Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Pescadores de Balneário Camboriú já pegaram quase 16 mil tainhas

Estaleiro e Estaleirinho, acumulado mais de 11 mil peixes até o momento

Quinta, 11/6/2020 11:11.
Divulgação @pesca_da_tainha_estaleirinho

Publicidade

Até esta quinta-feira (11), os pescadores de Balneário Camboriú pegaram mais de 15,6 mil tainhas, um número positivo, considerando que a safra segue até 31 de julho e o ‘ponto alto’ deve ser no fim de junho. As praias que vêm capturando mais peixes são o Estaleiro e Estaleirinho, acumulado mais de 11 mil peixes até o momento (cerca de 5,5 mil cada uma).

Números

O pescador Ronan Vignolli Pinheiro disse que cerca de 5.537 tainhas foram capturadas no Estaleirinho, 5.417 no Estaleiro, 950 no Pinho, 147 em Taquaras, 816 em Taquarinhas e 2.812 em Laranjeiras. Na Praia Central os pescadores só pegaram tainhotas, que são os filhotes de tainha, totalizando cerca de 1.500 peixes.

“Mas já dá para fazer um dinheirinho também”, analisa.

“Junho promete ser ainda melhor”

Segundo Ronan, em Florianópolis os pescadores estão falando que há cardumes rondando entre 10 e 37 mil peixes, o que é positivo para Balneário, já que as tainhas de lá podem vir pra cá.

“Então a nossa expectativa de que a safra seria boa por ser um ano bissexto está se realizando. Em maio já foi uma bênção, e junho promete ser ainda melhor”, diz.

Ronan salienta que há boatos também de que em Bombinhas estão ‘encostando’ 300 mil peixes, e eles também tendem a ‘circular’, podendo vir para Balneário.

“Vai ser uma loucura, imagina. O peixe está em todo lado. Cercamos alguns hoje (quinta, dia 11) pela manhã no Pinho, mas a praia está com alguns buracos e eles conseguiram fugir, mas estamos aguardando”, comenta.

Os pescadores estimam que somente no costão do Pinho há cerca de 10 mil peixes, mas eles não chegam na praia todos juntos, e alguns também podem escapar, principalmente se o vento mudar.

“É uma loteria, por isso estamos sempre alerta nas praias”, diz.

Pesca ilegal está sendo combatida

O pescador conta que como agora é a fase de esperar as tainhas virem do costão para a praia isso acaba sendo um ponto preocupante, porque atrai pescadores ilegais, que vão direto até os cardumes, o que é proibido por lei ambiental. Ele destaca que a Secretaria do Meio Ambiente está fiscalizando, mas que os próprios pescadores também ficam de olho e abordam quem pesca de forma errada.

“Teve uma apreensão por parte da prefeitura de uma rede feiticeira, mas todos os dias sabemos de ilegalidades, de pessoas próximas aos costões. Vemos que ano a ano as coisas estão melhorando, mas durante a noite é o principal problema, já que é escuro e não conseguimos ver quando tem gente no mar, mas usamos lanternas e também usamos foguetes para avisar que estamos na praia”, explica.

Ronan lembra que ainda há preconceito de algumas pessoas com os pescadores exatamente por esse comportamento errado por parte de quem pesca ilegalmente.

“Não somos bandidos, fazemos parte da cultura de Balneário Camboriú, todo mundo tem que se ajudar”, acrescenta.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação @pesca_da_tainha_estaleirinho

Pescadores de Balneário Camboriú já pegaram quase 16 mil tainhas

Estaleiro e Estaleirinho, acumulado mais de 11 mil peixes até o momento

Publicidade

Quinta, 11/6/2020 11:11.

Até esta quinta-feira (11), os pescadores de Balneário Camboriú pegaram mais de 15,6 mil tainhas, um número positivo, considerando que a safra segue até 31 de julho e o ‘ponto alto’ deve ser no fim de junho. As praias que vêm capturando mais peixes são o Estaleiro e Estaleirinho, acumulado mais de 11 mil peixes até o momento (cerca de 5,5 mil cada uma).

Números

O pescador Ronan Vignolli Pinheiro disse que cerca de 5.537 tainhas foram capturadas no Estaleirinho, 5.417 no Estaleiro, 950 no Pinho, 147 em Taquaras, 816 em Taquarinhas e 2.812 em Laranjeiras. Na Praia Central os pescadores só pegaram tainhotas, que são os filhotes de tainha, totalizando cerca de 1.500 peixes.

“Mas já dá para fazer um dinheirinho também”, analisa.

“Junho promete ser ainda melhor”

Segundo Ronan, em Florianópolis os pescadores estão falando que há cardumes rondando entre 10 e 37 mil peixes, o que é positivo para Balneário, já que as tainhas de lá podem vir pra cá.

“Então a nossa expectativa de que a safra seria boa por ser um ano bissexto está se realizando. Em maio já foi uma bênção, e junho promete ser ainda melhor”, diz.

Ronan salienta que há boatos também de que em Bombinhas estão ‘encostando’ 300 mil peixes, e eles também tendem a ‘circular’, podendo vir para Balneário.

“Vai ser uma loucura, imagina. O peixe está em todo lado. Cercamos alguns hoje (quinta, dia 11) pela manhã no Pinho, mas a praia está com alguns buracos e eles conseguiram fugir, mas estamos aguardando”, comenta.

Os pescadores estimam que somente no costão do Pinho há cerca de 10 mil peixes, mas eles não chegam na praia todos juntos, e alguns também podem escapar, principalmente se o vento mudar.

“É uma loteria, por isso estamos sempre alerta nas praias”, diz.

Pesca ilegal está sendo combatida

O pescador conta que como agora é a fase de esperar as tainhas virem do costão para a praia isso acaba sendo um ponto preocupante, porque atrai pescadores ilegais, que vão direto até os cardumes, o que é proibido por lei ambiental. Ele destaca que a Secretaria do Meio Ambiente está fiscalizando, mas que os próprios pescadores também ficam de olho e abordam quem pesca de forma errada.

“Teve uma apreensão por parte da prefeitura de uma rede feiticeira, mas todos os dias sabemos de ilegalidades, de pessoas próximas aos costões. Vemos que ano a ano as coisas estão melhorando, mas durante a noite é o principal problema, já que é escuro e não conseguimos ver quando tem gente no mar, mas usamos lanternas e também usamos foguetes para avisar que estamos na praia”, explica.

Ronan lembra que ainda há preconceito de algumas pessoas com os pescadores exatamente por esse comportamento errado por parte de quem pesca ilegalmente.

“Não somos bandidos, fazemos parte da cultura de Balneário Camboriú, todo mundo tem que se ajudar”, acrescenta.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade