Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Reforma elimina gestor na saúde em Balneário Camboriú e aumenta o risco de fraudes

Orçamento da saúde neste ano foi estimado em R$ 157.174.976,00. 

Segunda, 26/8/2019 8:04.

Publicidade

A reforma administrativa proposta pelo governo Fabricio Oliveira prevê a extinção da figura do Gestor do Fundo Municipal de Saúde e que suas funções sejam absorvidas pelo Secretário de Saúde.

O gestor é responsável pela execução de um orçamento que neste ano foi estimado em R$ 157.174.976,00. 

Trata-se de um retrocesso num sistema que funciona desde os governos Leonel Pavan e oferecia maior segurança contra fraudes.

“Por sorte na maior parte do tempo tínhamos um muito honesto” comentou um antigo funcionário da Secretaria da Saúde” referindo-se ao sistema de duplo comando que sempre deu resultados.

No projeto enviado pelo governo municipal para análise dos vereadores não existe qualquer argumento explicando a eliminação do cargo de gestor.

Consultada ontem à tarde, a administração municipal não se manifestou até a publicação desta reportagem.
 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Opinião

"Com estes valores, nenhuma unidade de saúde consegue se manter como PORTA ABERTA"


Cidade

Prefeitura é dona de terreno, próximo ao local, que poderia receber o Mercado


Brasil


Política

O vereador aproveitou que estava em Brasília pra falar sobre o saneamento básico de Camboriú


Cidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Reforma elimina gestor na saúde em Balneário Camboriú e aumenta o risco de fraudes

Publicidade

Segunda, 26/8/2019 8:04.

A reforma administrativa proposta pelo governo Fabricio Oliveira prevê a extinção da figura do Gestor do Fundo Municipal de Saúde e que suas funções sejam absorvidas pelo Secretário de Saúde.

O gestor é responsável pela execução de um orçamento que neste ano foi estimado em R$ 157.174.976,00. 

Trata-se de um retrocesso num sistema que funciona desde os governos Leonel Pavan e oferecia maior segurança contra fraudes.

“Por sorte na maior parte do tempo tínhamos um muito honesto” comentou um antigo funcionário da Secretaria da Saúde” referindo-se ao sistema de duplo comando que sempre deu resultados.

No projeto enviado pelo governo municipal para análise dos vereadores não existe qualquer argumento explicando a eliminação do cargo de gestor.

Consultada ontem à tarde, a administração municipal não se manifestou até a publicação desta reportagem.
 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade