Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Polícia
Presidente da Amazon acusa dona de tabloide de chantagem e tentativa de extorsão

Jeff Bezos é o homem mais rico do mundo

Sexta, 8/2/2019 9:04.
Reprodução.
Tabloide sensacionalista encontrou adversário rico e decidido.

Publicidade

DANIELLE BRANT
NOVA YORK, EUA (FOLHAPRESS) - Jeff Bezos, presidente da Amazon e homem mais rico do mundo, acusou nesta quinta-feira (7) a empresa que publica o tabloide National Enquirer de chantagem e tentativa de extorsão, em ameaças que envolveriam a publicação de fotos íntimas que ele enviou à namorada, Lauren Sanchez.

Segundo Bezos, 55, representantes de David Pecker, dono da AMI, que publica o tabloide, teriam mandado e-mails ameaçando expor as imagens. O objetivo seria deter a investigação de Bezos sobre como a empresa teria obtido mensagens privadas que trocou com Sanchez, 49, ex-apresentadora de TV.

No início do mês, o dono da Amazon e do The Washington Post comunicou que estava se separando de Mackenzie, com quem ficou casado por 25 anos. No mesmo dia do anúncio, o National Enquirer noticiou sobre o relacionamento de Sanchez e do bilionário, com fotos dos dois juntos e mensagens trocadas por ambos.

Bezos disse ainda que a empresa queria que o dono da Amazon e do jornal The Washington Post negasse publicamente qualquer motivação política na cobertura de seu divórcio.

Em publicação desta quinta, o bilionário disse que, nas cartas da AMI que ele estava tornando públicas, era possível encontrar "detalhes precisos da proposta de extorsão: eles vão publicar as fotos pessoais a menos que Gavin de Becker [chefe de segurança de Bezos] e eu façamos declarações públicas falsas à imprensa de que 'não temos conhecimento ou base para sugerir que a cobertura da AMI foi motivada politicamente ou influenciada por fatores políticos'."

"As comunicações cimentam a reputação de longo tempo conquistada pela AMI de instrumentalizar privilégios jornalísticos, se escondendo por trás de importantes proteções, e ignorando os princípios e propósitos do verdadeiro jornalismo", disse.

"Claro, eu não quero fotos pessoais publicadas, mas eu também não vou participar de sua prática bem conhecida de chantagem, favores políticos, ataques políticos e corrupção."

O empresário disse que preferiu expor a situação e acompanhar o desenrolar da história do que acatar a tentativa de chantagem.
Em um dos e-mails publicados por Bezos, um dos editores do National Enquirer, Dylan Howard, parece sugerir que o tabloide publicaria fotos reveladoras do dono da Amazon e de Sanchez.

Na mensagem, Howard diz que para "agilizar a situação, e com The Washington Post pronto para publicar rumores infundados sobre a reportagem inicial do The National Enquirer, eu queria descrever as fotos obtidas durante nossa coleta de informações". Para Bezos, "nenhum editor teria prazer em enviar esse email. Eu espero que o senso comum possa prevalecer -e rapidamente."

Na rede, Bezos escreveu que a AMI ainda afirmou que o conteúdo das fotos teria valor noticioso, pois colocaria em xeque a capacidade de julgamento e decisão de Bezos sobre os negócios frente aos acionistas da Amazon.

Não é a primeira controvérsia envolvendo o tabloide. Bezos citou os casos envolvendo o presidente Donald Trump.

Em dezembro, a AMI fechou um acordo com a procuradoria federal americana em uma investigação envolvendo o pagamento a duas mulheres que diziam ter tido um caso com o presidente Donald Trump, em episódio investigado por supostamente violar regras de financiamento de campanha eleitoral no país.

A AMI admitiu que o pagamento de US$ 150 mil à ex-modelo da Playboy Karen McDougal, em agosto de 2016, foi feito em coordenação com a campanha de Trump e tinha intenção de evitar acusações ao candidato. McDougal afirma ter tido um caso com Trump em 2006 e contou a história ao National Enquirer, que, embora tenha pagado a ela o valor combinado, não publicou a reportagem.

A empresa também esteve envolvida nos estágios iniciais da negociação de Michael Cohen, ex-advogado de Trump, com Stormy Daniels, ex-atriz pornô que também afirma ter tido um caso com o presidente americano em 2006. A AMI diz que não pagou à ex-atriz pornô, mas que notificou ao ex-advogado de Trump de que ela estava tentando vender sua história ao tabloide.

A AMI não quis comentar sobre o caso.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Reprodução.
Tabloide sensacionalista encontrou adversário rico e decidido.
Tabloide sensacionalista encontrou adversário rico e decidido.

Presidente da Amazon acusa dona de tabloide de chantagem e tentativa de extorsão

Jeff Bezos é o homem mais rico do mundo

Publicidade

Sexta, 8/2/2019 9:04.

DANIELLE BRANT
NOVA YORK, EUA (FOLHAPRESS) - Jeff Bezos, presidente da Amazon e homem mais rico do mundo, acusou nesta quinta-feira (7) a empresa que publica o tabloide National Enquirer de chantagem e tentativa de extorsão, em ameaças que envolveriam a publicação de fotos íntimas que ele enviou à namorada, Lauren Sanchez.

Segundo Bezos, 55, representantes de David Pecker, dono da AMI, que publica o tabloide, teriam mandado e-mails ameaçando expor as imagens. O objetivo seria deter a investigação de Bezos sobre como a empresa teria obtido mensagens privadas que trocou com Sanchez, 49, ex-apresentadora de TV.

No início do mês, o dono da Amazon e do The Washington Post comunicou que estava se separando de Mackenzie, com quem ficou casado por 25 anos. No mesmo dia do anúncio, o National Enquirer noticiou sobre o relacionamento de Sanchez e do bilionário, com fotos dos dois juntos e mensagens trocadas por ambos.

Bezos disse ainda que a empresa queria que o dono da Amazon e do jornal The Washington Post negasse publicamente qualquer motivação política na cobertura de seu divórcio.

Em publicação desta quinta, o bilionário disse que, nas cartas da AMI que ele estava tornando públicas, era possível encontrar "detalhes precisos da proposta de extorsão: eles vão publicar as fotos pessoais a menos que Gavin de Becker [chefe de segurança de Bezos] e eu façamos declarações públicas falsas à imprensa de que 'não temos conhecimento ou base para sugerir que a cobertura da AMI foi motivada politicamente ou influenciada por fatores políticos'."

"As comunicações cimentam a reputação de longo tempo conquistada pela AMI de instrumentalizar privilégios jornalísticos, se escondendo por trás de importantes proteções, e ignorando os princípios e propósitos do verdadeiro jornalismo", disse.

"Claro, eu não quero fotos pessoais publicadas, mas eu também não vou participar de sua prática bem conhecida de chantagem, favores políticos, ataques políticos e corrupção."

O empresário disse que preferiu expor a situação e acompanhar o desenrolar da história do que acatar a tentativa de chantagem.
Em um dos e-mails publicados por Bezos, um dos editores do National Enquirer, Dylan Howard, parece sugerir que o tabloide publicaria fotos reveladoras do dono da Amazon e de Sanchez.

Na mensagem, Howard diz que para "agilizar a situação, e com The Washington Post pronto para publicar rumores infundados sobre a reportagem inicial do The National Enquirer, eu queria descrever as fotos obtidas durante nossa coleta de informações". Para Bezos, "nenhum editor teria prazer em enviar esse email. Eu espero que o senso comum possa prevalecer -e rapidamente."

Na rede, Bezos escreveu que a AMI ainda afirmou que o conteúdo das fotos teria valor noticioso, pois colocaria em xeque a capacidade de julgamento e decisão de Bezos sobre os negócios frente aos acionistas da Amazon.

Não é a primeira controvérsia envolvendo o tabloide. Bezos citou os casos envolvendo o presidente Donald Trump.

Em dezembro, a AMI fechou um acordo com a procuradoria federal americana em uma investigação envolvendo o pagamento a duas mulheres que diziam ter tido um caso com o presidente Donald Trump, em episódio investigado por supostamente violar regras de financiamento de campanha eleitoral no país.

A AMI admitiu que o pagamento de US$ 150 mil à ex-modelo da Playboy Karen McDougal, em agosto de 2016, foi feito em coordenação com a campanha de Trump e tinha intenção de evitar acusações ao candidato. McDougal afirma ter tido um caso com Trump em 2006 e contou a história ao National Enquirer, que, embora tenha pagado a ela o valor combinado, não publicou a reportagem.

A empresa também esteve envolvida nos estágios iniciais da negociação de Michael Cohen, ex-advogado de Trump, com Stormy Daniels, ex-atriz pornô que também afirma ter tido um caso com o presidente americano em 2006. A AMI diz que não pagou à ex-atriz pornô, mas que notificou ao ex-advogado de Trump de que ela estava tentando vender sua história ao tabloide.

A AMI não quis comentar sobre o caso.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade