- Publicidade -
20.1 C
Balneário Camboriú

Cruzeiro vence Operário-PR e garante permanência na Série B no ano do centenário

- publicidade -

Leia também

- Publicidade -

O sonho de voltar à elite do futebol brasileiro foi adiado para a temporada 2021, mas o Cruzeiro atingiu a meta repetida pelo técnico Luiz Felipe Scolari de permanecer na Série B. O que era quase certo, agora tem o respaldo da matemática. O time mineiro alcançou os 47 pontos com a vitória, por 2 a 1, sobre o Operário-PR, nesta quarta-feira, no Independência, pela 36.ª rodada.

Mesmo assim, o Cruzeiro aparece na parte de baixo da tabela, em 13.º lugar. Uma posição muito aquém do esperado pela torcida que desejava volta à elite em 2021, ano do centenário de fundação do clube, celebrado em 2 de janeiro. A derrota, de outro lado, praticamente eliminou as chances do Operário de lutar pelo acesso. Com 51 pontos ocupa a nona posição, cinco abaixo do CSA, em quarto lugar.

O Operário começou melhor, bem armado no esquema 4-3-3, explorando a velocidade para chegar no ataque para finalizar. Aos 18 minutos surgiu a principal chance do time paranaense, em uma falta próxima da linha da grande área. Ricardo Bueno soltou a bomba e Fábio rebateu.

O visitante continuou em cima e assustou aos 23 minutos, quando Marcelo arriscou o chute da frente da área e a bola tirou tinta da trave direita de Fábio. Até então, o domínio de jogo era todo do Operário, que empurrava o Cruzeiro para seu campo defensivo.

- Publicidade -

Mas quem saiu na frente foi o Cruzeiro em um lance estranho. O zagueiro Manoel aliviou na intermediaria defensiva de cabeça e, sem querer, fez um lançamento. Ricardo Silva furou de cabeça e o esperto Rafael Sóbis saiu em disparada, deu um chapéu no goleiro Martín Rodriguez e completou para as redes mesmo pressionado pelo zagueiro Reniê aos 31 minutos.

O segundo tempo começou diferente, com o Cruzeiro criando uma chance antes do primeiro minuto. William Pottker finalizou cruzado e o goleiro Martín espalmou para escanteio. Mais dominante em campo, parecia que o time mineiro iria buscar os segundo gol para garantir a vitória.

Mas, ironicamente, o Operário empatou aos nove minutos. Após sobra na frente da defesa, Ricardo Bueno soltou a bomba por baixo e superou o goleiro Fábio, que saltou sem alcançar a bola. Aos 12 minutos, o Operário fez outro gol com Pedro Ken, mas que acabou anulado por marcação de falta em cima de Machado. O lance foi muito reclamado pelos paranaenses.

- Publicidade -

Por alguns instantes, o Operário aproveitou bem a instabilidade do Cruzeiro para forçar as jogadas em velocidade e buscar o gol. Mas, em um jogo de surpresas, quem marcou o segundo gol foi o Cruzeiro, aos 30 minutos. William Pottker foi lançado por Manoel nas costas de Fabiano, matou a bola no peito e tocou de pé esquerdo e cruzado. A bola tocou na trave direita e entrou.

Atrás no placar, o Operário se atirou ao ataque, mas nesta altura, os jogadores mineiros já tinham recuperado a confiança e passaram a priorizar a marcação. O técnico Matheus Costa arriscou, tirando dois defensores – Fabiano e Leandro Vilela – para as entradas de dois atacantes – Diego Cardoso e Schumacher.

O time paranaense ainda teve boas chances. Uma deles em um chute de Ricardo Bueno, que desviou em Manoel e seguiu para escanteio. Outra, aos 45 minutos, em um chute de Marcelo e que Fábio espalmou, em outra grande defesa.

Ao final do jogo, jogadores e comissão técnica do Operário cercaram o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza reclamando pelo gol anulado e que poderia ter significado a vitória. Seguranças do Cruzeiro protegeram o trio de arbitragem, uma vez que os policiais militares estavam preocupados em prevenir possíveis protestos da torcida cruzeirense fora do estádio.

As últimas duas rodadas da Série B vão ser apenas para o Cruzeiro cumprir tabela. No domingo, vai receber o Náutico no Independência e na final vai visitar o Paraná, no dia 30. O Operário será mandante diante da Chapecoense na segunda-feira, às 17 horas, e depois atuará em Ribeirão Preto contra o rebaixado Botafogo-SP.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2 X 1 OPERÁRIO-PR

CRUZEIRO – Fábio; Raúl Cáceres, Manoel, Ramon e Matheus Pereira; Adriano, Machado (Cacá) e Giovanni (Jadson); Airton, Rafael Sóbis (Welinton) e William Pottker. Técnico: Felipão.

OPERÁRIO-PR – Martín Rodríguez; Alex Silva, Reniê, Ricardo Silva e Fabiano (Diego Cardoso); Pedro Ken (Thomaz), Leandro Vilela (Schumacher), Jean Carlo e Marcelo; Rafael Oller (Maranhão) e Ricardo Bueno. Técnico: Matheus Costa.

GOLS – Rafael Sóbis, aos 31 minutos do primeiro tempo. Ricardo Bueno, aos 9, e William Pottker, aos 30 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (PB).

CARTÕES AMARELOS – Machado (Cruzeiro). Alex Silva, Reniê, Ricardo Bueno, Leandro Vilela, Pedro Ken e Jean Carlo (Operário).

CARTÃO VERMELHO – Diego Cardoso (Operário).

RENDA E PÚBLICO – Jogo sem torcida.

LOCAL – Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).

- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -