Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Programa de Combate a Dengue fez mais de 66 mil visitas de vistoria e orientação no primeiro semestre

Terça, 14/7/2020 12:22.
Divulgação/PMBC

Publicidade

O Programa de Combate à Dengue, da Vigilância Ambiental, divulgou esta semana relatório das visitas e números de focos e casos da doença, registrados no primeiro semestre deste ano.

Nos seis primeiros meses o programa realizou 66.307 visitas em residências, comércios e terrenos. Além de vistoriar possíveis focos e eliminar criadouros do vetor da Dengue, o Aedes Aegypti, os agentes também orientam sobre cuidados e riscos da doença. Mesmo assim, muitas pessoas dificultam a entrada dos agentes. Em tempos de pandemia, eles vistoriam somente áreas externas e estão equipados e identificados.

A responsável pelo programa, Eliane Cassati pede que todos colaborem e permitam o acesso dos agentes. Além disso, ela pede que cada um faça a sua parte, verificando com frequência possíveis focos de criadouros. O Aedes Aegypti transmite dengue, chikungunya e zika, e todos se criam em recipientes com acúmulo de água.

Focos

Nestes seis meses foram identificados 785 focos do mosquito, a maioria deles no Centro (214). Esta semana os agentes de combate às endemias estão vistoriando no Centro.

O segundo bairro com mais focos é o Nações (81) seguido por Nova Esperança (65), Barra (57), Ariribá (56), Estados (50), Municípios (39) e Amores (36).

Casos de dengue

No referido período a Secretaria Municipal da Saúde confirmados 253 casos de dengue. Deste total, 198 foram contraídos dentro do município (autóctones) e dois fora de Balneário Camboriú (importados). Além disso, 53 casos são indeterminados e há um caso importado de chikungunya.

Dicas

Para ajudar no controle do mosquito, a Vigilância Ambiental sugere as seguintes dicas:

  • Colocar areia nos pratos ou deixar sem pratos;
  • Piscinas devem ser mantidas limpas o ano todo;
  • Telar os ralos;
  • Recolher e acondicionar o lixo em local coberto;
  • Cisternas e reservatórios devem ser mantidos fechados.

Informações: Secretaria de Saúde (47) 3261-6200


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação/PMBC

Programa de Combate a Dengue fez mais de 66 mil visitas de vistoria e orientação no primeiro semestre

Publicidade

Terça, 14/7/2020 12:22.

O Programa de Combate à Dengue, da Vigilância Ambiental, divulgou esta semana relatório das visitas e números de focos e casos da doença, registrados no primeiro semestre deste ano.

Nos seis primeiros meses o programa realizou 66.307 visitas em residências, comércios e terrenos. Além de vistoriar possíveis focos e eliminar criadouros do vetor da Dengue, o Aedes Aegypti, os agentes também orientam sobre cuidados e riscos da doença. Mesmo assim, muitas pessoas dificultam a entrada dos agentes. Em tempos de pandemia, eles vistoriam somente áreas externas e estão equipados e identificados.

A responsável pelo programa, Eliane Cassati pede que todos colaborem e permitam o acesso dos agentes. Além disso, ela pede que cada um faça a sua parte, verificando com frequência possíveis focos de criadouros. O Aedes Aegypti transmite dengue, chikungunya e zika, e todos se criam em recipientes com acúmulo de água.

Focos

Nestes seis meses foram identificados 785 focos do mosquito, a maioria deles no Centro (214). Esta semana os agentes de combate às endemias estão vistoriando no Centro.

O segundo bairro com mais focos é o Nações (81) seguido por Nova Esperança (65), Barra (57), Ariribá (56), Estados (50), Municípios (39) e Amores (36).

Casos de dengue

No referido período a Secretaria Municipal da Saúde confirmados 253 casos de dengue. Deste total, 198 foram contraídos dentro do município (autóctones) e dois fora de Balneário Camboriú (importados). Além disso, 53 casos são indeterminados e há um caso importado de chikungunya.

Dicas

Para ajudar no controle do mosquito, a Vigilância Ambiental sugere as seguintes dicas:

  • Colocar areia nos pratos ou deixar sem pratos;
  • Piscinas devem ser mantidas limpas o ano todo;
  • Telar os ralos;
  • Recolher e acondicionar o lixo em local coberto;
  • Cisternas e reservatórios devem ser mantidos fechados.

Informações: Secretaria de Saúde (47) 3261-6200


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade