Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Geral
Corretor de Itapema morreu após ser atingido por raio, desde 2017 quase mil pessoas foram atingidas em SC

Segunda, 5/10/2020 10:34.
Divulgação
Fabrício Corrêa Gasparetto

Publicidade

A morte do corretor de imóveis de Itapema, Fabrício Corrêa Gasparetto, 47 anos, atingido por um raio enquanto corria no calçadão do Bairro Meia Praia, em Itapema, na sexta-feira (2) ganhou as redes no final de semana e motivou debates sobre os perigos que os temporais podem causar. A situação chama a atenção porque casos semelhantes já aconteceram no Estado.

Segundo o Corpo de Bombeiros, Fabrício chegou a ser conduzido ao Hospital Santo Antônio, mas não resistiu, faleceu vítima de uma parada cardiorrespiratória. O amigo dele, identificado como ‘Dudu’, também foi atingido pelo raio, mas teria ficado apenas desorientado e passa bem.

Quase mil casos em SC desde 2017

Os bombeiros apontam que desde 2017, 999 pessoas foram atingidas por descargas elétricas em Santa Catarina, a maioria dos casos envolve objetos energizados. Mortes como a de Fabrício houve pelo menos duas nos últimos anos, uma em 2015 (um motorista que estava a caminho do trabalho, na BR-101) e outra em 2017 (um adolescente de 15 anos, que estava jogando futebol quando foi atingido pelo raio), ambas em Biguaçu, na Grande Florianópolis.

No Brasil, estima-se que aproximadamente 100 pessoas morrem por ano atingidas por raios, vítimas normalmente de efeitos associados à descarga elétrica, como a parada cardiorrespiratória que vitimou o corretor de imóveis de Itapema.

Animais são as principais ‘vítimas’

Segundo o Corpo de Bombeiros, as ocorrências desse tipo mais comuns envolvem animais, já que em fazendas ou pastos em tempestades eles costumam se abrigar embaixo de árvores – algo que deve ser evitado, assim como estar na rua, a exemplo de Fabrício, que estava praticando exercício no momento em que foi atingido.

Dicas de prevenção

Estimativas apontam que a chance de ser atingido por um raio é de um para um milhão, mas ainda assim é preciso cuidado. Confira abaixo dicas de prevenção:

- Se estiver fora de casa quando começar a tempestade, procure um abrigo. Caso não haja um abrigo próximo, ajoelhe-se e curve-se para frente, colocando suas mãos nos joelhos e sua cabeça entre eles. Não deite-se.

- Evite sair na rua em casos de temporal, e evite locais como topos de morros ou de prédios, áreas abertas (como campos de futebol, praia, parques ou estacionamentos).

- Fique longe de cercas de arame, árvores isoladas e estruturas altas como torres, linhas telefônicas e de energia elétrica.

- Se estiver em um veículo, antes de sair dele verifique se há algum cabo ou fio elétrico, solto, próximo dele. Evite também o contato com qualquer objeto metálico que esteja nas proximidades do veículo.

- Dentro de casa/do trabalho, não fique próximo a tomadas, canos, janelas e portas metálicas e procure não tocar em equipamentos elétricos que estejam ligados na tomada (rede elétrica).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação
Fabrício Corrêa Gasparetto
Fabrício Corrêa Gasparetto

Corretor de Itapema morreu após ser atingido por raio, desde 2017 quase mil pessoas foram atingidas em SC

Publicidade

Segunda, 5/10/2020 10:34.

A morte do corretor de imóveis de Itapema, Fabrício Corrêa Gasparetto, 47 anos, atingido por um raio enquanto corria no calçadão do Bairro Meia Praia, em Itapema, na sexta-feira (2) ganhou as redes no final de semana e motivou debates sobre os perigos que os temporais podem causar. A situação chama a atenção porque casos semelhantes já aconteceram no Estado.

Segundo o Corpo de Bombeiros, Fabrício chegou a ser conduzido ao Hospital Santo Antônio, mas não resistiu, faleceu vítima de uma parada cardiorrespiratória. O amigo dele, identificado como ‘Dudu’, também foi atingido pelo raio, mas teria ficado apenas desorientado e passa bem.

Quase mil casos em SC desde 2017

Os bombeiros apontam que desde 2017, 999 pessoas foram atingidas por descargas elétricas em Santa Catarina, a maioria dos casos envolve objetos energizados. Mortes como a de Fabrício houve pelo menos duas nos últimos anos, uma em 2015 (um motorista que estava a caminho do trabalho, na BR-101) e outra em 2017 (um adolescente de 15 anos, que estava jogando futebol quando foi atingido pelo raio), ambas em Biguaçu, na Grande Florianópolis.

No Brasil, estima-se que aproximadamente 100 pessoas morrem por ano atingidas por raios, vítimas normalmente de efeitos associados à descarga elétrica, como a parada cardiorrespiratória que vitimou o corretor de imóveis de Itapema.

Animais são as principais ‘vítimas’

Segundo o Corpo de Bombeiros, as ocorrências desse tipo mais comuns envolvem animais, já que em fazendas ou pastos em tempestades eles costumam se abrigar embaixo de árvores – algo que deve ser evitado, assim como estar na rua, a exemplo de Fabrício, que estava praticando exercício no momento em que foi atingido.

Dicas de prevenção

Estimativas apontam que a chance de ser atingido por um raio é de um para um milhão, mas ainda assim é preciso cuidado. Confira abaixo dicas de prevenção:

- Se estiver fora de casa quando começar a tempestade, procure um abrigo. Caso não haja um abrigo próximo, ajoelhe-se e curve-se para frente, colocando suas mãos nos joelhos e sua cabeça entre eles. Não deite-se.

- Evite sair na rua em casos de temporal, e evite locais como topos de morros ou de prédios, áreas abertas (como campos de futebol, praia, parques ou estacionamentos).

- Fique longe de cercas de arame, árvores isoladas e estruturas altas como torres, linhas telefônicas e de energia elétrica.

- Se estiver em um veículo, antes de sair dele verifique se há algum cabo ou fio elétrico, solto, próximo dele. Evite também o contato com qualquer objeto metálico que esteja nas proximidades do veículo.

- Dentro de casa/do trabalho, não fique próximo a tomadas, canos, janelas e portas metálicas e procure não tocar em equipamentos elétricos que estejam ligados na tomada (rede elétrica).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade