- Publicidade -
18.8 C
Balneário Camboriú

Juíza condena homem que fraudou 170 vezes o auxílio emergencial

- publicidade -

Leia também

- Publicidade -

A Justiça Federal em São Paulo condenou a três anos e seis meses de prisão um homem denunciado por receber indevidamente R$ 435 mil em parcelas do auxílio emergencial.

A decisão é da juíza Valdirene Ribeiro de Souza Falcão, da 9ª. Vara Federal de Campinas (SP), para quem há indícios suficientes de autoria do crime. “Importante mencionar que a demonstração da autoria não se sustenta apenas na confissão do acusado. Ela também se baseia nas circunstâncias em que o acusado foi preso em flagrante, além de prova material robusta”, escreveu.

De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal, o jovem ainda era menor de idade quando começou a sacar o dinheiro indevidamente usando documentos falsos. Os investigadores identificaram ao menos 170 auxílios recebidos por meio de contas digitais desde maio do ano passado.

Em depoimento, ele admitiu a fraude e disse que, depois do crime, estava tentando ‘seguir minha vida’ e que ‘queria trabalhar e viver normalmente’. O jovem passou a se hospedar em hotéis para despistar os investigadores. Ele foi preso pela Polícia Federal depois de usar documentos falsos no cadastro de um hotel na capital paulista.

- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -