Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Morte por febre amarela em Joinville acende luz vermelha em SC
EBC.

Quinta, 28/3/2019 10:35.

A secretária municipal da saúde, Andressa Hadad está fazendo um forte apelo à população para que vacinem contra febre amarela, porque a situação complicou bastante com a morte de um homem de 36 anos, residente em Joinville, no dia 12 de março e divulgada nesta quinta-feira.

O paciente não tinha registro de vacina no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI).

A confirmação veio através da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC), vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Estado da Saúde (SES/SC). O diagnóstico foi confirmado pelo Instituto Carlos Chagas (ICC) – Fiocruz do Paraná.

Como se tratava de um óbito suspeito de febre amarela, foi realizada uma investigação conjunta entre a Gerência Regional de Saúde e a secretaria municipal de Saúde de Joinville, utilizando o Protocolo de Investigação de Óbitos Febre Amarela do Ministério da Saúde (MS).

Em Balneário Camboriú

Segundo a secretária da Saúde, Andressa Hadad, Balneário Camboriú precisa vacinar ainda 52 mil pessoas, dos 9 meses aos 59 anos.

Quando começou a campanha nacional, a meta era 81 mil doses no municipio.

“Ainda estamos longe da meta que o Ministério da Saúde estabeleceu, por falta de conscientização das pessoas. Um exemplo disso foi o mutirão realizado sábado passado em todos os postos das 8h às 17h quando menos de 300 pessoas compareceram para vacinar”, disse Andressa.

Desde o ano passado, quando a região sul foi integrada na campanha por causa de casos da doença no Paraná, a secretaria da Saúde realizou várias ações, como BC mais perto de Você, durante toda temporada ofereceu atendimento na praça Tamandaré, realizou o Dia D e mesmo assim, continua longe da meta.

“Agora estamos confeccionando um aviso para colocar em todos os cadernos de recado de todos os estudantes da rede municipal para informar sobre a importância da vacinação. A partir de segunda-feira (1) as quatro unidades que atendem até às 22h também estarão aplicando a vacina (Ariribá/Vila Real/Barra e Nações) e todos os dias em todas as unidades de saúde das 7h às 17h40 todos podem vacinar. Se alguém tiver dúvidas, se já tomou, se não tem o registro, se não tem a carteirinha, se pode tomar ou não, vá até o posto e informe-se no local”, disse Andressa.

Segundo Andressa muitas pessoas não tomam a vacina por medo da reação.

“Lêem muita coisa no Google, mas reações severas é um percentual muito baixo. O que acontece é o braço ficar dolorido dois, três dias e ás vezes um pouco de febre, mas isso passa. Quando é um paciente imunodeprimido (que tem câncer, diabetes, hipertensão etc) é feita uma análise para saber se ele pode receber a vacina ou não. Tem outros que não gostam de vacinar, estamos num momento natureba, então condenam a vacina. Mas a vacinação é necessária e neste momento, que a doença está tão próxima, mais ainda”, afirmou a secretária.

Na DIVE

Os resultados da investigação epidemiológica, aliados à confirmação laboratorial do caso, atestam o primeiro caso autóctone (contraído na região) com óbito por febre amarela registrado no estado. A Dive/SC vai realizar a coleta de vetores no município na próxima semana. A equipe de vigilância epidemiológica do município deve realizar a vacinação de casa em casa no raio de 300 metros do Local Provável de Infecção (LPI).

A população deve buscar as unidades de saúde para fazer a vacina e, em caso de sintomas, procurar atendimento imediato para aplicação do protocolo de manejo clínico e classificação de risco frente a um caso suspeito de febre amarela.

Cobertura vacinal em SC

De 1º de janeiro a 28 de março de 2019, foram aplicadas 461.417 doses da vacina contra a febre amarela em todo o estado, sendo que 81.578 somente na primeira semana da Campanha Estadual de Vacinação, de 20 a 23 de março.

O número de doses aplicadas em 2019 já é quase igual a 2018, quando 488.308 pessoas foram vacinadas. Segundo o último levantamento da Diretoria de Vigilância de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC), vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde (SUV) da Secretaria de Estado da Saúde, o estado está com uma cobertura vacinal de 61,46%.

Desde o segundo semestre de 2018, seguindo recomendação do Ministério da Saúde (MS), todo o estado de Santa Catarina tornou-se Área com Recomendação de Vacinação (ACRV) para febre amarela – antes 162 municípios catarinenses já integravam a ACRV. Desde então, os moradores catarinenses com mais de 9 meses de idade devem procurar os postos de saúde para se vacinar contra a doença.

No entanto, a procura foi baixa, o que fez com que o estado iniciasse em 20 de março a Campanha Estadual de Vacinação contra a Febre Amarela, que segue até 20 de abril. Neste período, a meta é vacinar 95% da população catarinense contra a febre amarela.

Desde o início do ano, Santa Catarina recebeu 1.300.000 doses da vacina contra a febre amarela. Novos lotes devem chegar na segunda quinzena do mês de abril. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Esportes

Equipe de revezamento é a mais rápida do Continente 


Cidade

Dos 16 secretários do início do governo só um ficou no cargo


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Morte por febre amarela em Joinville acende luz vermelha em SC

EBC.

Publicidade

Quinta, 28/3/2019 10:35.

A secretária municipal da saúde, Andressa Hadad está fazendo um forte apelo à população para que vacinem contra febre amarela, porque a situação complicou bastante com a morte de um homem de 36 anos, residente em Joinville, no dia 12 de março e divulgada nesta quinta-feira.

O paciente não tinha registro de vacina no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI).

A confirmação veio através da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC), vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Estado da Saúde (SES/SC). O diagnóstico foi confirmado pelo Instituto Carlos Chagas (ICC) – Fiocruz do Paraná.

Como se tratava de um óbito suspeito de febre amarela, foi realizada uma investigação conjunta entre a Gerência Regional de Saúde e a secretaria municipal de Saúde de Joinville, utilizando o Protocolo de Investigação de Óbitos Febre Amarela do Ministério da Saúde (MS).

Em Balneário Camboriú

Segundo a secretária da Saúde, Andressa Hadad, Balneário Camboriú precisa vacinar ainda 52 mil pessoas, dos 9 meses aos 59 anos.

Quando começou a campanha nacional, a meta era 81 mil doses no municipio.

“Ainda estamos longe da meta que o Ministério da Saúde estabeleceu, por falta de conscientização das pessoas. Um exemplo disso foi o mutirão realizado sábado passado em todos os postos das 8h às 17h quando menos de 300 pessoas compareceram para vacinar”, disse Andressa.

Desde o ano passado, quando a região sul foi integrada na campanha por causa de casos da doença no Paraná, a secretaria da Saúde realizou várias ações, como BC mais perto de Você, durante toda temporada ofereceu atendimento na praça Tamandaré, realizou o Dia D e mesmo assim, continua longe da meta.

“Agora estamos confeccionando um aviso para colocar em todos os cadernos de recado de todos os estudantes da rede municipal para informar sobre a importância da vacinação. A partir de segunda-feira (1) as quatro unidades que atendem até às 22h também estarão aplicando a vacina (Ariribá/Vila Real/Barra e Nações) e todos os dias em todas as unidades de saúde das 7h às 17h40 todos podem vacinar. Se alguém tiver dúvidas, se já tomou, se não tem o registro, se não tem a carteirinha, se pode tomar ou não, vá até o posto e informe-se no local”, disse Andressa.

Segundo Andressa muitas pessoas não tomam a vacina por medo da reação.

“Lêem muita coisa no Google, mas reações severas é um percentual muito baixo. O que acontece é o braço ficar dolorido dois, três dias e ás vezes um pouco de febre, mas isso passa. Quando é um paciente imunodeprimido (que tem câncer, diabetes, hipertensão etc) é feita uma análise para saber se ele pode receber a vacina ou não. Tem outros que não gostam de vacinar, estamos num momento natureba, então condenam a vacina. Mas a vacinação é necessária e neste momento, que a doença está tão próxima, mais ainda”, afirmou a secretária.

Na DIVE

Os resultados da investigação epidemiológica, aliados à confirmação laboratorial do caso, atestam o primeiro caso autóctone (contraído na região) com óbito por febre amarela registrado no estado. A Dive/SC vai realizar a coleta de vetores no município na próxima semana. A equipe de vigilância epidemiológica do município deve realizar a vacinação de casa em casa no raio de 300 metros do Local Provável de Infecção (LPI).

A população deve buscar as unidades de saúde para fazer a vacina e, em caso de sintomas, procurar atendimento imediato para aplicação do protocolo de manejo clínico e classificação de risco frente a um caso suspeito de febre amarela.

Cobertura vacinal em SC

De 1º de janeiro a 28 de março de 2019, foram aplicadas 461.417 doses da vacina contra a febre amarela em todo o estado, sendo que 81.578 somente na primeira semana da Campanha Estadual de Vacinação, de 20 a 23 de março.

O número de doses aplicadas em 2019 já é quase igual a 2018, quando 488.308 pessoas foram vacinadas. Segundo o último levantamento da Diretoria de Vigilância de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC), vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde (SUV) da Secretaria de Estado da Saúde, o estado está com uma cobertura vacinal de 61,46%.

Desde o segundo semestre de 2018, seguindo recomendação do Ministério da Saúde (MS), todo o estado de Santa Catarina tornou-se Área com Recomendação de Vacinação (ACRV) para febre amarela – antes 162 municípios catarinenses já integravam a ACRV. Desde então, os moradores catarinenses com mais de 9 meses de idade devem procurar os postos de saúde para se vacinar contra a doença.

No entanto, a procura foi baixa, o que fez com que o estado iniciasse em 20 de março a Campanha Estadual de Vacinação contra a Febre Amarela, que segue até 20 de abril. Neste período, a meta é vacinar 95% da população catarinense contra a febre amarela.

Desde o início do ano, Santa Catarina recebeu 1.300.000 doses da vacina contra a febre amarela. Novos lotes devem chegar na segunda quinzena do mês de abril. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade