Jornal Página 3

300 policiais civis atacam organização criminosa em Santa Catarina
Arquivo JP3.

Quinta, 7/9/2017 10:43.

JEFERSON BERTOLINI
FLORIANÓPOLIS, SC (FOLHAPRESS) - A Polícia Civil de Santa Catarina faz nesta quinta-feira (7) uma operação especial para tentar prender os responsáveis pela onda de ataques contra prédios e agentes da segurança pública, iniciada na última quinta-feira (31).

Desde as primeiras horas do dia, estão sendo cumpridos 58 mandados de prisão e 42 de busca e apreensão.

Até as 13h, as equipes haviam cumprido 47 mandados de prisão -29 dos quais contra criminosos que já estavam detidos.

O comando da Polícia Civil informou que a operação é "contra a facção criminosa responsável pelos diversos atentados cometidos na última semana contra agentes e instalações de vários órgãos da segurança pública, sistema prisional e poder judiciário".

É a primeira vez, desde o início da onda de violência, que uma instituição ligada ao governo atribui os ataques a grupos criminosos.

Em comunicado à imprensa, a Polícia Civil diz que há mandados de prisão "inclusive contra as lideranças de grupos criminosos" que atuam no Estado.

A corporação não cita nomes. Mas policiais ouvidos pela reportagem dizem que a maior organização criminosa em atuação em Santa Catarina é o PGC (Primeiro Grupo Catarinense).

O PGC já foi apontado pela Polícia Civil como o responsável por ataques anteriores, semelhantes ao atual, registrados em Santa Catarina em 2012, 2013 e 2014.

Juntas, essas três ondas de violência somaram 297 ocorrências, segundo a Polícia Militar, a maioria contra instalações da segurança pública.

À época, as investigações concluíram que os ataques foram uma forma de o grupo revidar violência e privações sofridas nas cadeias do Estado.

A ação desta quinta (7) foi batizada de Operação Independência, em alusão ao feriado e à "autonomia constitucional da Polícia Civil". Envolve 300 policiais e ocorre em Florianópolis, Blumenau, Joinville, Criciúma e Navegantes.

CIDADES AFETADAS

O ataque mais recente confirmado pela Polícia Militar ocorreu na noite desta quarta-feira (6) em Blumenau, quando criminosos jogaram bombas caseiras contra um centro para internação de adolescentes infratores. Ninguém ficou ferido.

Entre quinta (31) e esta quarta-feira (6), segundo relatório da SSP (Secretaria de Segurança Pública), foram registrados 52 ataques em 31 cidades do Estado.

No período, seis suspeitos de participarem dos atentados foram mortos pela polícia e 41 foram detidos.


Publicidade


Colunistas
por Fernando Baumann
por Sonia Tetto
por Saint Clair Nickelle
por Augusto Cesar Diegoli
por Marcos Vinicios Pagelkopf
por Enéas Athanázio
Guia Legal BC

Banda se apresenta no dia 5 de janeiro


Geral

Consórcio pode ser o fato mais relevante desde que as duas cidades se separaram 53 anos atrás 


Publicidade