Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Festas clandestinas interrompidas e bares interditados no fim de semana: Fiscalização e Segurança seguem atuando

“O livre arbítrio não se aplica aqui", diz o secretário de Segurança

Segunda, 3/8/2020 18:02.
Divulgação/PMBC

Publicidade

Neste final de semana, a prefeitura de Balneário Camboriú, através da Fiscalização e da Secretaria de Segurança principalmente, atuou na verificação do cumprimento das regras de prevenção ao Coronavírus. Quatro festas clandestinas foram flagradas e dois estabelecimentos interditados. Um homem, que se recusou a usar máscara, foi encaminhado à delegacia. As ações seguem acontecendo 24h todos os dias, com o objetivo de diminuir os casos de Covid-19 na cidade, que acumula 4.789 casos (sendo 3.662 curados e 48 mortes).

Ocorrências

Segundo a Comunicação da prefeitura uma das quatro festas interditadas, aconteceu na madrugada de domingo (2), na Alameda das Acácias, em Taquaras. No local estavam mais de 20 pessoas e a Guarda Municipal encontrou 50 munições e maconha. Na mesma madrugada de sábado (1º) também foi flagrada uma confraternização na Avenida do Estado, onde estavam cerca de 50 pessoas, incluindo menores de idade.

Somente nas praias, cinco mil pessoas foram abordadas, além de 12 embarcações. Um homem que estava na ciclofaixa sem máscara se recusou a utilizar o item de proteção, xingou as equipes e acabou sendo encaminhado à delegacia pela polícia por desobediência e desacato à autoridade.

Pelas barreiras sanitárias instaladas na Avenida do Estado e Rua 3.300 foram abordados 2.747 carros com 6.260 pessoas. Dessas, oito apresentaram sintomas leves para a Covid-19 e foram orientadas a buscar a unidade de saúde mais próxima.

“Poderíamos estar no combate efetivo contra a criminalidade e estamos nisso”

O secretário de Segurança de Balneário Camboriú, Antônio Gabriel Castanheira Júnior, conta que as fiscalizações acontecem 24h todos os dias, mas são intensificadas aos finais de semana, citando a força-tarefa que já vem acontecendo por duas semanas consecutivas – inclusive neste, com a participação da Fiscalização, Guarda Municipal, Polícias Militar e Civil e funcionários comissionados do governo municipal, totalizando mais de 140 pessoas.

“A intenção não é punir, mas diante da pessoa não estar seguindo uma norma, precisamos de alguma forma ter eficácia. Por isso, se necessário, o cidadão é encaminhado à delegacia, como aconteceu neste final de semana”, diz.

Castanheira diz que a falta de colaboração de algumas pessoas atrapalha o andamento de outras ações que a prefeitura está tentando fazer para combater o Covid-19.

“Pegamos munições em uma festa em Taquaras, em outro caso, em um prédio da região norte onde entramos tinha até um DJ. Poderíamos estar no combate efetivo contra a criminalidade e estamos nisso. Se as pessoas tivessem consciência, resolveria”, comenta.

O secretário salienta que em casos de flagrante de festas estão multando os envolvidos, e que isso está auxiliando. Ele vê que muitas pessoas têm opiniões diversas e que o uso da máscara principalmente causa divergências, mas que o ‘achismo’ não se aplica na situação.

“Sempre digo que normas precisam ser cumpridas. Dizem ‘acho que não é necessário o uso da máscara’, mas não cabe a nós acharmos. O decreto emana que precisa usar, ele é baseado em dados científicos, então faremos cumprir. O livre arbítrio não se aplica aqui. Ache o que quiser, mas cumpra a norma”, acrescenta Castanheira, pontuando que em sua opinião há uma aderência grande por parte da população no que diz respeito ao cumprimento das normas de segurança. “Vamos continuar sendo bem rigorosos, a maioria das pessoas apoiam nossas ações, olham com cara feia para quem está sem máscara.

Denúncias podem ser feitas diretamente para nós, pelo 153

Multa e encaminhamento ao Ministério Público

O diretor de Fiscalização de Obras, Planejamento e Posturas de Balneário Camboriú, Matheus Rafaeli, destaca que é uma pequena parcela da população que está envolvida com as festas clandestinas que vêm acontecendo e com a falta do uso de máscaras.

“A maioria está respeitando, mas trabalhamos com rigor contra essa pequena parcela que insiste em infringir o decreto. Posso dizer que na Avenida Atlântica, onde desenvolvemos uma grande ação de fiscalização no final de semana, mais de 95% das pessoas usavam máscara”, diz.

Matheus salienta que a Fiscalização ‘não está para discutir’ e sim para fazer cumprir as regras, citando o caso do homem que estava sem máscara e desacatou os fiscais.

“Nas festas clandestinas também geralmente encontramos drogas. Antes estávamos multando somente o proprietário do imóvel e o organizador do evento, mas agora todos os envolvidos são encaminhados ao Ministério Público e também são multados. Vejo que está surtindo efeito, antes flagrávamos cinco festas por noite, agora tem sido a média de três durante o final de semana todo”, explica.

Segundo o diretor, os fiscais seguem atuando 24h todos os dias em Balneário Camboriú. No período diurno o foco são as pessoas nas ruas (cobrando o uso de máscara) e nos comércios (álcool gel, distanciamento, uso de máscara, etc.); durante a noite a fiscalização atua mais nos bares e lounges, além de contar com uma equipe exclusivamente para atender as denúncias de festas clandestinas e aglomerações.

“Vejo que em Balneário tanto os comerciantes quanto o público geral está mais consciente, mas infelizmente há a ‘batata podre’, aquela parcela que está infringindo, e nós continuaremos a fiscalizar, tratando com bastante rigor quem não obedece”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação/PMBC

Festas clandestinas interrompidas e bares interditados no fim de semana: Fiscalização e Segurança seguem atuando

“O livre arbítrio não se aplica aqui", diz o secretário de Segurança

Publicidade

Segunda, 3/8/2020 18:02.

Neste final de semana, a prefeitura de Balneário Camboriú, através da Fiscalização e da Secretaria de Segurança principalmente, atuou na verificação do cumprimento das regras de prevenção ao Coronavírus. Quatro festas clandestinas foram flagradas e dois estabelecimentos interditados. Um homem, que se recusou a usar máscara, foi encaminhado à delegacia. As ações seguem acontecendo 24h todos os dias, com o objetivo de diminuir os casos de Covid-19 na cidade, que acumula 4.789 casos (sendo 3.662 curados e 48 mortes).

Ocorrências

Segundo a Comunicação da prefeitura uma das quatro festas interditadas, aconteceu na madrugada de domingo (2), na Alameda das Acácias, em Taquaras. No local estavam mais de 20 pessoas e a Guarda Municipal encontrou 50 munições e maconha. Na mesma madrugada de sábado (1º) também foi flagrada uma confraternização na Avenida do Estado, onde estavam cerca de 50 pessoas, incluindo menores de idade.

Somente nas praias, cinco mil pessoas foram abordadas, além de 12 embarcações. Um homem que estava na ciclofaixa sem máscara se recusou a utilizar o item de proteção, xingou as equipes e acabou sendo encaminhado à delegacia pela polícia por desobediência e desacato à autoridade.

Pelas barreiras sanitárias instaladas na Avenida do Estado e Rua 3.300 foram abordados 2.747 carros com 6.260 pessoas. Dessas, oito apresentaram sintomas leves para a Covid-19 e foram orientadas a buscar a unidade de saúde mais próxima.

“Poderíamos estar no combate efetivo contra a criminalidade e estamos nisso”

O secretário de Segurança de Balneário Camboriú, Antônio Gabriel Castanheira Júnior, conta que as fiscalizações acontecem 24h todos os dias, mas são intensificadas aos finais de semana, citando a força-tarefa que já vem acontecendo por duas semanas consecutivas – inclusive neste, com a participação da Fiscalização, Guarda Municipal, Polícias Militar e Civil e funcionários comissionados do governo municipal, totalizando mais de 140 pessoas.

“A intenção não é punir, mas diante da pessoa não estar seguindo uma norma, precisamos de alguma forma ter eficácia. Por isso, se necessário, o cidadão é encaminhado à delegacia, como aconteceu neste final de semana”, diz.

Castanheira diz que a falta de colaboração de algumas pessoas atrapalha o andamento de outras ações que a prefeitura está tentando fazer para combater o Covid-19.

“Pegamos munições em uma festa em Taquaras, em outro caso, em um prédio da região norte onde entramos tinha até um DJ. Poderíamos estar no combate efetivo contra a criminalidade e estamos nisso. Se as pessoas tivessem consciência, resolveria”, comenta.

O secretário salienta que em casos de flagrante de festas estão multando os envolvidos, e que isso está auxiliando. Ele vê que muitas pessoas têm opiniões diversas e que o uso da máscara principalmente causa divergências, mas que o ‘achismo’ não se aplica na situação.

“Sempre digo que normas precisam ser cumpridas. Dizem ‘acho que não é necessário o uso da máscara’, mas não cabe a nós acharmos. O decreto emana que precisa usar, ele é baseado em dados científicos, então faremos cumprir. O livre arbítrio não se aplica aqui. Ache o que quiser, mas cumpra a norma”, acrescenta Castanheira, pontuando que em sua opinião há uma aderência grande por parte da população no que diz respeito ao cumprimento das normas de segurança. “Vamos continuar sendo bem rigorosos, a maioria das pessoas apoiam nossas ações, olham com cara feia para quem está sem máscara.

Denúncias podem ser feitas diretamente para nós, pelo 153

Multa e encaminhamento ao Ministério Público

O diretor de Fiscalização de Obras, Planejamento e Posturas de Balneário Camboriú, Matheus Rafaeli, destaca que é uma pequena parcela da população que está envolvida com as festas clandestinas que vêm acontecendo e com a falta do uso de máscaras.

“A maioria está respeitando, mas trabalhamos com rigor contra essa pequena parcela que insiste em infringir o decreto. Posso dizer que na Avenida Atlântica, onde desenvolvemos uma grande ação de fiscalização no final de semana, mais de 95% das pessoas usavam máscara”, diz.

Matheus salienta que a Fiscalização ‘não está para discutir’ e sim para fazer cumprir as regras, citando o caso do homem que estava sem máscara e desacatou os fiscais.

“Nas festas clandestinas também geralmente encontramos drogas. Antes estávamos multando somente o proprietário do imóvel e o organizador do evento, mas agora todos os envolvidos são encaminhados ao Ministério Público e também são multados. Vejo que está surtindo efeito, antes flagrávamos cinco festas por noite, agora tem sido a média de três durante o final de semana todo”, explica.

Segundo o diretor, os fiscais seguem atuando 24h todos os dias em Balneário Camboriú. No período diurno o foco são as pessoas nas ruas (cobrando o uso de máscara) e nos comércios (álcool gel, distanciamento, uso de máscara, etc.); durante a noite a fiscalização atua mais nos bares e lounges, além de contar com uma equipe exclusivamente para atender as denúncias de festas clandestinas e aglomerações.

“Vejo que em Balneário tanto os comerciantes quanto o público geral está mais consciente, mas infelizmente há a ‘batata podre’, aquela parcela que está infringindo, e nós continuaremos a fiscalizar, tratando com bastante rigor quem não obedece”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade