais”, comentou Daniel Belizário, Gerente Comercial da APM Terminals de Itajaí.

Na próxima segunda-feira (20), deverá acontecer uma nova reunião com membros da Superintendência do Porto de Itajaí, Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí (Marinha), Praticagem, Terminais Portuários (APMT e PORTONAVE), e empresas de rebocadores, entre outros envolvido, para discutir toda essa ação da primeira manobra.

Inicialmente para as manobras experimentais na Bacia de Evolução, serão usados navios (embarcações), que já operam em nosso complexo, e que sucessivamente serão substituídos por navios de porte maior. Estão previstas ainda mais cinco manobras especiais com navios de até 306 metros na nova Bacia de Evolução.

“Mais do que esperar, nós nos preparamos todos para esse momento. Creio que foi um trabalho muito interessante da autoridade portuária, Marinha, dos práticos, todos os recursos foram empregados e quando se tem um bom planejamento, o resultado é muito bom, então foi um resultado excelente, pois a vida segue e temos a frente uma perspectiva muito melhor para os próximos anos em relação a movimentação portuária”, analisa Osmari de Castilho Ribas, Diretor Superintendente Administrativo da Portonave (Terminal Portuário de Navegantes).

Em junho de 2019, o Município de Itajaí, juntamente com a Superintendência do Porto de Itajaí, e empresa Van Oord (especializada em dragagem e contratada para a conclusão da primeira etapa das obras da Bacia), realizaram a assinatura do aditivo contratual no valor de R$ 40,1 milhões, cuja participação da Portonave em colaborar com investimentos foi na ordem de R$ 5,5 milhões para o transporte da Draga Backhoe até o local da bacia.

O aditivo foi necessário em caráter emergencial, pois as obras da bacia iniciaram em março de 2016, e ao final do contrato, o Governo do Estado encerrou seus trabalhos alegando que não era mais possível fazer aditivos para concluir a obra. O contrato pontuava a retirada de quase 3 milhões de metros cúbicos de resíduos do fundo do rio, e que quando esse volume fosse atingido, a empresa e o Estado consideraram os trabalhos por encerrado. Após o aporte financeiro, as obras entraram em ritmo acelerado encerrando a primeira etapa em setembro do ano passado. A Bacia de Evolução contempla 500 metros de diâmetro e profundidade de 14,00 metros.

O Complexo Portuário de Itajaí é segundo maior em operações de contêineres no Brasil, representando quase 4% da balança comercial brasileira e 60% dos produtos produzidos em Santa Catarina. Todas essas estatísticas são verdadeiras e contribuem para o sucesso junto as exportações e importações no mercado internacional.

“Empresas de Armadores já realizaram estudos econômicos junto ao Complexo Portuário local, e destacaram que em Itajaí, de cada contêiner que entra no complexo, é deixado em nossa atividade econômica, na nossa cidade de Itajaí e de Navegantes, R$1.600,00. Se nós movimentarmos 100 mil contêineres, que nós já estamos movimentando, é uma injeção de recursos de 160 milhões por mês na nossa atividade, ou seja: quase três bilhões nas nossas cidades. Por isso que é extremamente importante mantermos a atualidade da infraestrutura do Porto de Itajaí para que a gente possa manter as nossas operações em ritmo crescente”, conclui Marcelo Werner Salles.


Texto: Luciano Sens/Assessor de Comunicação Social


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade