Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Após denúncia, brasileiro renuncia ao cargo em corte de direitos humanos
CorteIDH

Terça, 15/5/2018 17:43.

(FOLHAPRESS) - Acusado de violência doméstica, o brasileiro Roberto Caldas renunciou ao cargo de juiz da Corte Interamericana de Direitos Humanos.

O órgão informou nesta terça-feira (15) que Caldas enviou um pedido formal de renúncia nesta segunda-feira (14). Ele já havia feito um pedido de licença por tempo indeterminado.

Em comunicado publicado no Twitter, a corte informou que deu efeitos imediatos ao pedido de renúncia. O mandato de Caldas iria até dezembro deste ano.

No documento, a corte diz que ele foi denunciado por supostos atos de violência doméstica no Brasil e defende investigação. Além disso, condena "todo tipo de violência contra a mulher".

Caldas foi acusado pela ex-mulher, Michella Pereira, por injúria, agressão, espancamento, ameaça de morte e assédio sexual. A defesa dele negou a ocorrência de agressões física e reconheceu "serem graves as inúmeras ofensas verbais feitas pelo casal ao longo de uma tumultuada relação".

Em 2012, Caldas foi eleito para compor a corte, que chegou a presidir entre 2016 e 2017. O advogado também integrou a Comissão de Ética Pública da Presidência da República de 2006 a 2012.

A Convenção Americana sobre Direitos Humanos determina que os juízes escolhidos para compor a corte devem ser "eleitos a título pessoal dentre juristas da mais alta autoridade moral, de reconhecida competência em matéria de direitos humanos, que reúnam as condições requeridas para o exercício das mais elevadas funções judiciais".

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Cidade

Balneário Camboriú adotará entrega voluntária em ponto da prefeitura  


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Especial

Festival de música eletrônica reuniu milhares de pessoas na virada do ano, em Rio Negrinho


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Após denúncia, brasileiro renuncia ao cargo em corte de direitos humanos

CorteIDH
Terça, 15/5/2018 17:43.

(FOLHAPRESS) - Acusado de violência doméstica, o brasileiro Roberto Caldas renunciou ao cargo de juiz da Corte Interamericana de Direitos Humanos.

O órgão informou nesta terça-feira (15) que Caldas enviou um pedido formal de renúncia nesta segunda-feira (14). Ele já havia feito um pedido de licença por tempo indeterminado.

Em comunicado publicado no Twitter, a corte informou que deu efeitos imediatos ao pedido de renúncia. O mandato de Caldas iria até dezembro deste ano.

No documento, a corte diz que ele foi denunciado por supostos atos de violência doméstica no Brasil e defende investigação. Além disso, condena "todo tipo de violência contra a mulher".

Caldas foi acusado pela ex-mulher, Michella Pereira, por injúria, agressão, espancamento, ameaça de morte e assédio sexual. A defesa dele negou a ocorrência de agressões física e reconheceu "serem graves as inúmeras ofensas verbais feitas pelo casal ao longo de uma tumultuada relação".

Em 2012, Caldas foi eleito para compor a corte, que chegou a presidir entre 2016 e 2017. O advogado também integrou a Comissão de Ética Pública da Presidência da República de 2006 a 2012.

A Convenção Americana sobre Direitos Humanos determina que os juízes escolhidos para compor a corte devem ser "eleitos a título pessoal dentre juristas da mais alta autoridade moral, de reconhecida competência em matéria de direitos humanos, que reúnam as condições requeridas para o exercício das mais elevadas funções judiciais".

Publicidade

Publicidade