Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Coleta de ostras e mariscos segue proibida em Penha, BC e Bombinhas
Divulgação/Epagri

Segunda, 13/11/2017 8:28.

A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca comunicou que continuam interditadas as áreas de cultivos de ostras, vieiras, mexilhões e berbigões das localidades de Praia Alegre, Armação do Itapocorói, Canto da Praia, Zimbros e Canto Grande – nos municípios de Penha, Balneário Camboriú e Bombinhas devido à presença de toxina paralisante.

O cultivo e a venda de ostras e mariscos do restante do litoral catarinense está livre da toxina e liberado para consumo.

A presença da toxina é rara e vem sendo acompanhada pela Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) desde o dia 19 de outubro.

De forma preventiva, a Cidasc recomendou a interdição de todo o litoral e vem liberando as áreas livres de contaminação. O monitoramento continua.

Santa Catarina é o único Estado do país que realiza o monitoramento permanente das áreas de cultivo através do Programa Estadual de Controle Higiênico Sanitário de Moluscos. Esse programa existe em todos os países que possuem uma produção expressiva de moluscos, e é um dos procedimentos de gestão e controle sanitário da cadeia produtiva.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Política

Uma das comissões legislativas é controlada pela oposição


Cidade

Governo terá que agir rápido para não ficar desarticulado


Geral

Bloqueio dos aparelhos começa em dezembro, usuários serão informados


Cidade

Balneário será a cidade mais azul de SC


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Coleta de ostras e mariscos segue proibida em Penha, BC e Bombinhas

Divulgação/Epagri

A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca comunicou que continuam interditadas as áreas de cultivos de ostras, vieiras, mexilhões e berbigões das localidades de Praia Alegre, Armação do Itapocorói, Canto da Praia, Zimbros e Canto Grande – nos municípios de Penha, Balneário Camboriú e Bombinhas devido à presença de toxina paralisante.

O cultivo e a venda de ostras e mariscos do restante do litoral catarinense está livre da toxina e liberado para consumo.

A presença da toxina é rara e vem sendo acompanhada pela Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) desde o dia 19 de outubro.

De forma preventiva, a Cidasc recomendou a interdição de todo o litoral e vem liberando as áreas livres de contaminação. O monitoramento continua.

Santa Catarina é o único Estado do país que realiza o monitoramento permanente das áreas de cultivo através do Programa Estadual de Controle Higiênico Sanitário de Moluscos. Esse programa existe em todos os países que possuem uma produção expressiva de moluscos, e é um dos procedimentos de gestão e controle sanitário da cadeia produtiva.

Publicidade

Publicidade