Jornal Página 3
Saúde
Julho Amarelo: campanha visa conscientizar sobre as hepatites virais
Quinta, 11/7/2019 18:46.

Divulgação/CVBC
O médico fazendo o alerta no Legislativo

Publicidade

O médico Martoni Moura e Silva, infectologista do Centro Integrado Solidariedade e Saúde (CISS), de Balneário Camboriú, esteve na noite de ontem (10) na Câmara de Vereadores para falar sobre um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo, a hepatite, que é a inflamação do fígado.

A doença pode ser causada por vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas.

Pensando nisso, Balneário Camboriú passa a integrar a campanha Julho Amarelo, que visa alertar a população sobre a doença, que em alguns casos tem cura e em outros tratamento, podendo controlá-la.

Martoni explica que o objetivo é tentar alertar o máximo de pessoas possível em Balneário, incentivando que elas façam o teste rápido, já que a doença não possui sintomas. Quando esses aparecem é quando o problema já está em um estado avançado.

“Agradeço o apoio da Câmara, foi muito bom, todos respeitaram a campanha e apoiaram a iniciativa, foi muito proveitoso”, diz.

Segundo o médico, há muitos casos da doença em Balneário (principalmente das hepatites B e C, já que a A é mais causada por condições precárias de saneamento básico e água, de higiene pessoal e dos alimentos).

“Atendemos novos casos todas as semanas, e por isso estamos reforçando a necessidade de estar alerta sobre essa doença, além de que a Organização Mundial de Saúde (OMS) quer eliminar a hepatite C até 2030 do mundo todo”, salienta.

O infectologista lembra que Balneário é uma cidade que tem um ritmo onde as pessoas se expõe bastante ao risco de contrair hepatite B e C, já que um dos principais meios de se infectar é compartilhando seringas e canudos para utilizar drogas ilícitas e através do sexo desprotegido, porém pode ser contaminado ainda com compartilhamento de objetos cortantes (barbeador, cortador de unha) e até pela escova de dente.

“A hepatite C normalmente atinge mais pessoas acima dos 40 anos, mas a B não tem faixa etária. Para a B tem vacina (para quem ainda não contraiu a doença) e a C tem tratamento, com taxa de cura de 95%. A hepatite B é difícil de curar, mas tem como controlar”, acrescenta.

A hepatite, quando não é tratada, pode causar cirrose hepática ou câncer no fígado, além de até mesmo diminuir a sobrevida e a qualidade de vida.

“É uma doença perigosa, porque a pessoa normalmente não sente nada. Quando sente é porque já está na fase avançada. Por isso indicamos que as pessoas façam o teste rápido, pois quanto antes descoberta a doença, antes ela será curada ou controlada”, completa.

Em Balneário Camboriú os testes para hepatites virais são realizados gratuitamente no CISS/CTA, que fica na rua 2350, nº 560, 3º andar, de segunda a sexta-feira das 7h às 18h.

Mais informações: 3363-6741. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Destaques

O Tonino Lamborghini Residences Balneário Camboriú será desenvolvido pela Embraed Empreendimentos  


Sexto lugar no ranking das 50 cidades catarinenses que mais abriram empresas em 2019


 Uma restauração histórica de fotos aéreas para o primeiro plano diretor do município



 Em 12 meses foram registradas 2,4 infrações desse tipo por hora


 “Afastar a corrupção é o dever de todos”, disse o prefeito


Cidade

O Tonino Lamborghini Residences Balneário Camboriú será desenvolvido pela Embraed Empreendimentos  


Economia

Sexto lugar no ranking das 50 cidades catarinenses que mais abriram empresas em 2019


Variedades

 Uma restauração histórica de fotos aéreas para o primeiro plano diretor do município


Variedades


Policia

 Em 12 meses foram registradas 2,4 infrações desse tipo por hora


Política

 “Afastar a corrupção é o dever de todos”, disse o prefeito


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Julho Amarelo: campanha visa conscientizar sobre as hepatites virais

Divulgação/CVBC
O médico fazendo o alerta no Legislativo
O médico fazendo o alerta no Legislativo

Publicidade

Quinta, 11/7/2019 18:46.

O médico Martoni Moura e Silva, infectologista do Centro Integrado Solidariedade e Saúde (CISS), de Balneário Camboriú, esteve na noite de ontem (10) na Câmara de Vereadores para falar sobre um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo, a hepatite, que é a inflamação do fígado.

A doença pode ser causada por vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas.

Pensando nisso, Balneário Camboriú passa a integrar a campanha Julho Amarelo, que visa alertar a população sobre a doença, que em alguns casos tem cura e em outros tratamento, podendo controlá-la.

Martoni explica que o objetivo é tentar alertar o máximo de pessoas possível em Balneário, incentivando que elas façam o teste rápido, já que a doença não possui sintomas. Quando esses aparecem é quando o problema já está em um estado avançado.

“Agradeço o apoio da Câmara, foi muito bom, todos respeitaram a campanha e apoiaram a iniciativa, foi muito proveitoso”, diz.

Segundo o médico, há muitos casos da doença em Balneário (principalmente das hepatites B e C, já que a A é mais causada por condições precárias de saneamento básico e água, de higiene pessoal e dos alimentos).

“Atendemos novos casos todas as semanas, e por isso estamos reforçando a necessidade de estar alerta sobre essa doença, além de que a Organização Mundial de Saúde (OMS) quer eliminar a hepatite C até 2030 do mundo todo”, salienta.

O infectologista lembra que Balneário é uma cidade que tem um ritmo onde as pessoas se expõe bastante ao risco de contrair hepatite B e C, já que um dos principais meios de se infectar é compartilhando seringas e canudos para utilizar drogas ilícitas e através do sexo desprotegido, porém pode ser contaminado ainda com compartilhamento de objetos cortantes (barbeador, cortador de unha) e até pela escova de dente.

“A hepatite C normalmente atinge mais pessoas acima dos 40 anos, mas a B não tem faixa etária. Para a B tem vacina (para quem ainda não contraiu a doença) e a C tem tratamento, com taxa de cura de 95%. A hepatite B é difícil de curar, mas tem como controlar”, acrescenta.

A hepatite, quando não é tratada, pode causar cirrose hepática ou câncer no fígado, além de até mesmo diminuir a sobrevida e a qualidade de vida.

“É uma doença perigosa, porque a pessoa normalmente não sente nada. Quando sente é porque já está na fase avançada. Por isso indicamos que as pessoas façam o teste rápido, pois quanto antes descoberta a doença, antes ela será curada ou controlada”, completa.

Em Balneário Camboriú os testes para hepatites virais são realizados gratuitamente no CISS/CTA, que fica na rua 2350, nº 560, 3º andar, de segunda a sexta-feira das 7h às 18h.

Mais informações: 3363-6741. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Destaques

O Tonino Lamborghini Residences Balneário Camboriú será desenvolvido pela Embraed Empreendimentos  


Sexto lugar no ranking das 50 cidades catarinenses que mais abriram empresas em 2019


 Uma restauração histórica de fotos aéreas para o primeiro plano diretor do município



 Em 12 meses foram registradas 2,4 infrações desse tipo por hora


 “Afastar a corrupção é o dever de todos”, disse o prefeito