Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Festas incomodam moradores do Estaleiro

Segunda, 9/11/2020 10:05.
Repórter da rádio escutando moradores na manhã dessa segunda-feira

Publicidade

Um grupo de moradores da Praia do Estaleiro recorreu à imprensa para pedir ajuda sobre as festas que vem acontecendo com regularidade há mais de ano no bairro. O caso específico se refere a uma propriedade na rua Antonio Torquato conhecida como "castelinho", que fica no alto do morro, o que faz com que o som se propague para dentro das casas dos moradores.

As festas costumam durar o fim de semana inteiro, ou até mais dias quando se trata de feriados. Além das músicas em alto volume, -muitas com letras de baixo calão-, os "visitantes" soltam foguetes, gritam, brigam, cantam, num frenesi contínuo de noites e dias, causando desconforto pela região ser um local de tranquilidade habitual. Não é só um prejuízo aos humanos, a área é de preservação ambiental e a fauna nativa sofre com a interferência das festas, que já se tornaram rotineiras.

Os moradores relatam que chamam continuamente a Guarda Municipal, que já interrompeu algumas festas, mas depois de algum tempo o som volta a ficar alto e a balada continua. Também pediram ajuda ao Ministério Público, e à Associação de Moradores do bairro, que prometeu tomar providências, mas ainda nada de efetivo aconteceu.

O tormento já dura mais de um ano e a casa é de aluguel, porém está preparada para festas de grande porte: tem um isolamento acústico -que não funciona pois a porta fica aberta e as pessoas gritam na área externa; tem uma iluminação digna de casas noturnas; e agora está reformando a entrada com um grande muro imponente.

Existem outras casas no bairro sendo alugadas para festas estendidas de fim de semana, o que mostra a necessidade de uma maior atenção das autoridades competentes em relação à regularização e fiscalização das regras vigentes para a região, que é residencial e dentro de uma área de preservação permanente.

Outro ponto preocupante é o trânsito nos bairros agrestes, que tem se intensificado de maneira surpreendente nos fins de semana, com grande consumo de álcool, colocando crianças, pedestres, ciclistas e outros motoristas em risco grave pela imprudência praticada. Recentemente muitas ruas foram asfaltadas, o que aumentou consideravelmente a velocidade nas vias.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Repórter da rádio escutando moradores na manhã dessa segunda-feira
Repórter da rádio escutando moradores na manhã dessa segunda-feira

Festas incomodam moradores do Estaleiro

Publicidade

Segunda, 9/11/2020 10:05.

Um grupo de moradores da Praia do Estaleiro recorreu à imprensa para pedir ajuda sobre as festas que vem acontecendo com regularidade há mais de ano no bairro. O caso específico se refere a uma propriedade na rua Antonio Torquato conhecida como "castelinho", que fica no alto do morro, o que faz com que o som se propague para dentro das casas dos moradores.

As festas costumam durar o fim de semana inteiro, ou até mais dias quando se trata de feriados. Além das músicas em alto volume, -muitas com letras de baixo calão-, os "visitantes" soltam foguetes, gritam, brigam, cantam, num frenesi contínuo de noites e dias, causando desconforto pela região ser um local de tranquilidade habitual. Não é só um prejuízo aos humanos, a área é de preservação ambiental e a fauna nativa sofre com a interferência das festas, que já se tornaram rotineiras.

Os moradores relatam que chamam continuamente a Guarda Municipal, que já interrompeu algumas festas, mas depois de algum tempo o som volta a ficar alto e a balada continua. Também pediram ajuda ao Ministério Público, e à Associação de Moradores do bairro, que prometeu tomar providências, mas ainda nada de efetivo aconteceu.

O tormento já dura mais de um ano e a casa é de aluguel, porém está preparada para festas de grande porte: tem um isolamento acústico -que não funciona pois a porta fica aberta e as pessoas gritam na área externa; tem uma iluminação digna de casas noturnas; e agora está reformando a entrada com um grande muro imponente.

Existem outras casas no bairro sendo alugadas para festas estendidas de fim de semana, o que mostra a necessidade de uma maior atenção das autoridades competentes em relação à regularização e fiscalização das regras vigentes para a região, que é residencial e dentro de uma área de preservação permanente.

Outro ponto preocupante é o trânsito nos bairros agrestes, que tem se intensificado de maneira surpreendente nos fins de semana, com grande consumo de álcool, colocando crianças, pedestres, ciclistas e outros motoristas em risco grave pela imprudência praticada. Recentemente muitas ruas foram asfaltadas, o que aumentou consideravelmente a velocidade nas vias.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade