Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Em Camboriú Bolsonaro fala sobre criação de colégio militar na capital

Ele cita 'milagre' e prestigia bancada evangélica federal em Santa Catarina

Quinta, 2/5/2019 22:09.
Reprodução
Bolsonaro com Luciano Hang

Publicidade

Acenando para evangélicos, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) participou do evento Gideões, em Camboriú, em Santa Catarina, nesta quinta-feira (2). Ele foi recepcionado por cerca de 5.000 fiéis em um evento grandioso com banda, luzes e apresentações de dança, incluindo uma homenagem a Israel.

"Passei por um dia difícil na minha vida em 6 de setembro. Fui salvo por um milagre. Agradeço a vocês pelas orações. Atingimos um objetivo, entendo como uma missão de Deus que, ao lado de vocês, pessoas de bem, tementes a Deus, cumpriremos essa missão", disse o presidente.

Ele prestigiou a bancada evangélica do Congresso Nacional durante o culto, que contou com as presenças dos deputados Marco Feliciano (Pode-SP), Silas Câmara (PRB-AM) e João Campos (PRB-GO).

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, que frequenta cultos da Igreja Batista Atitude, não estava acompanhando o presidente. Esta é a primeira vez que um presidente participa do evento anual dos Gideões, que ocorre há 37 anos.

No segundo turno da eleição, Bolsonaro fez 75,92% dos votos em Santa Catarina.

No ano passado, em 29 de abril, o presidente também esteve no evento que reúne milhares de evangélicos.

Bolsonaro recebeu uma placa com o provérbio: "quando o justo governa, o povo se alegra".

O evento ocorre anualmente desde 1983 e o grupo Gideões Missionários da Última Hora (GMUH) é uma das múltiplas correntes que compõem a Assembleia de Deus, a maior denominação evangélica do país. O líder da Assembleia de Deus, José Wellington da Costa Júnior, estava no palco, assim como o presidente do GMUH, Zilmar Melquíades Miguel.

O empresário Luciano Hang, das lojas Havan, cuja matriz é em Santa Catarina, esteve no evento e foi recebido com palmas. Hang é entusiasta de Bolsonaro. O general Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), acompanhou o presidente.

O governador do estado, Carlos Moisés (PSL), e o prefeito de Camboriú, Elcio Rogerio Kuhnen (MDB) recepcionaram o presidente.

O lado de fora do ginásio tinha vendedores de itens com apelo religioso e até aluguel de banheiro por R$ 2 em uma residência próxima.

Dentro do ginásio onde ocorreu o evento, cartazes mostravam as ações sociais do GMUH em diversos países, como Haiti e Bolívia. O palco, com duzentas pessoas, foi decorado com flores e iluminado com luzes em tons verdes.

Na edição anterior do evento, Bolsonaro ainda não era oficialmente candidato a presidente. Porém, falou aos fiéis presentes que eles deveriam "eleger alguém parecido com eles". "Minha origem é católica, mas sou casado com uma evangélica", falou.

Um pastor fez uma oração a todos presentes com problemas no estômago enquanto Michelle Bolsonaro colocava as mãos sob o abdômen do então deputado federal. "Bota a mão no estômago delas [pessoas com problemas]", dizia o pastor.

Depois que Bolsonaro sofreu um atentado em setembro de 2018, quando teve o intestino perfurado e precisou ficar internado durante a campanha, fiéis divulgaram nas redes o vídeo da oração afirmando que Bolsonaro não morreu por ter o "estômago blindado" no encontro dos Gideões.

Bolsonaroaproveitou a presença do empresário LucianoHang, dono da rede de lojasHavan, para fazer lobby pela construção de um colégiomilitar também em Santa Catarina.

"Aqui em Santa Catarina,preferencialmente na capital,estamos dispostos, em havendo um terreno, podemosiniciar a negociação para fazer também um colégio militar.Tenho certeza quea construção terá o apoio por parte dos empresárioslocais, porquesó com educação nós tiramos o Brasil do buraco em que se encontra", afirmou Bolsonaro.

Alguns clicks da visita de Bolsonaro a Camboriú

(fotos Divulgação/Facebook)

Bolsonaro é fotogrado com autoridades locais, Fabricio Oliveira, deputado Peninha e o empresário Luciano Hang em meio a um agito de fãs

Prefeito de Balneário Camboriú, Fabricio Oliveira e Jair Bolsonaro, Presidente da República

Jair Bolsonaro e Alexandre Coelho, Comandante do 12 Batalhão da PM

Comandante Alexandre Coelho e o Governador Moisés


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Reprodução
Bolsonaro com Luciano Hang
Bolsonaro com Luciano Hang

Em Camboriú Bolsonaro fala sobre criação de colégio militar na capital

Ele cita 'milagre' e prestigia bancada evangélica federal em Santa Catarina

Publicidade

Quinta, 2/5/2019 22:09.

Acenando para evangélicos, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) participou do evento Gideões, em Camboriú, em Santa Catarina, nesta quinta-feira (2). Ele foi recepcionado por cerca de 5.000 fiéis em um evento grandioso com banda, luzes e apresentações de dança, incluindo uma homenagem a Israel.

"Passei por um dia difícil na minha vida em 6 de setembro. Fui salvo por um milagre. Agradeço a vocês pelas orações. Atingimos um objetivo, entendo como uma missão de Deus que, ao lado de vocês, pessoas de bem, tementes a Deus, cumpriremos essa missão", disse o presidente.

Ele prestigiou a bancada evangélica do Congresso Nacional durante o culto, que contou com as presenças dos deputados Marco Feliciano (Pode-SP), Silas Câmara (PRB-AM) e João Campos (PRB-GO).

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, que frequenta cultos da Igreja Batista Atitude, não estava acompanhando o presidente. Esta é a primeira vez que um presidente participa do evento anual dos Gideões, que ocorre há 37 anos.

No segundo turno da eleição, Bolsonaro fez 75,92% dos votos em Santa Catarina.

No ano passado, em 29 de abril, o presidente também esteve no evento que reúne milhares de evangélicos.

Bolsonaro recebeu uma placa com o provérbio: "quando o justo governa, o povo se alegra".

O evento ocorre anualmente desde 1983 e o grupo Gideões Missionários da Última Hora (GMUH) é uma das múltiplas correntes que compõem a Assembleia de Deus, a maior denominação evangélica do país. O líder da Assembleia de Deus, José Wellington da Costa Júnior, estava no palco, assim como o presidente do GMUH, Zilmar Melquíades Miguel.

O empresário Luciano Hang, das lojas Havan, cuja matriz é em Santa Catarina, esteve no evento e foi recebido com palmas. Hang é entusiasta de Bolsonaro. O general Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), acompanhou o presidente.

O governador do estado, Carlos Moisés (PSL), e o prefeito de Camboriú, Elcio Rogerio Kuhnen (MDB) recepcionaram o presidente.

O lado de fora do ginásio tinha vendedores de itens com apelo religioso e até aluguel de banheiro por R$ 2 em uma residência próxima.

Dentro do ginásio onde ocorreu o evento, cartazes mostravam as ações sociais do GMUH em diversos países, como Haiti e Bolívia. O palco, com duzentas pessoas, foi decorado com flores e iluminado com luzes em tons verdes.

Na edição anterior do evento, Bolsonaro ainda não era oficialmente candidato a presidente. Porém, falou aos fiéis presentes que eles deveriam "eleger alguém parecido com eles". "Minha origem é católica, mas sou casado com uma evangélica", falou.

Um pastor fez uma oração a todos presentes com problemas no estômago enquanto Michelle Bolsonaro colocava as mãos sob o abdômen do então deputado federal. "Bota a mão no estômago delas [pessoas com problemas]", dizia o pastor.

Depois que Bolsonaro sofreu um atentado em setembro de 2018, quando teve o intestino perfurado e precisou ficar internado durante a campanha, fiéis divulgaram nas redes o vídeo da oração afirmando que Bolsonaro não morreu por ter o "estômago blindado" no encontro dos Gideões.

Bolsonaroaproveitou a presença do empresário LucianoHang, dono da rede de lojasHavan, para fazer lobby pela construção de um colégiomilitar também em Santa Catarina.

"Aqui em Santa Catarina,preferencialmente na capital,estamos dispostos, em havendo um terreno, podemosiniciar a negociação para fazer também um colégio militar.Tenho certeza quea construção terá o apoio por parte dos empresárioslocais, porquesó com educação nós tiramos o Brasil do buraco em que se encontra", afirmou Bolsonaro.

Alguns clicks da visita de Bolsonaro a Camboriú

(fotos Divulgação/Facebook)

Bolsonaro é fotogrado com autoridades locais, Fabricio Oliveira, deputado Peninha e o empresário Luciano Hang em meio a um agito de fãs

Prefeito de Balneário Camboriú, Fabricio Oliveira e Jair Bolsonaro, Presidente da República

Jair Bolsonaro e Alexandre Coelho, Comandante do 12 Batalhão da PM

Comandante Alexandre Coelho e o Governador Moisés


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade