Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Policia
Filha de trabalhador de Camboriú, morto pela PM por engano, será indenizada pelo Estado

Sexta, 30/8/2019 12:16.
Divulgação
Valdir Alves Rosa

Publicidade

A filha do pedreiro Valdir Alves Rosa, 47 anos, assassinado pela Polícia Militar por engano em uma operação policial em Camboriú, em janeiro de 2017, será indenizada por danos morais pelo Estado. O resultado da ação judicial saiu nessa semana.

Segundo informações, o Estado pagará R$ 50 mil para a mulher. A PM teria confundido Valdir com um criminoso, durante perseguição perto da casa dele. No momento em que foi morto, o pedreiro dormia na sacada de sua casa.

Investigações apontaram que os policiais teriam visto duas pessoas correndo em direção aos fundos de uma igreja e depois teriam sido vistas subindo a escada do sobrado onde Valdir morava. Foi nesse momento em que ele foi baleado e morto.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Opinião

"Com estes valores, nenhuma unidade de saúde consegue se manter como PORTA ABERTA"


Cidade

Prefeitura é dona de terreno, próximo ao local, que poderia receber o Mercado


Brasil


Política

O vereador aproveitou que estava em Brasília pra falar sobre o saneamento básico de Camboriú


Cidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Filha de trabalhador de Camboriú, morto pela PM por engano, será indenizada pelo Estado

Divulgação
Valdir Alves Rosa
Valdir Alves Rosa

Publicidade

Sexta, 30/8/2019 12:16.

A filha do pedreiro Valdir Alves Rosa, 47 anos, assassinado pela Polícia Militar por engano em uma operação policial em Camboriú, em janeiro de 2017, será indenizada por danos morais pelo Estado. O resultado da ação judicial saiu nessa semana.

Segundo informações, o Estado pagará R$ 50 mil para a mulher. A PM teria confundido Valdir com um criminoso, durante perseguição perto da casa dele. No momento em que foi morto, o pedreiro dormia na sacada de sua casa.

Investigações apontaram que os policiais teriam visto duas pessoas correndo em direção aos fundos de uma igreja e depois teriam sido vistas subindo a escada do sobrado onde Valdir morava. Foi nesse momento em que ele foi baleado e morto.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade