Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

UTI do Ruth oferece acompanhamento odontológico
Divulgação/PMBC

Quinta, 9/5/2019 17:38.

Um mês antes do Senado aprovar o projeto de lei 34/2013), que torna obrigatória a assistência odontológica a pacientes em internação hospitalar, mas ainda não foi sancionado, o hospital Ruth Cardoso colocou o novo serviço em prática. Desde março, os pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital recebem acompanhamento de um cirurgião dentista intensivista.

A iniciativa diminui, em média, 30% o tempo de internação, portanto abrindo espaço para outros pacientes. Além disso, o risco de infecção respiratória diminui quando o cirurgião dentista cuida da saúde bucal destes pacientes.

“Estatísticas da Agência Nacional de Vigilância Epidemiológica (Anvisa) mostram que 33% dos pacientes de UTI que desenvolvem essa infecção evoluem para óbito. Além disso, um episódio de Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica (PAVM), prolonga o tempo de internação em aproximadamente 12 dias, aumentando significativamente o gasto de recursos financeiros”, explicou o dentista Jerry Jean Kirschner.

Segundo o cirurgião,o acompanhamento odontológico na UTI também contribui no diagnóstico de doenças causadas por fungos (candidíase) e/ou vírus (herpes).

Informações - Secretaria de Saúde (47) 3261-6200

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

UTI do Ruth oferece acompanhamento odontológico

Divulgação/PMBC

Publicidade

Quinta, 9/5/2019 17:38.

Um mês antes do Senado aprovar o projeto de lei 34/2013), que torna obrigatória a assistência odontológica a pacientes em internação hospitalar, mas ainda não foi sancionado, o hospital Ruth Cardoso colocou o novo serviço em prática. Desde março, os pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital recebem acompanhamento de um cirurgião dentista intensivista.

A iniciativa diminui, em média, 30% o tempo de internação, portanto abrindo espaço para outros pacientes. Além disso, o risco de infecção respiratória diminui quando o cirurgião dentista cuida da saúde bucal destes pacientes.

“Estatísticas da Agência Nacional de Vigilância Epidemiológica (Anvisa) mostram que 33% dos pacientes de UTI que desenvolvem essa infecção evoluem para óbito. Além disso, um episódio de Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica (PAVM), prolonga o tempo de internação em aproximadamente 12 dias, aumentando significativamente o gasto de recursos financeiros”, explicou o dentista Jerry Jean Kirschner.

Segundo o cirurgião,o acompanhamento odontológico na UTI também contribui no diagnóstico de doenças causadas por fungos (candidíase) e/ou vírus (herpes).

Informações - Secretaria de Saúde (47) 3261-6200

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade