Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Quem define se Balneário Camboriú terá epidemia de dengue é a população
Divulgação

Sábado, 4/5/2019 15:36.

De acordo com o último boletim divulgado nesta sexta-feira (3) pela Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina, com dados de dezembro até 27 de abril, o Estado tem 14.833 focos do mosquito Aedes aegypti em 173 municípios. Comparado com o mesmo período de 2018, quando foram identificados 9.200 focos em 143 municípios, houve um aumento de 61%.

Deste total, 85 municípios são considerados infestados, aumento de 21,4% em relação ao mesmo período de 2018, que tinha 70 nesta condição.

Balneário Camboriú está entre os 85 infestados.

Até o dia 27 de abril deste ano foram notificados 2.548 casos de dengue no Estado. Deste total, 283 são autóctones (transmissão dentro do Estado).

Itapema encabeça a lista dos autóctones municipais (contraídos dentro do município), com 104 casos, seguido de Camboriú com 74. Balneário Camboriú aparece em oitavo lugar com 6 casos autóctones, um importado e quatro indeterminados (quando a pessoa não sabe onde contraiu a doença).

A equipe do Programa de Combate a Dengue de Balneário Camboriú está trabalhando neste sábado em duas frentes: pela manhã visitando casas que estão fechadas durante a semana e à tarde no BC+Saúde, no Bairro Nova Esperança, com material informativo sobre a dengue.

O diretor do programa, Rafael Neis da Silva disse que comparando o último boletim (27/4) com o divulgado uma semana antes (20/4) houve um aumento no número de municípios infestados, de 81 para 85.

“O índice de infestação está aumentando e o que chama bastante atenção é a quantidade de casos autóctones, com nossos vizinhos liderando a corrida, e essa proximidade com Balneário Camboriú, o ir e vir das pessoas preocupa, porque nosso índice de infestação é alto também. No último levantamento rápido (LIRA) figuramos como município de alto risco para surto ou epidemia, então temos condição favorável para começar um surto ou até uma epidemia”, afirmou.

Outro aspecto importante a considerar, segundo o diretor, é a quantidade de pessoas notificadas que aumentou bastante, no último boletim (20/4) estava em torno de 1700 e sete dias depois saltou para 2.548.

“Tudo isso vai levando a um cenário preocupante”, alertou.

Além das vistorias que o programa realiza diariamente, o prefeito fez um decreto emergencial para facilitar a limpeza de terrenos baldios (foco alto), plotagem dos veículos da prefeitura, o Executivo está encaminhando uma nova legislação para agilizar o contato com donos de terrenos baldios para que tomem providências.

“Mas infelizmente com tudo isso, as pessoas ainda não se deram conta que o problema está dentro das casas. Quem define se vai ser um surto ou uma epidemia é a população.

Se a infestação está alta devido a falta de cuidado dos moradores, vamos caminhar para uma epidemia. Para não ter epidemia, não pode ter mosquito. Para não ter mosquito não pode ter água parada, simples assim”, concluiu Rafael.


 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Quem define se Balneário Camboriú terá epidemia de dengue é a população

Divulgação

Publicidade

Sábado, 4/5/2019 15:36.

De acordo com o último boletim divulgado nesta sexta-feira (3) pela Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina, com dados de dezembro até 27 de abril, o Estado tem 14.833 focos do mosquito Aedes aegypti em 173 municípios. Comparado com o mesmo período de 2018, quando foram identificados 9.200 focos em 143 municípios, houve um aumento de 61%.

Deste total, 85 municípios são considerados infestados, aumento de 21,4% em relação ao mesmo período de 2018, que tinha 70 nesta condição.

Balneário Camboriú está entre os 85 infestados.

Até o dia 27 de abril deste ano foram notificados 2.548 casos de dengue no Estado. Deste total, 283 são autóctones (transmissão dentro do Estado).

Itapema encabeça a lista dos autóctones municipais (contraídos dentro do município), com 104 casos, seguido de Camboriú com 74. Balneário Camboriú aparece em oitavo lugar com 6 casos autóctones, um importado e quatro indeterminados (quando a pessoa não sabe onde contraiu a doença).

A equipe do Programa de Combate a Dengue de Balneário Camboriú está trabalhando neste sábado em duas frentes: pela manhã visitando casas que estão fechadas durante a semana e à tarde no BC+Saúde, no Bairro Nova Esperança, com material informativo sobre a dengue.

O diretor do programa, Rafael Neis da Silva disse que comparando o último boletim (27/4) com o divulgado uma semana antes (20/4) houve um aumento no número de municípios infestados, de 81 para 85.

“O índice de infestação está aumentando e o que chama bastante atenção é a quantidade de casos autóctones, com nossos vizinhos liderando a corrida, e essa proximidade com Balneário Camboriú, o ir e vir das pessoas preocupa, porque nosso índice de infestação é alto também. No último levantamento rápido (LIRA) figuramos como município de alto risco para surto ou epidemia, então temos condição favorável para começar um surto ou até uma epidemia”, afirmou.

Outro aspecto importante a considerar, segundo o diretor, é a quantidade de pessoas notificadas que aumentou bastante, no último boletim (20/4) estava em torno de 1700 e sete dias depois saltou para 2.548.

“Tudo isso vai levando a um cenário preocupante”, alertou.

Além das vistorias que o programa realiza diariamente, o prefeito fez um decreto emergencial para facilitar a limpeza de terrenos baldios (foco alto), plotagem dos veículos da prefeitura, o Executivo está encaminhando uma nova legislação para agilizar o contato com donos de terrenos baldios para que tomem providências.

“Mas infelizmente com tudo isso, as pessoas ainda não se deram conta que o problema está dentro das casas. Quem define se vai ser um surto ou uma epidemia é a população.

Se a infestação está alta devido a falta de cuidado dos moradores, vamos caminhar para uma epidemia. Para não ter epidemia, não pode ter mosquito. Para não ter mosquito não pode ter água parada, simples assim”, concluiu Rafael.


 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade