Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Witzel diz que delegado do caso Marielle deve ser afastado

Quarta, 13/3/2019 13:34.

ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER (FOLHAPRESS)

O governador do Rio, Wilson Witzel, disse nesta quarta (12) que convidou o delegado Giniton Lages, responsável pelas investigações sobre a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e seu motorista, Anderson Gomes, para fazer um intercâmbio com a polícia italiana para estudar máfia e movimentos criminosos.

O afastamento de Lages, que é titular da DH (Delegacia de Homicídios) do Rio, chega num momento nevrálgico do caso -a prisão de dois suspeitos de atirar e dirigir o carro usado na emboscada, respectivamente o sargento reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Élcio Queiroz.

Na terça, o delegado afirmou a jornalistas que as investigações sobre o duplo assassinato, prestes a completar um ano, ainda estão no início.

Segundo Witzel, a temporada de Lages no exterior, se confirmada, vai durar quatro meses. Ele negou que seja estranho tirá-lo do caso a essa altura, porque outros delegados continuarão na investigação, afirmou o governador.

Em 2018, Lages foi acusado pelo miliciano Orlando da Curicica, atualmente preso, de tentar pressioná-lo para confessar a autoria do crime. A intenção seria acobertar os autores reais, o que foi negado à época.

O governador afirmou que o titular da DH teve estafa mental, algo pelo qual ele mesmo, quando era juiz, já passou. Lages dizia que queria tirar férias após o encerramento do caso. Um possível substituto ainda não foi apontado.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Cultura

 Programação inicia no dia 22 de maio com concerto de piano à quatro mãos


Cidade

Agora o município tem duas datas para festejar: 26 de abril e 20 de julho


Política

"Indesejáveis" como a Parada da Diversidade seriam mandados para a Quarta Avenida


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Witzel diz que delegado do caso Marielle deve ser afastado

Publicidade

Quarta, 13/3/2019 13:34.

ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER (FOLHAPRESS)

O governador do Rio, Wilson Witzel, disse nesta quarta (12) que convidou o delegado Giniton Lages, responsável pelas investigações sobre a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e seu motorista, Anderson Gomes, para fazer um intercâmbio com a polícia italiana para estudar máfia e movimentos criminosos.

O afastamento de Lages, que é titular da DH (Delegacia de Homicídios) do Rio, chega num momento nevrálgico do caso -a prisão de dois suspeitos de atirar e dirigir o carro usado na emboscada, respectivamente o sargento reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Élcio Queiroz.

Na terça, o delegado afirmou a jornalistas que as investigações sobre o duplo assassinato, prestes a completar um ano, ainda estão no início.

Segundo Witzel, a temporada de Lages no exterior, se confirmada, vai durar quatro meses. Ele negou que seja estranho tirá-lo do caso a essa altura, porque outros delegados continuarão na investigação, afirmou o governador.

Em 2018, Lages foi acusado pelo miliciano Orlando da Curicica, atualmente preso, de tentar pressioná-lo para confessar a autoria do crime. A intenção seria acobertar os autores reais, o que foi negado à época.

O governador afirmou que o titular da DH teve estafa mental, algo pelo qual ele mesmo, quando era juiz, já passou. Lages dizia que queria tirar férias após o encerramento do caso. Um possível substituto ainda não foi apontado.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade