Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Sobrevoo de helicópteros em operação rompe calmaria de condomínio de Bolsonaro
Reprodução

Terça, 12/3/2019 15:41.

CATIA SEABRA (FOLHAPRESS)

O ruidoso sobrevoo de dois helicópteros rompeu, às 5h30 desta terça-feira (12), a calmaria do Condomínio Vivendas da Barra, endereço do policial reformado Ronnie Lessa, 48, e do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Lessa e sua família moram na rua C, a mesma de Bolsonaro. Com cerca de 280 metros quadrados e ocupando um terreno de 400 metros quadrados, a casa do ex-policial está a menos de 100 metros da residência de Bolsonaro.

Nesta manhã, após a prisão, sete policiais estavam diante da casa de dois andares, branca com detalhes em azul, de onde levaram documentos e computadores. Essa não é a primeira vez que Lessa quebra a rotina do condomínio de 150 unidades.

Sem fornecimento direto da Cedae, a casa tem que ser abastecida de água com uso de carros-pipas, o que chegou a provocar desconforto aos vizinhos. O policial reformado também já pediu autorização para fixação de uma câmera de segurança no poste de luz do condomínio. Como não obteve autorização, ele instalou um poste dentro de casa, com a câmera voltada para a rua.

A casa de Lessa tem cerca e portão altos. Destoa em um condomínio sem muros e onde o acesso às ruas se dá no terreno das casas. Na lateral da casa do vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente, por exemplo, há uma calçada onde é possível caminhar até a rua ao lado.

À noite, as crianças brincam pelas ruas e, com acesso livre, os gatos são identificados apenas por coleiras. No Vivendas, há segurança privada. Na entrada, visitantes se identificam na guarita, com autorização prévia do morador.

Mas, desde a eleição, dois agentes federais armados fazem guarda na porta da casa de Bolsonaro. À exceção dos moradores, os motoristas são obrigados a apresentar documento para entrada no Condomínio. No Vivendas, onde um aluguel pode superar R$ 8.000, as ruas são identificadas por letras. A de Lessa é a 86.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Educação

São rodas de conversa e palestras em toda a rede municipal


Geral

 O encontro traz à cidade palestrantes renomados no país. 


Cidade

Ainda acontecerão mais quatro escalas


Publicidade


Geral

Captura além da cota em 2018 é o argumento do governo para impedir a safra de 2019.  


Esportes

Um dos campeões é de Balneário Camboriú


Geral


Cidade

Não iniciou e diretor da segunda colocada na liciitação é acusado na Lava Jato


Publicidade


Justiça

A prisão após a condenação em segunda instância, será avaliada em abril pelo STF.


Política


Geral

Leitores lançam suspeitas sobre procedimento da Caixa


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Sobrevoo de helicópteros em operação rompe calmaria de condomínio de Bolsonaro

Reprodução
Terça, 12/3/2019 15:41.

CATIA SEABRA (FOLHAPRESS)

O ruidoso sobrevoo de dois helicópteros rompeu, às 5h30 desta terça-feira (12), a calmaria do Condomínio Vivendas da Barra, endereço do policial reformado Ronnie Lessa, 48, e do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Lessa e sua família moram na rua C, a mesma de Bolsonaro. Com cerca de 280 metros quadrados e ocupando um terreno de 400 metros quadrados, a casa do ex-policial está a menos de 100 metros da residência de Bolsonaro.

Nesta manhã, após a prisão, sete policiais estavam diante da casa de dois andares, branca com detalhes em azul, de onde levaram documentos e computadores. Essa não é a primeira vez que Lessa quebra a rotina do condomínio de 150 unidades.

Sem fornecimento direto da Cedae, a casa tem que ser abastecida de água com uso de carros-pipas, o que chegou a provocar desconforto aos vizinhos. O policial reformado também já pediu autorização para fixação de uma câmera de segurança no poste de luz do condomínio. Como não obteve autorização, ele instalou um poste dentro de casa, com a câmera voltada para a rua.

A casa de Lessa tem cerca e portão altos. Destoa em um condomínio sem muros e onde o acesso às ruas se dá no terreno das casas. Na lateral da casa do vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente, por exemplo, há uma calçada onde é possível caminhar até a rua ao lado.

À noite, as crianças brincam pelas ruas e, com acesso livre, os gatos são identificados apenas por coleiras. No Vivendas, há segurança privada. Na entrada, visitantes se identificam na guarita, com autorização prévia do morador.

Mas, desde a eleição, dois agentes federais armados fazem guarda na porta da casa de Bolsonaro. À exceção dos moradores, os motoristas são obrigados a apresentar documento para entrada no Condomínio. No Vivendas, onde um aluguel pode superar R$ 8.000, as ruas são identificadas por letras. A de Lessa é a 86.

Publicidade

Publicidade