Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Vereadores reagem a difamação de Balneário Camboriú por jornalista

Quarta, 20/2/2019 11:46.
Divulgação CVBC.

Publicidade

A reportagem assinada por um jornalista fantasma "detonando" Balneário Camboriú, publicada em um jornal do interior do Paraná, foi o tema central da tribuna livre da sessão legislativa desta terça-feira (19).

Vários vereadores mostraram indignação e ‘elevaram’ o tom para falar sobre o assunto.

O vereador Marcelo Achutti disse que a secretaria de Turismo deveria convidar o jornal para ver como se encontra a cidade.

“Compreendemos e temos problemas para resolver, a questão do canal do Marambaia, o saneamento de Camboriú, moradores de rua temos também alguns, mas nossa cidade é maravilhosa, somos a capital catarinense do turismo, fomentamos o turismo, a cidade é bem administrada, é referência no Brasil. A secretaria de Turismo deveria ter ligado ao jornal, como fez com Cacau Menezes quando fez críticas a Balneário Camboriú. Problemas toda cidade tem, mas temos 95% da rede de esgoto, somos referência no país, temos resolvido questões importantes de mobilidade, vamos continuar resolvendo os problemas, mas não podemos aceitar
essas críticas que tentam desconstruir a imagem da cidade. Balneário Camboriú não pode ter partido político, a cidade tem que se unir e fazer o enfrentamento quando acontece uma coisa dessas. Por isso eu cobro uma ação da secretaria de Turismo, fazer esse enfrentamento e convidar esse jornal para vir aqui”.

O vereador Gelson Rodrigues disse que quem está acostumado com fantasma é o governo anterior.

“Inclusive o nome de um fantasma é o mesmo nome de um dos melhores jornalistas de Balneário Camboriú. Quem plantou esta matéria no jornal de Curitiba, não aceitou a derrota humilhante nas urnas e agora quer aparecer de qualquer forma”, disse Rodrigues, sugerindo que quem fez isso que vá arrumar o que fazer e que deixe o governo de mãos limpas trabalhar. O vereador apresentou ainda dois áudios, um dos jornalista Waldemar Cezar Neto que ligou ao jornal e outro do prefeito Fabrício Oliveira.

O vereador Bola Pereira acredita que quem fez isso queria denegrir Balneário Camboriú de propósito, desmerecer a cidade e acha que foi alguém daqui mesmo, mas os problemas existem.

“O governo tem que tomar medidas para que não dê oportunidades, tivemos períodos de água suja nas torneiras, alguns períodos de manchas pretas como nunca antes no canal do Marambaia, não sei se sabotagem ou não, nunca tivemos tantas algas em tão grande quantidade como em janeiro, e as pessoas que vêm veranear aqui querem mandar fotografias daqui e se mandam uma imagem dessas, é ruím. O texto foi maldoso, mas o problema existe. Temos que intensificar a busca de soluções e principalmente investimento em pesquisa para saber o que aconteceu. Isso não tira o direito do vereador de cobrar as coisas, todos temos que cuidar da nossa casa”.

O vereador Nilson Probst também fez críticas, mas ao mesmo tempo disse que a cidade ‘não está tão bem assim’ e sugeriu contratar o ‘Rambo’ que é do Paraná, para descobrir quem escreveu a reportagem. Ele se referia ao ex-secretário municipal de segurança, Gabriel Castanheira, seu desafeto. Probst disse que tem mais gente do Paraná que chega na cidade e fica dando ordens, aproveitando a oportunidade para denunciar que a professora Simone Ricardo, funcionária efetiva e ex-secretária da Educação, foi colocada à disposição no projeto Oficinas, por alguém que veio do Paraná. 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação CVBC.

Vereadores reagem a difamação de Balneário Camboriú por jornalista

Publicidade

Quarta, 20/2/2019 11:46.

A reportagem assinada por um jornalista fantasma "detonando" Balneário Camboriú, publicada em um jornal do interior do Paraná, foi o tema central da tribuna livre da sessão legislativa desta terça-feira (19).

Vários vereadores mostraram indignação e ‘elevaram’ o tom para falar sobre o assunto.

O vereador Marcelo Achutti disse que a secretaria de Turismo deveria convidar o jornal para ver como se encontra a cidade.

“Compreendemos e temos problemas para resolver, a questão do canal do Marambaia, o saneamento de Camboriú, moradores de rua temos também alguns, mas nossa cidade é maravilhosa, somos a capital catarinense do turismo, fomentamos o turismo, a cidade é bem administrada, é referência no Brasil. A secretaria de Turismo deveria ter ligado ao jornal, como fez com Cacau Menezes quando fez críticas a Balneário Camboriú. Problemas toda cidade tem, mas temos 95% da rede de esgoto, somos referência no país, temos resolvido questões importantes de mobilidade, vamos continuar resolvendo os problemas, mas não podemos aceitar
essas críticas que tentam desconstruir a imagem da cidade. Balneário Camboriú não pode ter partido político, a cidade tem que se unir e fazer o enfrentamento quando acontece uma coisa dessas. Por isso eu cobro uma ação da secretaria de Turismo, fazer esse enfrentamento e convidar esse jornal para vir aqui”.

O vereador Gelson Rodrigues disse que quem está acostumado com fantasma é o governo anterior.

“Inclusive o nome de um fantasma é o mesmo nome de um dos melhores jornalistas de Balneário Camboriú. Quem plantou esta matéria no jornal de Curitiba, não aceitou a derrota humilhante nas urnas e agora quer aparecer de qualquer forma”, disse Rodrigues, sugerindo que quem fez isso que vá arrumar o que fazer e que deixe o governo de mãos limpas trabalhar. O vereador apresentou ainda dois áudios, um dos jornalista Waldemar Cezar Neto que ligou ao jornal e outro do prefeito Fabrício Oliveira.

O vereador Bola Pereira acredita que quem fez isso queria denegrir Balneário Camboriú de propósito, desmerecer a cidade e acha que foi alguém daqui mesmo, mas os problemas existem.

“O governo tem que tomar medidas para que não dê oportunidades, tivemos períodos de água suja nas torneiras, alguns períodos de manchas pretas como nunca antes no canal do Marambaia, não sei se sabotagem ou não, nunca tivemos tantas algas em tão grande quantidade como em janeiro, e as pessoas que vêm veranear aqui querem mandar fotografias daqui e se mandam uma imagem dessas, é ruím. O texto foi maldoso, mas o problema existe. Temos que intensificar a busca de soluções e principalmente investimento em pesquisa para saber o que aconteceu. Isso não tira o direito do vereador de cobrar as coisas, todos temos que cuidar da nossa casa”.

O vereador Nilson Probst também fez críticas, mas ao mesmo tempo disse que a cidade ‘não está tão bem assim’ e sugeriu contratar o ‘Rambo’ que é do Paraná, para descobrir quem escreveu a reportagem. Ele se referia ao ex-secretário municipal de segurança, Gabriel Castanheira, seu desafeto. Probst disse que tem mais gente do Paraná que chega na cidade e fica dando ordens, aproveitando a oportunidade para denunciar que a professora Simone Ricardo, funcionária efetiva e ex-secretária da Educação, foi colocada à disposição no projeto Oficinas, por alguém que veio do Paraná. 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade