Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Vereador Achutti vai à justiça para impedir vereadora Juliethe de viajar ao exterior

Segunda, 14/10/2019 10:44.
Facebook pessoal.

Publicidade

O vereador Marcelo Achutti anunciou que entrará com Ação Popular na justiça hoje à tarde em busca de liminar que impeça a vereadora Juliethe Nitz viajar à África do Sul com as despesas custeadas pela Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú.

Juliethe alega que irá em busca de subsídios para a Procuradoria da Mulher, um serviço de amparo do Legislativo implantado dias atrás.

Segundo Marcelo, a vereadora gastará cerca de R$ 15 mil indo ao exterior quando no mesmo período o Tribunal de Justiça de Santa Catarina promoverá gratuitamente seminário de enfrentamento à violência contra a mulher.

“Reconheço trabalho dela nas causas da mulheres, mas isto não significa que vou aceitar ela gastar 15 mil reais para ir à África” protestou Achuttti.

A vereadora Juliethe integrará a comitiva paranaense que representará o Brasil na 6ª Conferência Global sobre Violência contra as Mulheres, que acontecerá na África do Sul, entre os dias 21 e 25 de outubro. Ela apresentará os projetos desenvolvidos no município relativos ao tema do evento.

Ela escreveu uma longa resposta cujo trecho específico a respeito da viagem é o seguinte:

O referido vereador tem todo o direito de me questionar, até porque, mesmo que este queira pesar contra mim palavras de mentira e de mero apelo de ataque político que não tem fundamento, eu, como vereadora e cidadã, não estou acima do bem e do mal, e também não estou acima da lei, mas, questionem-se, porque este vereador não manifestou questionamentos ou fez vídeos quando outros vereadores fizeram viagens internacionais? Será aquela máxima de “dois pesos, duas medidas”? Acredito que sim, e isto, só vem confirmar ainda mais o que digo, que o tal vereador pela sua atitude, prova que a mulher ainda continua sofrendo violência e discriminação, que no meu caso é institucional, e não estou fazendo vitimismo, e sim, comprovando um fato.

O meu cronograma neste congresso mundial que participarei está a disposição para qualquer um ter acesso, e também, em relação as diárias, é uma lei instituída pelos próprios vereadores, e não é ao meu pedido o valor a ser recebido, apenas requeri os dias que estarei lá trabalhando".


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Facebook pessoal.

Vereador Achutti vai à justiça para impedir vereadora Juliethe de viajar ao exterior

Publicidade

Segunda, 14/10/2019 10:44.

O vereador Marcelo Achutti anunciou que entrará com Ação Popular na justiça hoje à tarde em busca de liminar que impeça a vereadora Juliethe Nitz viajar à África do Sul com as despesas custeadas pela Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú.

Juliethe alega que irá em busca de subsídios para a Procuradoria da Mulher, um serviço de amparo do Legislativo implantado dias atrás.

Segundo Marcelo, a vereadora gastará cerca de R$ 15 mil indo ao exterior quando no mesmo período o Tribunal de Justiça de Santa Catarina promoverá gratuitamente seminário de enfrentamento à violência contra a mulher.

“Reconheço trabalho dela nas causas da mulheres, mas isto não significa que vou aceitar ela gastar 15 mil reais para ir à África” protestou Achuttti.

A vereadora Juliethe integrará a comitiva paranaense que representará o Brasil na 6ª Conferência Global sobre Violência contra as Mulheres, que acontecerá na África do Sul, entre os dias 21 e 25 de outubro. Ela apresentará os projetos desenvolvidos no município relativos ao tema do evento.

Ela escreveu uma longa resposta cujo trecho específico a respeito da viagem é o seguinte:

O referido vereador tem todo o direito de me questionar, até porque, mesmo que este queira pesar contra mim palavras de mentira e de mero apelo de ataque político que não tem fundamento, eu, como vereadora e cidadã, não estou acima do bem e do mal, e também não estou acima da lei, mas, questionem-se, porque este vereador não manifestou questionamentos ou fez vídeos quando outros vereadores fizeram viagens internacionais? Será aquela máxima de “dois pesos, duas medidas”? Acredito que sim, e isto, só vem confirmar ainda mais o que digo, que o tal vereador pela sua atitude, prova que a mulher ainda continua sofrendo violência e discriminação, que no meu caso é institucional, e não estou fazendo vitimismo, e sim, comprovando um fato.

O meu cronograma neste congresso mundial que participarei está a disposição para qualquer um ter acesso, e também, em relação as diárias, é uma lei instituída pelos próprios vereadores, e não é ao meu pedido o valor a ser recebido, apenas requeri os dias que estarei lá trabalhando".


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade