Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Autoridades abafaram plano de suposto ataque a escola em Balneário Camboriú
Redes sociais.
Alunos da Ruizélio assistindo a uma palestra.

Segunda, 1/4/2019 10:02.

Autoridades da segurança pública em Balneário Camboriú “abafaram” o plano de um suposto ataque planejado por alunos à escola estadual Ruizélio Cabral, no Nova Esperança.

Dois alunos, após denúncias de colegas, foram apreendidos pelas autoridades com materiais que indicavam a preparação de um ataque, mas ainda de maneira incipiente, amadora.

Apesar do caso ter acontecido na sexta-feira, ele só veio à tona ontem (31), quando pais de alunos denunciaram a situação.

O “abafa” por parte das autoridades coloca em discussão se isso é ou não correto, se a comunidade tem ou não o direito de ser informada sobre um evento relevante na segurança pública.

A Polícia Militar havia optado por não se pronunciar, mas como o Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) divulgou a ocorrência sem autorização do Comandante, Tenente-Coronel Alexandre Coelho, ele resolveu conversar com o Página 3.

O Comandante explica que por volta das 16h a diretora do colégio os chamou, pois dois alunos denunciaram que outros dois estavam ameaçando cometer um atentado no colégio.

Os denunciados foram chamados e disseram que era brincadeira, que gostavam muito dos militares e de temas polêmicos, como o Estado Islâmico e ataques contra escolas.

“Eles disseram que não tinham intenção de atacar e nem machucar ninguém, porém como sabiam muitos detalhes de outros atentados, resolvemos ir até a casa deles, onde encontramos nos quartos os objetos apreendidos, como munições, explosivos, conteúdo extremista e até um alvo com um criminoso e uma vítima”, contou o Comandante.

O Conselho Tutelar foi acionado para acompanhar o caso e os adolescentes encaminhados à delegacia, mas não ficaram apreendidos.

Eles prestaram depoimento e foram liberados, dizendo novamente que não possuíam intenção de atacar ninguém.

“Ficamos preocupados, claro. Situações do tipo eram mais comuns nos Estados Unidos, e agora chegou ao Brasil. Esperamos que não haja nada do tipo aqui, e por isso vamos intensificar as rondas escolares nos colégios públicos e privados, e fazer preventivo também dentro das escolas, nas salas de aula e corredores”, acrescentou.

O Comandante da PM pede ainda que as pessoas tenham cuidado com as fake news, pois depois do caso de Suzano muitas denúncias falsas chegaram até a polícia. “Causa pânico desnecessário. Pelo relato não podemos dizer que os meninos mentiram, não somos psicólogos para analisar o perfil deles, mas a Polícia Civil e o Conselho Tutelar vão seguir acompanhando o caso”, afirma.

O delegado regional de Balneário Camboriú, Fábio Moreira Osório, também foi procurado e disse que em razão da sensibilidade do assunto e para não despertar o interesse de outros jovens em ações similares opta por não se manifestar. Porém, ele informou que os envolvidos foram apreendidos pela Polícia Civil (após condução da Polícia Militar) e o procedimento foi encaminhado ao Ministério Público e ao Poder Judiciário para apreciação.

O secretário municipal de Segurança, David Queiroz, também está sabendo da situação, e conta que coincidentemente nesta segunda-feira (1º) haverá o lançamento do projeto Abraço à Vida nas Escolas, que já está acontecendo no Centro Educacional Municipal Tomaz Francisco Garcia.

“Focamos mais na rede municipal, por isso são as policias Militar e Civil que estão cuidando desse caso, mas estamos acompanhando. Já era nosso foco fazer mais rondas escolares, inclusive com os quatro cães do K9, para termos uma presença menos hostil e nos aproximarmos de uma forma melhor dos alunos. Inclusive, no plano estratégico de segurança já havíamos previsto as palestras nos colégios, tratando de temas como bullying, que é um dos principais geradores dos ataques, e também como os professores e alunos devem reagir em situações do tipo”, completou.

A gerência da educação em Itajaí decidiu suspender os alunos e encaminhá-los para assistência psicológica.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Economia

A queda no rendimento habitual gera um efeito negativo, em cascata, na economia.


Economia


Geral

Yoga, mantras, danças, vivências, terapias, massagem, oficinas, feirinha, almoço natural...


Economia

Secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida


Publicidade


Esportes


Publicidade

Balada acabando? Festa boa? Vá de carona consciente, vá de Garupa!


Geral

 Evento objetiva fomentar o turismo através da observação de aves


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Autoridades abafaram plano de suposto ataque a escola em Balneário Camboriú

Redes sociais.
Alunos da Ruizélio assistindo a uma palestra.
Alunos da Ruizélio assistindo a uma palestra.

Publicidade

Segunda, 1/4/2019 10:02.

Autoridades da segurança pública em Balneário Camboriú “abafaram” o plano de um suposto ataque planejado por alunos à escola estadual Ruizélio Cabral, no Nova Esperança.

Dois alunos, após denúncias de colegas, foram apreendidos pelas autoridades com materiais que indicavam a preparação de um ataque, mas ainda de maneira incipiente, amadora.

Apesar do caso ter acontecido na sexta-feira, ele só veio à tona ontem (31), quando pais de alunos denunciaram a situação.

O “abafa” por parte das autoridades coloca em discussão se isso é ou não correto, se a comunidade tem ou não o direito de ser informada sobre um evento relevante na segurança pública.

A Polícia Militar havia optado por não se pronunciar, mas como o Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) divulgou a ocorrência sem autorização do Comandante, Tenente-Coronel Alexandre Coelho, ele resolveu conversar com o Página 3.

O Comandante explica que por volta das 16h a diretora do colégio os chamou, pois dois alunos denunciaram que outros dois estavam ameaçando cometer um atentado no colégio.

Os denunciados foram chamados e disseram que era brincadeira, que gostavam muito dos militares e de temas polêmicos, como o Estado Islâmico e ataques contra escolas.

“Eles disseram que não tinham intenção de atacar e nem machucar ninguém, porém como sabiam muitos detalhes de outros atentados, resolvemos ir até a casa deles, onde encontramos nos quartos os objetos apreendidos, como munições, explosivos, conteúdo extremista e até um alvo com um criminoso e uma vítima”, contou o Comandante.

O Conselho Tutelar foi acionado para acompanhar o caso e os adolescentes encaminhados à delegacia, mas não ficaram apreendidos.

Eles prestaram depoimento e foram liberados, dizendo novamente que não possuíam intenção de atacar ninguém.

“Ficamos preocupados, claro. Situações do tipo eram mais comuns nos Estados Unidos, e agora chegou ao Brasil. Esperamos que não haja nada do tipo aqui, e por isso vamos intensificar as rondas escolares nos colégios públicos e privados, e fazer preventivo também dentro das escolas, nas salas de aula e corredores”, acrescentou.

O Comandante da PM pede ainda que as pessoas tenham cuidado com as fake news, pois depois do caso de Suzano muitas denúncias falsas chegaram até a polícia. “Causa pânico desnecessário. Pelo relato não podemos dizer que os meninos mentiram, não somos psicólogos para analisar o perfil deles, mas a Polícia Civil e o Conselho Tutelar vão seguir acompanhando o caso”, afirma.

O delegado regional de Balneário Camboriú, Fábio Moreira Osório, também foi procurado e disse que em razão da sensibilidade do assunto e para não despertar o interesse de outros jovens em ações similares opta por não se manifestar. Porém, ele informou que os envolvidos foram apreendidos pela Polícia Civil (após condução da Polícia Militar) e o procedimento foi encaminhado ao Ministério Público e ao Poder Judiciário para apreciação.

O secretário municipal de Segurança, David Queiroz, também está sabendo da situação, e conta que coincidentemente nesta segunda-feira (1º) haverá o lançamento do projeto Abraço à Vida nas Escolas, que já está acontecendo no Centro Educacional Municipal Tomaz Francisco Garcia.

“Focamos mais na rede municipal, por isso são as policias Militar e Civil que estão cuidando desse caso, mas estamos acompanhando. Já era nosso foco fazer mais rondas escolares, inclusive com os quatro cães do K9, para termos uma presença menos hostil e nos aproximarmos de uma forma melhor dos alunos. Inclusive, no plano estratégico de segurança já havíamos previsto as palestras nos colégios, tratando de temas como bullying, que é um dos principais geradores dos ataques, e também como os professores e alunos devem reagir em situações do tipo”, completou.

A gerência da educação em Itajaí decidiu suspender os alunos e encaminhá-los para assistência psicológica.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade