Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Dengue: frio diminuiu focos, mas vigilância precisa continuar

Segunda, 26/8/2019 17:09.
Divulgação PMBC
Equipe de controle em ação

Publicidade

De acordo com o último relatório da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive/SC) divulgado neste mês, o mosquito Aedes Aegypti continua presente em 182 municípios catarinenses. Entre 30 de dezembro de 2018 e 10 de agosto de 2019, foram identificados 22.224 focos, um aumento de 81% se comparados aos 12.729 focos em 152 municípios, detectados no mesmo período no ano passado.

Os municipios vizinhos continuam liderando os casos autóctones, aqueles contraídos dentro do município: Itapema segue liderando a corrida com com 666 casos, seguida de Camboriú com 359 e Porto Belo com 85. Balneário Camboriú está em 5º lugar com 50 casos autóctones e é um dos municípios considerados infestados pelo mosquito.

“De janeiro até o momento estamos com 1122 focos do mosquito”, disse a diretora da Vigilância Ambiental, Eliane Guedes.

Segundo Eliane, o frio tem ajudado a diminuir os números, tanto dos focos do mosquito como dos casos de doença.

“É preciso ficar vigilante, continuamos realizando as visitas nos bairros com o objetivo de eliminar os criadouros e conscientizar a população. Estamos participando de vários eventos da prefeitura e realizando palestras nas escolas”, disse, reforçando que o Programa de Combate à Dengue, busca conscientizar a população e eliminar os criadouros do mosquito Aedes Aegypti para evitar não só a dengue, mas também zika, chikungunya e febre amarela.

As visitas domiciliares seguem sem parar, terminado a Barra e Nova Esperança para iniciar esta semana, nos bairros Ariribá e Nações.

Um componente importante nesta vigilância constante é a lei 4.295 sancionada em julho, que oferece maior agilidade.

“É realizada a visita do agente, onde verificando o problema o responsável do local é orientado e dado um prazo a resolver. Não resolvendo, o caso é encaminhado a vigilância sanitária para notificação e assim por diante chegando até a multa se houver a necessidade”, comentou Eliane.

Ela reforça, no entanto, que todas essas ações precisam da ajuda dos moradores, para que controlem de fato seus terrenos, pátios, piscinas e até dentro de suas casas, vasos com água parada para eliminar possíveis criadouros.

Eliane lembra ainda que a comunidade também pode realizar denúncias na Ouvidoria Municipal, pelo número 0800-6443388, pelo (47) 3267-7024 ou pelo WhatsApp no (47) 99982-1979.

Informações: secretaria de Saúde (47) 3261-6200 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Opinião

"Com estes valores, nenhuma unidade de saúde consegue se manter como PORTA ABERTA"


Cidade

Prefeitura é dona de terreno, próximo ao local, que poderia receber o Mercado


Brasil


Política

O vereador aproveitou que estava em Brasília pra falar sobre o saneamento básico de Camboriú


Cidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Dengue: frio diminuiu focos, mas vigilância precisa continuar

Divulgação PMBC
Equipe de controle em ação
Equipe de controle em ação

Publicidade

Segunda, 26/8/2019 17:09.

De acordo com o último relatório da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive/SC) divulgado neste mês, o mosquito Aedes Aegypti continua presente em 182 municípios catarinenses. Entre 30 de dezembro de 2018 e 10 de agosto de 2019, foram identificados 22.224 focos, um aumento de 81% se comparados aos 12.729 focos em 152 municípios, detectados no mesmo período no ano passado.

Os municipios vizinhos continuam liderando os casos autóctones, aqueles contraídos dentro do município: Itapema segue liderando a corrida com com 666 casos, seguida de Camboriú com 359 e Porto Belo com 85. Balneário Camboriú está em 5º lugar com 50 casos autóctones e é um dos municípios considerados infestados pelo mosquito.

“De janeiro até o momento estamos com 1122 focos do mosquito”, disse a diretora da Vigilância Ambiental, Eliane Guedes.

Segundo Eliane, o frio tem ajudado a diminuir os números, tanto dos focos do mosquito como dos casos de doença.

“É preciso ficar vigilante, continuamos realizando as visitas nos bairros com o objetivo de eliminar os criadouros e conscientizar a população. Estamos participando de vários eventos da prefeitura e realizando palestras nas escolas”, disse, reforçando que o Programa de Combate à Dengue, busca conscientizar a população e eliminar os criadouros do mosquito Aedes Aegypti para evitar não só a dengue, mas também zika, chikungunya e febre amarela.

As visitas domiciliares seguem sem parar, terminado a Barra e Nova Esperança para iniciar esta semana, nos bairros Ariribá e Nações.

Um componente importante nesta vigilância constante é a lei 4.295 sancionada em julho, que oferece maior agilidade.

“É realizada a visita do agente, onde verificando o problema o responsável do local é orientado e dado um prazo a resolver. Não resolvendo, o caso é encaminhado a vigilância sanitária para notificação e assim por diante chegando até a multa se houver a necessidade”, comentou Eliane.

Ela reforça, no entanto, que todas essas ações precisam da ajuda dos moradores, para que controlem de fato seus terrenos, pátios, piscinas e até dentro de suas casas, vasos com água parada para eliminar possíveis criadouros.

Eliane lembra ainda que a comunidade também pode realizar denúncias na Ouvidoria Municipal, pelo número 0800-6443388, pelo (47) 3267-7024 ou pelo WhatsApp no (47) 99982-1979.

Informações: secretaria de Saúde (47) 3261-6200 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade