Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Vereador Lucas Gotardo continua esperando prestação de contas da obra que vai abrigar crianças e adolescentes

Terça, 30/6/2020 14:54.
Débora Halfen

Publicidade

O vereador Lucas Gotardo continua esperando resposta da prefeitura a um pedido que fez no final de abril, sobre a obra da Casa da Criança e do Adolescente, em construção no Bairro dos Municípios. Ele quer saber sobre o estágio da obra, a situação do contrato e a previsão para entrega e lamenta que até o momento não tenha recebido os esclarecimentos da prefeitura.

Na semana passada o vereador criticou a situação da obra durante uma votação na Câmara, que pedia autorização para abrir crédito adicional suplementar até a importância de R$ 65.951,16. Lucas pediu vistas, mas não obteve e o pedido foi aprovado. Após as críticas do vereador, a empresa se ofereceu a prestar esclarecimentos. Ele esteve pessoalmente com a engenheira responsável na obra.

"Eu estive na obra com a engenheira responsável da empresa, mas isso não exime a prefeitura de prestar contas e apresentar os dados para que possamos fiscalizar, cruzando as informações", comentou o vereador.

O que diz a empresa

  1. Em maio de 2019 a prefeitura foi informada sobre inconsistências no projeto, sendo necessária a verificação para correções;
  2. Por diversas vezes, no decorrer de 2019, os fiscais da prefeitura foram cobrados por parte da empresa acerca de uma posição sobre as adequações no projeto;
  3. Em novembro de 2019 a obra foi paralisada em função da falta de retorno sobre as modificações no projeto;
  4. Entre final de abril e início de maio de 2020, ou seja um ano depois de ser notificada pela empresa, a prefeitura deu um retorno com as atualizações no projeto;
  5. O crédito adicional suplementar visa atender ao pagamento de parte estrutural da obra que foi dimensionada de forma equivocada na planilha de custos da licitação;
  6. Como houve mudança no projeto é provável que surjam aditivos para contemplar as modificações.

A obra

Em outubro de 2018, depois de sete anos de espera, a obra do abrigo municipal, do tempo do governo Piriquito, foi anunciada pela prefeitura com valor de quase R$ 2 milhões e previsão de término em 10 meses. Há nove anos, a prefeitura paga através de convênio, o abrigamento de crianças e adolescentes de Balneário Camboriú em uma instituição de Camboriú, o Lar Bom Pastor.

A Casa começou a ser construída em uma área de 590m2, com capacidade para atender 20 crianças e 20 adolescentes, ao lado da Casa da Sogra.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Débora Halfen

Vereador Lucas Gotardo continua esperando prestação de contas da obra que vai abrigar crianças e adolescentes

Publicidade

Terça, 30/6/2020 14:54.

O vereador Lucas Gotardo continua esperando resposta da prefeitura a um pedido que fez no final de abril, sobre a obra da Casa da Criança e do Adolescente, em construção no Bairro dos Municípios. Ele quer saber sobre o estágio da obra, a situação do contrato e a previsão para entrega e lamenta que até o momento não tenha recebido os esclarecimentos da prefeitura.

Na semana passada o vereador criticou a situação da obra durante uma votação na Câmara, que pedia autorização para abrir crédito adicional suplementar até a importância de R$ 65.951,16. Lucas pediu vistas, mas não obteve e o pedido foi aprovado. Após as críticas do vereador, a empresa se ofereceu a prestar esclarecimentos. Ele esteve pessoalmente com a engenheira responsável na obra.

"Eu estive na obra com a engenheira responsável da empresa, mas isso não exime a prefeitura de prestar contas e apresentar os dados para que possamos fiscalizar, cruzando as informações", comentou o vereador.

O que diz a empresa

  1. Em maio de 2019 a prefeitura foi informada sobre inconsistências no projeto, sendo necessária a verificação para correções;
  2. Por diversas vezes, no decorrer de 2019, os fiscais da prefeitura foram cobrados por parte da empresa acerca de uma posição sobre as adequações no projeto;
  3. Em novembro de 2019 a obra foi paralisada em função da falta de retorno sobre as modificações no projeto;
  4. Entre final de abril e início de maio de 2020, ou seja um ano depois de ser notificada pela empresa, a prefeitura deu um retorno com as atualizações no projeto;
  5. O crédito adicional suplementar visa atender ao pagamento de parte estrutural da obra que foi dimensionada de forma equivocada na planilha de custos da licitação;
  6. Como houve mudança no projeto é provável que surjam aditivos para contemplar as modificações.

A obra

Em outubro de 2018, depois de sete anos de espera, a obra do abrigo municipal, do tempo do governo Piriquito, foi anunciada pela prefeitura com valor de quase R$ 2 milhões e previsão de término em 10 meses. Há nove anos, a prefeitura paga através de convênio, o abrigamento de crianças e adolescentes de Balneário Camboriú em uma instituição de Camboriú, o Lar Bom Pastor.

A Casa começou a ser construída em uma área de 590m2, com capacidade para atender 20 crianças e 20 adolescentes, ao lado da Casa da Sogra.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade