Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Vereadores aprovam Campanha Agosto Lilás

Quarta, 10/7/2019 15:20.
Divulgação

Publicidade

Na sessão legislativa desta terça-feira (9), os vereadores aprovaram o projeto de lei da vereadora Juliethe Nitz, que institui a Campanha Agosto Lilás e o Programa Maria da Penha vai à Escola, que tem a finalidade de sensibilizar a sociedade sobre a violência doméstica e familiar contra a mulher e divulgar a Lei Maria da Penha. A campanha é em alusão à data de sanção da Lei Maria da Penha – Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006.

Neste mês serão realizadas ações de mobilização, palestras, debates, encontros, panfletagens, eventos e seminários visando à divulgação da Lei Maria da Penha, tudo aberto ao público.

O Programa Maria da Penha vai à Escola consiste em ações educativas para estudantes, contemplando prioritariamente alunos do ensino médio das escolas públicas, podendo, entretanto, ser realizado em estabelecimentos particulares de ensino.

O projeto foi aprovado com 15 votos favoráveis, uma abstenção e duas ausências, e segue para sanção do prefeito municipal.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação

Vereadores aprovam Campanha Agosto Lilás

Publicidade

Quarta, 10/7/2019 15:20.

Na sessão legislativa desta terça-feira (9), os vereadores aprovaram o projeto de lei da vereadora Juliethe Nitz, que institui a Campanha Agosto Lilás e o Programa Maria da Penha vai à Escola, que tem a finalidade de sensibilizar a sociedade sobre a violência doméstica e familiar contra a mulher e divulgar a Lei Maria da Penha. A campanha é em alusão à data de sanção da Lei Maria da Penha – Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006.

Neste mês serão realizadas ações de mobilização, palestras, debates, encontros, panfletagens, eventos e seminários visando à divulgação da Lei Maria da Penha, tudo aberto ao público.

O Programa Maria da Penha vai à Escola consiste em ações educativas para estudantes, contemplando prioritariamente alunos do ensino médio das escolas públicas, podendo, entretanto, ser realizado em estabelecimentos particulares de ensino.

O projeto foi aprovado com 15 votos favoráveis, uma abstenção e duas ausências, e segue para sanção do prefeito municipal.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade