Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Vereador Piruka sugere projeto de lei sobre sessão de cinema para autistas e pessoas com síndrome de down

Quinta, 26/9/2019 12:30.
Divulgação
Na sessão azul as luzes são levemente acesas e o som é reduzido

Publicidade

O vereador Leonardo Piruka apresentou nesta semana um projeto de lei que sugere que a sessão azul de cinema, destinada especialmente a pessoas que tem autismo e síndrome de down, torne-se lei em Balneário Camboriú.

Um dos shoppings da cidade, o Balneário Shopping, já realizou algumas sessões do tipo, mas a ação não acontece com uma frequência específica, a exemplo do Cine Materna, que é mensal e leva as mães e bebês para o cinema.

A sessão azul é especial. As luzes são levemente acesas e o volume do som é reduzido. Através do projeto, o vereador explica que as crianças, adolescentes e até mesmo adultos que tenham autismo ou síndrome de down podem se sentir mais incluídas socialmente, lembrando que é necessária essa adaptação porque essas pessoas costumam ser hiperativas e sensíveis a luz e a som alto.

“Meu gabinete é bem alinhado com a inclusão social porque uma das minhas assessoras é especialista nessa área. Vi que esse projeto já existe em outras cidades e dá super certo, e tive a ideia de trazê-lo para Balneário”, diz Piruka.

O projeto foi apresentado segunda-feira (23) e o próximo passo será a reunião com os cinemas dos dois shoppings da cidade. Piruka também irá conversar com ONGs que atendem o público alvo na cidade, como a AMA Litoral, Amor Pra Down e APAE.

“Vamos discutir para poder alinhar com eles qual é a melhor forma de fazer acontecer. Queremos que os estabelecimentos tenham a sessão azul em sua programação e não apenas como algo momentâneo. Sendo uma política pública isso se transforma em regra, e não somente uma ação de marketing, algo pontual. Essas pessoas têm direito de serem incluídas e é muito simples fazer uma sessão azul uma ou duas vezes por mês”, acrescenta.

O projeto de lei irá agora para as comissões analisarem e deve entrar em votação nos próximos meses.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação
Na sessão azul as luzes são levemente acesas e o som é reduzido
Na sessão azul as luzes são levemente acesas e o som é reduzido

Vereador Piruka sugere projeto de lei sobre sessão de cinema para autistas e pessoas com síndrome de down

Publicidade

Quinta, 26/9/2019 12:30.

O vereador Leonardo Piruka apresentou nesta semana um projeto de lei que sugere que a sessão azul de cinema, destinada especialmente a pessoas que tem autismo e síndrome de down, torne-se lei em Balneário Camboriú.

Um dos shoppings da cidade, o Balneário Shopping, já realizou algumas sessões do tipo, mas a ação não acontece com uma frequência específica, a exemplo do Cine Materna, que é mensal e leva as mães e bebês para o cinema.

A sessão azul é especial. As luzes são levemente acesas e o volume do som é reduzido. Através do projeto, o vereador explica que as crianças, adolescentes e até mesmo adultos que tenham autismo ou síndrome de down podem se sentir mais incluídas socialmente, lembrando que é necessária essa adaptação porque essas pessoas costumam ser hiperativas e sensíveis a luz e a som alto.

“Meu gabinete é bem alinhado com a inclusão social porque uma das minhas assessoras é especialista nessa área. Vi que esse projeto já existe em outras cidades e dá super certo, e tive a ideia de trazê-lo para Balneário”, diz Piruka.

O projeto foi apresentado segunda-feira (23) e o próximo passo será a reunião com os cinemas dos dois shoppings da cidade. Piruka também irá conversar com ONGs que atendem o público alvo na cidade, como a AMA Litoral, Amor Pra Down e APAE.

“Vamos discutir para poder alinhar com eles qual é a melhor forma de fazer acontecer. Queremos que os estabelecimentos tenham a sessão azul em sua programação e não apenas como algo momentâneo. Sendo uma política pública isso se transforma em regra, e não somente uma ação de marketing, algo pontual. Essas pessoas têm direito de serem incluídas e é muito simples fazer uma sessão azul uma ou duas vezes por mês”, acrescenta.

O projeto de lei irá agora para as comissões analisarem e deve entrar em votação nos próximos meses.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade