Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Ministro do Turismo quer aumentar o número de empregos gerados pelo setor
EBC.

Quinta, 3/1/2019 5:08.

LETÍCIA CASADO
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O deputado Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) tomou posse nesta quarta-feira (2) como ministro do Turismo.

Em seu discurso durante a cerimônia, disse que tem como objetivo alcançar as metas do Plano Nacional de Turismo 2018-2022, que estabelece diretrizes e estratégias para a implementação da Política Nacional de Turismo.

Uma das metas citadas por Álvaro Antônio é aumentar o número de empregos gerados pelo setor, passando de quase 7 milhões para 9 milhões até 2022.

Segundo ele, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) "enxerga a atividade turística como vetor econômico para o Brasil".

"O setor do turismo é um dos principais ativos econômicos brasileiros. Colocá-lo no centro da agenda política e econômica do governo será uma das prioridades da minha gestão", afirmou.

Outras metas citadas por Álvaro Antônio são inserir 40 milhões de brasileiros no turismo doméstico, dobrar o número de turistas estrangeiros no país e aumentar a receita advinda deles, saindo de US$ 6,6 bilhões para US$ 19 bilhões em 2022.

Para ele, "as metas podem ser consideradas ambiciosas, mas, na verdade, são reflexo de toda essa vocação do Brasil para o turismo".

Entre as dificuldades citadas por Álvaro Antônio estão a falta de priorização do setor, a necessidade de melhorar o ambiente de negócios e a conectividade aérea, reduzir o custo-Brasil e incentivar o empreendedorismo.

"Turismo não é apenas uma atividade lúdica. Turismo é negócio, é geração de emprego e renda, é responsabilidade social e sustentabilidade", afirmou.

Álvaro Antônio também mencionou como importantes os projetos de lei que afetam o setor e tramitam no Congresso Nacional, como a atualização da lei geral do turismo e o projeto que moderniza a Embratur.

Segundo ele, outros países da América Latina investem mais que o Brasil no setor.

"Hoje recebemos 0,5% dos turistas que viajam no mundo. São 6,6 milhões de estrangeiros na nossa terra, enquanto mais de 1,3 bilhão de pessoas viajam pelo globo. Não podemos ficar inertes enquanto países como Argentina, Equador e México investem três, cinco, até 24 vezes mais em promoção turística internacional, se comparados ao Brasil", disse.

O ministro parabenizou e agradeceu seu antecessor, Vinicius Lummertz, que assumiu o cargo de secretário estadual de Turismo de São Paulo, na gestão João Doria (PSDB).

"O senhor deixou a estrada pavimentada. Assumo o volante a partir de agora, com o objetivo de seguir esse caminho rumo ao desenvolvimento dessa atividade", destacou.

Álvaro Antônio elogiou iniciativas da gestão de Lummertz, como o visto eletrônico e o processo de concessão de parques nacionais para a iniciativa privada que, segundo ele, fazem parte dos planos de uma gestão continuada.

Eleito para o segundo mandato, o parlamentar já foi do PR, sigla pela qual disputou a prefeitura de Belo Horizonte, em 2016, e ficou com 2% dos votos válidos.

Em 2017, filiou-se ao PSL de Bolsonaro, de quem tornou-se especialmente próximo depois do atentado que o presidente eleito foi vítima, em Juiz de Fora (MG). Com o apoio do capitão reformado, foi o parlamentar mais votado de Minas Gerais.

Marcelo Álvaro Antônio, na verdade, se chama Marcelo Henrique Teixeira Dias. Álvaro Antônio (1938-2003) era seu pai, ex-vereador, deputado e vice-prefeito de Belo Horizonte. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Ministro do Turismo quer aumentar o número de empregos gerados pelo setor

EBC.

Publicidade

Quinta, 3/1/2019 5:08.

LETÍCIA CASADO
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O deputado Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) tomou posse nesta quarta-feira (2) como ministro do Turismo.

Em seu discurso durante a cerimônia, disse que tem como objetivo alcançar as metas do Plano Nacional de Turismo 2018-2022, que estabelece diretrizes e estratégias para a implementação da Política Nacional de Turismo.

Uma das metas citadas por Álvaro Antônio é aumentar o número de empregos gerados pelo setor, passando de quase 7 milhões para 9 milhões até 2022.

Segundo ele, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) "enxerga a atividade turística como vetor econômico para o Brasil".

"O setor do turismo é um dos principais ativos econômicos brasileiros. Colocá-lo no centro da agenda política e econômica do governo será uma das prioridades da minha gestão", afirmou.

Outras metas citadas por Álvaro Antônio são inserir 40 milhões de brasileiros no turismo doméstico, dobrar o número de turistas estrangeiros no país e aumentar a receita advinda deles, saindo de US$ 6,6 bilhões para US$ 19 bilhões em 2022.

Para ele, "as metas podem ser consideradas ambiciosas, mas, na verdade, são reflexo de toda essa vocação do Brasil para o turismo".

Entre as dificuldades citadas por Álvaro Antônio estão a falta de priorização do setor, a necessidade de melhorar o ambiente de negócios e a conectividade aérea, reduzir o custo-Brasil e incentivar o empreendedorismo.

"Turismo não é apenas uma atividade lúdica. Turismo é negócio, é geração de emprego e renda, é responsabilidade social e sustentabilidade", afirmou.

Álvaro Antônio também mencionou como importantes os projetos de lei que afetam o setor e tramitam no Congresso Nacional, como a atualização da lei geral do turismo e o projeto que moderniza a Embratur.

Segundo ele, outros países da América Latina investem mais que o Brasil no setor.

"Hoje recebemos 0,5% dos turistas que viajam no mundo. São 6,6 milhões de estrangeiros na nossa terra, enquanto mais de 1,3 bilhão de pessoas viajam pelo globo. Não podemos ficar inertes enquanto países como Argentina, Equador e México investem três, cinco, até 24 vezes mais em promoção turística internacional, se comparados ao Brasil", disse.

O ministro parabenizou e agradeceu seu antecessor, Vinicius Lummertz, que assumiu o cargo de secretário estadual de Turismo de São Paulo, na gestão João Doria (PSDB).

"O senhor deixou a estrada pavimentada. Assumo o volante a partir de agora, com o objetivo de seguir esse caminho rumo ao desenvolvimento dessa atividade", destacou.

Álvaro Antônio elogiou iniciativas da gestão de Lummertz, como o visto eletrônico e o processo de concessão de parques nacionais para a iniciativa privada que, segundo ele, fazem parte dos planos de uma gestão continuada.

Eleito para o segundo mandato, o parlamentar já foi do PR, sigla pela qual disputou a prefeitura de Belo Horizonte, em 2016, e ficou com 2% dos votos válidos.

Em 2017, filiou-se ao PSL de Bolsonaro, de quem tornou-se especialmente próximo depois do atentado que o presidente eleito foi vítima, em Juiz de Fora (MG). Com o apoio do capitão reformado, foi o parlamentar mais votado de Minas Gerais.

Marcelo Álvaro Antônio, na verdade, se chama Marcelo Henrique Teixeira Dias. Álvaro Antônio (1938-2003) era seu pai, ex-vereador, deputado e vice-prefeito de Belo Horizonte. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade