Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Órgãos da segurança intensificam o combate à receptação em Balneário Camboriú

Quinta, 19/9/2019 9:27.
Divulgação

Publicidade

Ontem (18) o Grupo Integrado de Segurança Pública, em parceria com o Conselho Comunitário de Segurança (CONSEG) e o Conselho Municipal de Segurança Pública (COMSEP), deram início à campanha 'Receptação é Crime', que tem como objetivo conscientizar a população sobre a receptação de produtos e quais são as penalidades para quem se envolve com esse crime.

15 locais foram visitados. A campanha será permanente na cidade. A ação consiste em orientações de como proceder e na entrega de cartazes, panfletos e adesivos informativos em estabelecimentos comerciais.

Entenda

Receptação consiste na compra de produtos de origem ilícita (muitas vezes furtados/roubados), como celulares e bicicletas muitas vezes, vendidos pessoalmente ou até mesmo online. A pena do crime pode chegar a até oito anos de prisão, além de multas.

Segundo o presidente do CONSEG, Valdir de Andrade, o receptador pode ser tão culpado quanto o autor do crime. “Quando o produto é muito barato, exija sua procedência para não ser indiretamente envolvido no crime de receptação”, ressalta.

Blitzes educativas serão feitas pelos órgãos envolvidos (polícias Civil e Militar, Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros, Instituto Geral de Perícia, CONSEG, COMSEP e Secretaria de Segurança Pública).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação

Órgãos da segurança intensificam o combate à receptação em Balneário Camboriú

Publicidade

Quinta, 19/9/2019 9:27.

Ontem (18) o Grupo Integrado de Segurança Pública, em parceria com o Conselho Comunitário de Segurança (CONSEG) e o Conselho Municipal de Segurança Pública (COMSEP), deram início à campanha 'Receptação é Crime', que tem como objetivo conscientizar a população sobre a receptação de produtos e quais são as penalidades para quem se envolve com esse crime.

15 locais foram visitados. A campanha será permanente na cidade. A ação consiste em orientações de como proceder e na entrega de cartazes, panfletos e adesivos informativos em estabelecimentos comerciais.

Entenda

Receptação consiste na compra de produtos de origem ilícita (muitas vezes furtados/roubados), como celulares e bicicletas muitas vezes, vendidos pessoalmente ou até mesmo online. A pena do crime pode chegar a até oito anos de prisão, além de multas.

Segundo o presidente do CONSEG, Valdir de Andrade, o receptador pode ser tão culpado quanto o autor do crime. “Quando o produto é muito barato, exija sua procedência para não ser indiretamente envolvido no crime de receptação”, ressalta.

Blitzes educativas serão feitas pelos órgãos envolvidos (polícias Civil e Militar, Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros, Instituto Geral de Perícia, CONSEG, COMSEP e Secretaria de Segurança Pública).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade