Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Mais uma vez laudos de balneabilidade do IMA e do Freitag são divergentes
Reprodução.
No microscópio a Escherichia Coli.

Quarta, 6/2/2019 5:27.

Para o Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) todas os 10 pontos analisados na praia central de Balneário Camboriú estão impróprios para banho e para o Freitag Laboratórios nove estão próprios e apenas um impróprio.

A divergência de resultados é consequência do IMA coletar amostras apenas uma vez por semana, mesmo se o mar tiver sido poluído por chuvas fortes.

O ideal no verão, quando costuma chover com frequência, é analisar amostras duas ou três vezes por semana e alertar os banhistas a evitarem praias de águas calmas ao menos 24 horas após enxurradas.

A chuva forte lava a cidade e a sujeira escorre para o mar, poluindo-o.

O prefeito Fabrício Oliveira propôs ao IMA que o município pague mais duas análises semanais, feitas pelo Freitag que é homologado pelo próprio IMA, Inmetro e outras entidades.

Essas análises integrariam o resultado de balneabilidade e seriam divulgadas pelo IMA.

Muitas pessoas associam o mau cheiro decorrente das algas que se acumulam sobre a areia com a qualidade da água do mar, porém são coisas distintas.

Uma praia é considerada imprópria para banho quando duas das últimas cinco coletas feitas com intervalo mínimo de 24 horas apresentarem mais de 800 Escherichia coli /100 ml de água ou quando a última coleta mostrar mais 2000 E.coli/100ml.

A Escherichia coli é uma bactéria indicativa de conteúdo intestinal, ela sinaliza que um ponto pode estar infectado por vários organismos causadores de doenças

Outras pessoas insinuam em redes sociais que o Freitag estaria adulterando resultados,mas essas opiniões são decorrentes da ignorância do fato que esse laboratório, sediado em Timbó, é respeitado nos círcuilos empresariais e acadêmicos devido ao seu elevado padrão técnico.

   

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Mais uma vez laudos de balneabilidade do IMA e do Freitag são divergentes

Reprodução.
No microscópio a Escherichia Coli.
No microscópio a Escherichia Coli.

Publicidade

Quarta, 6/2/2019 5:27.

Para o Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) todas os 10 pontos analisados na praia central de Balneário Camboriú estão impróprios para banho e para o Freitag Laboratórios nove estão próprios e apenas um impróprio.

A divergência de resultados é consequência do IMA coletar amostras apenas uma vez por semana, mesmo se o mar tiver sido poluído por chuvas fortes.

O ideal no verão, quando costuma chover com frequência, é analisar amostras duas ou três vezes por semana e alertar os banhistas a evitarem praias de águas calmas ao menos 24 horas após enxurradas.

A chuva forte lava a cidade e a sujeira escorre para o mar, poluindo-o.

O prefeito Fabrício Oliveira propôs ao IMA que o município pague mais duas análises semanais, feitas pelo Freitag que é homologado pelo próprio IMA, Inmetro e outras entidades.

Essas análises integrariam o resultado de balneabilidade e seriam divulgadas pelo IMA.

Muitas pessoas associam o mau cheiro decorrente das algas que se acumulam sobre a areia com a qualidade da água do mar, porém são coisas distintas.

Uma praia é considerada imprópria para banho quando duas das últimas cinco coletas feitas com intervalo mínimo de 24 horas apresentarem mais de 800 Escherichia coli /100 ml de água ou quando a última coleta mostrar mais 2000 E.coli/100ml.

A Escherichia coli é uma bactéria indicativa de conteúdo intestinal, ela sinaliza que um ponto pode estar infectado por vários organismos causadores de doenças

Outras pessoas insinuam em redes sociais que o Freitag estaria adulterando resultados,mas essas opiniões são decorrentes da ignorância do fato que esse laboratório, sediado em Timbó, é respeitado nos círcuilos empresariais e acadêmicos devido ao seu elevado padrão técnico.

   

Publicidade

Publicidade