Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Polícia
Polícia conclui inquérito de homicídio ocorrido em Balneário contra membro de facção gaúcha

Segunda, 26/10/2020 17:21.
Arquivo Pessoal

Publicidade

A Polícia Civil de Santa Catarina, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Balneário Camboriú, em trabalho conjunto com a Polícia Civil do Rio Grande do Sul, com apoio do GAECO de Santa Catarina, finalizou o inquérito policial que investigava a morte de Douglas Gonçalves Romano, ex-integrante de uma facção criminosa gaúcha que foi morto em Balneário no dia 23 de fevereiro deste ano.

Ele havia sofrido uma tentativa de homicídio no dia 2 do mesmo mês, mas sobreviveu.

O que a Polícia Civil concluiu

Ao final do inquérito policial, a Polícia Civil representou pela decretação da prisão preventiva dos suspeitos, sendo deferidos cinco mandados de prisão, contudo, até o presente momento, os suspeitos Nathanel dos Santos Fernandes e Daiane Fontela Camilo encontram-se foragidos. Os demais envolvidos foram presos.

Além dos cinco representados, duas pessoas maiores de 18 anos e uma adolescente também tiveram participação no crime. Em relação a eles, não foi necessária a decretação de medidas cautelares.

Relembre

Douglas participou de uma delação premiada, em 2017, que culminou em mais de 60 processos contra a facção (Bala na Cara) a qual ele integrava. Antes de ajudar a polícia, ele era o chefe do tráfico de um bairro da zona norte de Porto Alegre. Ele estava morando em SC (primeiro em Camboriú, depois mudou-se para Balneário) com o apoio do programa de proteção a testemunhas, porém em janeiro deste ano pediu para se desligar do mesmo. Foi assassinado um mês depois na Rua Justiniano Neves, no Bairro Pioneiros.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Arquivo Pessoal

Polícia conclui inquérito de homicídio ocorrido em Balneário contra membro de facção gaúcha

Publicidade

Segunda, 26/10/2020 17:21.

A Polícia Civil de Santa Catarina, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Balneário Camboriú, em trabalho conjunto com a Polícia Civil do Rio Grande do Sul, com apoio do GAECO de Santa Catarina, finalizou o inquérito policial que investigava a morte de Douglas Gonçalves Romano, ex-integrante de uma facção criminosa gaúcha que foi morto em Balneário no dia 23 de fevereiro deste ano.

Ele havia sofrido uma tentativa de homicídio no dia 2 do mesmo mês, mas sobreviveu.

O que a Polícia Civil concluiu

Ao final do inquérito policial, a Polícia Civil representou pela decretação da prisão preventiva dos suspeitos, sendo deferidos cinco mandados de prisão, contudo, até o presente momento, os suspeitos Nathanel dos Santos Fernandes e Daiane Fontela Camilo encontram-se foragidos. Os demais envolvidos foram presos.

Além dos cinco representados, duas pessoas maiores de 18 anos e uma adolescente também tiveram participação no crime. Em relação a eles, não foi necessária a decretação de medidas cautelares.

Relembre

Douglas participou de uma delação premiada, em 2017, que culminou em mais de 60 processos contra a facção (Bala na Cara) a qual ele integrava. Antes de ajudar a polícia, ele era o chefe do tráfico de um bairro da zona norte de Porto Alegre. Ele estava morando em SC (primeiro em Camboriú, depois mudou-se para Balneário) com o apoio do programa de proteção a testemunhas, porém em janeiro deste ano pediu para se desligar do mesmo. Foi assassinado um mês depois na Rua Justiniano Neves, no Bairro Pioneiros.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade