Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

“A nossa sorte é que Balneário ama os municípios vizinhos” Paulinha pede ajuda para o Ruth Cardoso
Agência Alesc
Deputada Paulinha usa a tribuna para falar sobre a situação do Ruth Cardoso

Quarta, 22/5/2019 10:36.

A deputada estadual Ana Paula da Silva (Paulinha) usou a tribuna nesta terça-feira (21), para falar sobre a situação do hospital municipal Ruth Cardoso, que fechou as portas da UTI Neonatal, por falta de vagas. Paulinha aproveitou para pedir que o governo do Estado ajude a pagar esta conta, que hoje está nas costas da prefeitura de Balneário Camboriú.

“Nós deveríamos unir forças pra buscar um caminho para o hospital Ruth Cardoso, que não é possível mais ser sustentado unicamente pelo município de Balneário Camboriú. A nossa sorte é que Balneário ama os municípios vizinhos e é um dos mais fortes do Estado, porque de outra forma não teriam condições de mantê-lo de portas abertas e é necessário que haja um diálogo com o governo municipal, com o governo do estado porque hoje quem paga essa conta é o cidadão por conta dessa falta de articulação que não é responsabilidade de um, mas de todos”, disse Paulinha.

Ela lembrou que as portas da UTI Neonatal foram fechadas porque os 10 leitos estão ocupados e que ontem outros 11 pacientes esperavam por internação.

“A UTI fecha porque não tem como atender todo mundo. Não é mais de 30% o atendimento da população de Balneário nesse hospital, ele não tem nenhuma espécie de credenciamento com o Estado, não recebe nenhum tipo de aporte”, enfatizou.

O Hospital

Na manhã desta quarta-feira (22), a direção do Ruth Cardoso informou a situação através desta nota:

“O Hospital Municipal Ruth Cardoso informa que 12 crianças estão na UTI Neonatal e outras duas gestantes estão no centro obstétrico, com possível vaga na UTI.

O Hospital entrou em contato com o Estado e já conversou com a superintendência que se comprometeu a comprar duas vagas privadas. Entretanto, ainda não obteve-se retorno.

Na tarde de terça-feira (21), a direção do Hospital solicitou apoio junto ao Ministério Público.

Desta forma, a suspensão de atendimento na UTI Neonatal se mantém nas próximas horas até que ocorra a transferência dessas crianças e normalize o fluxo tanto na UTI Neonatal quanto no Centro Obstétrico”.

O movimento

No último final de semana, o Ruth Cardoso registrou 455 atendimentos. Deste total, 265 (pouco mais de 58%) são de Balneário Camboriú, 136 (29,9%) de Camboriú, 17 (3,73%) de Itapema e, o restante, de demais municípios da região (8,13%).

Destes números fazem parte 30 nascimentos desde a meia-noite de sexta-feira (17). Desses nascimentos, 11 são de mães de Camboriú, 10 de Balneário Camboriú, quatro de Porto Belo, duas de Itapema e Bombinhas e um de Itajaí.

Informações: Hospital Municipal Ruth Cardoso (47) 3169-3700 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

“A nossa sorte é que Balneário ama os municípios vizinhos” Paulinha pede ajuda para o Ruth Cardoso

Agência Alesc
Deputada Paulinha usa a tribuna para falar sobre a situação do Ruth Cardoso
Deputada Paulinha usa a tribuna para falar sobre a situação do Ruth Cardoso

Publicidade

Quarta, 22/5/2019 10:36.

A deputada estadual Ana Paula da Silva (Paulinha) usou a tribuna nesta terça-feira (21), para falar sobre a situação do hospital municipal Ruth Cardoso, que fechou as portas da UTI Neonatal, por falta de vagas. Paulinha aproveitou para pedir que o governo do Estado ajude a pagar esta conta, que hoje está nas costas da prefeitura de Balneário Camboriú.

“Nós deveríamos unir forças pra buscar um caminho para o hospital Ruth Cardoso, que não é possível mais ser sustentado unicamente pelo município de Balneário Camboriú. A nossa sorte é que Balneário ama os municípios vizinhos e é um dos mais fortes do Estado, porque de outra forma não teriam condições de mantê-lo de portas abertas e é necessário que haja um diálogo com o governo municipal, com o governo do estado porque hoje quem paga essa conta é o cidadão por conta dessa falta de articulação que não é responsabilidade de um, mas de todos”, disse Paulinha.

Ela lembrou que as portas da UTI Neonatal foram fechadas porque os 10 leitos estão ocupados e que ontem outros 11 pacientes esperavam por internação.

“A UTI fecha porque não tem como atender todo mundo. Não é mais de 30% o atendimento da população de Balneário nesse hospital, ele não tem nenhuma espécie de credenciamento com o Estado, não recebe nenhum tipo de aporte”, enfatizou.

O Hospital

Na manhã desta quarta-feira (22), a direção do Ruth Cardoso informou a situação através desta nota:

“O Hospital Municipal Ruth Cardoso informa que 12 crianças estão na UTI Neonatal e outras duas gestantes estão no centro obstétrico, com possível vaga na UTI.

O Hospital entrou em contato com o Estado e já conversou com a superintendência que se comprometeu a comprar duas vagas privadas. Entretanto, ainda não obteve-se retorno.

Na tarde de terça-feira (21), a direção do Hospital solicitou apoio junto ao Ministério Público.

Desta forma, a suspensão de atendimento na UTI Neonatal se mantém nas próximas horas até que ocorra a transferência dessas crianças e normalize o fluxo tanto na UTI Neonatal quanto no Centro Obstétrico”.

O movimento

No último final de semana, o Ruth Cardoso registrou 455 atendimentos. Deste total, 265 (pouco mais de 58%) são de Balneário Camboriú, 136 (29,9%) de Camboriú, 17 (3,73%) de Itapema e, o restante, de demais municípios da região (8,13%).

Destes números fazem parte 30 nascimentos desde a meia-noite de sexta-feira (17). Desses nascimentos, 11 são de mães de Camboriú, 10 de Balneário Camboriú, quatro de Porto Belo, duas de Itapema e Bombinhas e um de Itajaí.

Informações: Hospital Municipal Ruth Cardoso (47) 3169-3700 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade