- Publicidade -
22.5 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Desmoronamento atinge casarões históricos em Ouro Preto (MG)

Um desmoronamento de terra no Morro da Forca atingiu ao menos dois casarões no centro histórico de Ouro Preto, em Minas Gerais, na manhã desta quinta-feira, 13. Não há feridos ou vítimas, de acordo com informações oficiais. Segundo o Corpo de Bombeiros, o perímetro do entorno estava isolado e a população havia sido evacuada preventivamente do local, na Rua Diogo de Vasconcelos, nas proximidades da Praça Cesário Alvim.

“Ainda há uma instabilidade do talude”, apontou o Corpo de Bombeiros em nota. De acordo com o órgão, há a possibilidade de um novo desmoronamento, que poderia atingir um hotel e um restaurante.

Os dois imóveis atingidos eram tombados, de acordo com informação da Defesa Civil repassada pelo Corpo de Bombeiros. O centro histórico de Ouro Preto foi o primeiro bem cultural brasileiro a ser reconhecido como patrimônio mundial pela Unesco, em 1980.

Pela manhã, o tráfego de veículos também foi isolado no local, devido à “movimentação de massa de grande proporção”, conforme alertou a Defesa Civil em vídeo. “Os bombeiros foram acionados por volta de 8h30 para fazer a vistoria do local. Nesse tempo, devido aos problemas estruturais encontrado, toda a área foi evacuada. Um pouco mais tarde, por volta de 9h10, houve o colapso”, destacou o Corpo de Bombeiros. “É importante destacar que a atuação preventiva do CBMMG juntamente com a Defesa Civil Municipal de Ouro Preto foi decisiva para que não existissem vítimas nesse caso, uma vez que o local já se encontrava isolado e evacuado preventivamente.”

A situação também afetou o fornecimento de energia elétrica em parte da cidade, de acordo com a Prefeitura. Outros desmoronamentos já haviam ocorrido no município nos últimos dias, como no bairro Vila Aparecida e São Francisco. A rodovia que liga Ouro Preto a Mariana (MG-129) chegou a ceder, impedindo o tráfego.

O Estado de Minas Gerais tem sido atingido por chuvas constantes desde as últimas semanas de 2021, que deixaram ao menos 24 mortos e mais de 24,6 mil desalojados e desabrigados. Até quarta-feira, dia 12, 341 municípios estavam em situação de emergência.

Interior do casarão que foi soterrado. (Foto Divulgação)
- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -