Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Polícia
Operação no Brás, São Paulo, apreende 30 mil relógios falsificados

Os produtos são réplicas de marcas famosas

Quarta, 24/4/2019 9:12.
Reprodução.

Publicidade

LEONARDO ZVARICK
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Cerca de 30 mil relógios falsificados ou contrabandeados foram apreendidos nesta terça-feira (23) em shopping popular no Brás (região central). Os produtos, réplicas de marcas famosas, foram encontrados em 27 boxes do centro comercial. O valor estimado da carga é de R$ 4,5 milhões.

A operação foi realizada de manhã pela Receita Federal e prefeitura. A operação contou com apoio da GCM (Guarda Civil Metropolitana).

A ação foi orientada por imagens em vídeo obtidas pela Receita, onde foi possível identificar estabelecimentos que comercializavam os produtos ilícitos, frutos de contrabando.

Segundo o auditor-fiscal Alan Towersey, o material foi removido para o depósito do órgão. Após processo administrativo, as mercadorias devem ser destruídas e a sucata será leiloada.

Os boxes onde os relógios foram apreendidos foram lacrados e os contratos com lojistas serão rescindidos, segundo a prefeitura. Os envolvidos vão responder administrativa e criminalmente. Em fevereiro deste ano, o shopping foi interditado temporariamente devido a denúncias de diversas marcas, que alegaram à Justiça que artigos falsificados eram vendidos no local.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Reprodução.

Operação no Brás, São Paulo, apreende 30 mil relógios falsificados

Os produtos são réplicas de marcas famosas

Publicidade

Quarta, 24/4/2019 9:12.

LEONARDO ZVARICK
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Cerca de 30 mil relógios falsificados ou contrabandeados foram apreendidos nesta terça-feira (23) em shopping popular no Brás (região central). Os produtos, réplicas de marcas famosas, foram encontrados em 27 boxes do centro comercial. O valor estimado da carga é de R$ 4,5 milhões.

A operação foi realizada de manhã pela Receita Federal e prefeitura. A operação contou com apoio da GCM (Guarda Civil Metropolitana).

A ação foi orientada por imagens em vídeo obtidas pela Receita, onde foi possível identificar estabelecimentos que comercializavam os produtos ilícitos, frutos de contrabando.

Segundo o auditor-fiscal Alan Towersey, o material foi removido para o depósito do órgão. Após processo administrativo, as mercadorias devem ser destruídas e a sucata será leiloada.

Os boxes onde os relógios foram apreendidos foram lacrados e os contratos com lojistas serão rescindidos, segundo a prefeitura. Os envolvidos vão responder administrativa e criminalmente. Em fevereiro deste ano, o shopping foi interditado temporariamente devido a denúncias de diversas marcas, que alegaram à Justiça que artigos falsificados eram vendidos no local.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade