Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Gotardo questiona plano econômico do governo para enfrentar a crise do coronavírus

Sexta, 24/4/2020 18:36.

Publicidade

O vereador Lucas Gotardo, do Partido Novo, protocolou um pedido de informações questionando o Executivo qual é o prognóstico da situação financeira e orçamentária do município, frente à brusca queda da arrecadação municipal.

Até o momento, além da iniciativa de reduzir os salários do primeiro escalão, o Executivo não apresentou publicamente outras alternativas de enfrentamento às consequências econômicas trazidas pela pandemia.

O alerta foi dado pelo Partido Novo, que comparou a arrecadação de março/abril de 2020 com o mesmo período do ano passado e constatou um déficit de R$ 30,8 milhões.

Reportagem do Jornal Página 3, desta quinta-feira (23), reforça a preocupação. Ela aponta que se o ritmo de arrecadação dos primeiros 20 dias de abril persistir, o rombo nos cofres públicos pode ultrapassar os R$ 150 milhões neste ano.

Lucas questiona no pedido de informação: quais os impactos da crise ocasionada pelo COVID-19 na arrecadação municipal no mês de março; qual o prognóstico dos impactos da crise ocasionada pelo COVID-19 na arrecadação municipal no meses de abril a dezembro e caso já exista o levantamento, qual o plano de ajuste orçamentário.

O vereador justifica que o mínimo que se espera é a transparência das informações de caráter público, e que elas sejam divulgadas o quanto antes para a população.

Ações de economia no Legislativo

A Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú já aprovou a redução dos salários dos vereadores em 50% e medidas de contenção de gastos como férias e diárias.

Foi protocolado ainda um projeto de autoria do vereador Lucas Gotardo, que propõe a redução dos salários de cargos comissionados do Legislativo. Em números, serão economizados aproximadamente R$ 100 mil por mês. Se a proposta de Lucas for aprovada, o dinheiroeconomizado poderia custear mais de 100 diárias de UTI, conforme a tabela SUS.

O projeto de lei aguarda parecer da presidência para tramitar nas comissões.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Gotardo questiona plano econômico do governo para enfrentar a crise do coronavírus

Publicidade

Sexta, 24/4/2020 18:36.

O vereador Lucas Gotardo, do Partido Novo, protocolou um pedido de informações questionando o Executivo qual é o prognóstico da situação financeira e orçamentária do município, frente à brusca queda da arrecadação municipal.

Até o momento, além da iniciativa de reduzir os salários do primeiro escalão, o Executivo não apresentou publicamente outras alternativas de enfrentamento às consequências econômicas trazidas pela pandemia.

O alerta foi dado pelo Partido Novo, que comparou a arrecadação de março/abril de 2020 com o mesmo período do ano passado e constatou um déficit de R$ 30,8 milhões.

Reportagem do Jornal Página 3, desta quinta-feira (23), reforça a preocupação. Ela aponta que se o ritmo de arrecadação dos primeiros 20 dias de abril persistir, o rombo nos cofres públicos pode ultrapassar os R$ 150 milhões neste ano.

Lucas questiona no pedido de informação: quais os impactos da crise ocasionada pelo COVID-19 na arrecadação municipal no mês de março; qual o prognóstico dos impactos da crise ocasionada pelo COVID-19 na arrecadação municipal no meses de abril a dezembro e caso já exista o levantamento, qual o plano de ajuste orçamentário.

O vereador justifica que o mínimo que se espera é a transparência das informações de caráter público, e que elas sejam divulgadas o quanto antes para a população.

Ações de economia no Legislativo

A Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú já aprovou a redução dos salários dos vereadores em 50% e medidas de contenção de gastos como férias e diárias.

Foi protocolado ainda um projeto de autoria do vereador Lucas Gotardo, que propõe a redução dos salários de cargos comissionados do Legislativo. Em números, serão economizados aproximadamente R$ 100 mil por mês. Se a proposta de Lucas for aprovada, o dinheiroeconomizado poderia custear mais de 100 diárias de UTI, conforme a tabela SUS.

O projeto de lei aguarda parecer da presidência para tramitar nas comissões.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade