Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Dia D contra o sarampo: maior número de vacinas foram aplicadas na avenida Brasil

Segunda, 2/12/2019 15:22.
Divulgação/PMBC

Publicidade

O Dia D da campanha nacional de vacinação contra o sarampo que movimentou os postos de saúde no sábado (30) foi produtivo: das 8h às 17h foram aplicadas 859 doses. Porém nas unidades de saúde, apenas 174 doses. As outras 685 foram imunizações aplicadas pelas quatro equipes da Vigilância Epidemiológica, que trabalharam o dia todo na avenida Brasil (duas equipes para o lado sul e duas para o norte), comprovando que é preciso ‘ir ao encontro’ desse público mais jovem, que era o foco principal da campanha, porque concentra o maior número de pessoas que contraíram a doença.

Paralelo à vacinação, também aconteceram várias atividades relativas ao Novembro Azul, campanha que trata da saúde do homem. Foram feitas aferições de pressão e sinais vitais, testes de glicemia, auriculoterapia, testes rápidos de livre demanda, além de rodas de conversas com urologistas sobre o câncer de próstata e os exames da rede pública.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação/PMBC

Dia D contra o sarampo: maior número de vacinas foram aplicadas na avenida Brasil

Publicidade

Segunda, 2/12/2019 15:22.

O Dia D da campanha nacional de vacinação contra o sarampo que movimentou os postos de saúde no sábado (30) foi produtivo: das 8h às 17h foram aplicadas 859 doses. Porém nas unidades de saúde, apenas 174 doses. As outras 685 foram imunizações aplicadas pelas quatro equipes da Vigilância Epidemiológica, que trabalharam o dia todo na avenida Brasil (duas equipes para o lado sul e duas para o norte), comprovando que é preciso ‘ir ao encontro’ desse público mais jovem, que era o foco principal da campanha, porque concentra o maior número de pessoas que contraíram a doença.

Paralelo à vacinação, também aconteceram várias atividades relativas ao Novembro Azul, campanha que trata da saúde do homem. Foram feitas aferições de pressão e sinais vitais, testes de glicemia, auriculoterapia, testes rápidos de livre demanda, além de rodas de conversas com urologistas sobre o câncer de próstata e os exames da rede pública.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade