Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Como diferenciar pneumonia de gripe e resfriado

Sexta, 19/6/2020 7:09.
Pexels

Publicidade

A pneumonia é uma das doenças que mais mata no Brasil. São cerca de 900 mil casos registrados por ano, segundo dados da Organização Mundial de Saúde.

Com alguns sintomas semelhantes aos das gripes e resfriados, muitas vezes as pessoas não procuram atendimento médico quando adoecem. Resultado: não recebem o tratamento adequado para combater a doença.

Este artigo aborda o que é a pneumonia, quais os sintomas, quando o paciente deve procurar ajuda de um especialista, como são feitos diagnóstico e tratamento, além de esclarecer quais são as diferenças entre essa doença e as viroses corriqueiras que afetam o sistema respiratório.

O que é a pneumonia?

Pneumonia é uma doença infecciosa nos pulmões, que pode atingir os alvéolos pulmonares.

Os alvéolos são estruturas que têm a importante função da hematose, que consiste nas trocas gasosas entre o ar e o sangue. Em outras palavras, ajudam a eliminar o gás carbônico do nosso organismo e a transportar o oxigênio para alimentação das nossas células.

Essa infecção pode acontecer por vírus, bactérias e até fungos. Todos esses agentes afetam a função da hematose, comprometendo a saúde de todo o organismo.

Sintomas

Com sintomas parecidos com os das gripes, é importante ficar atento a algumas especificidades características da pneumonia:

● Febre acima dos 38ºC;

● Tosse com produção de muco com coloração verde-amarelada;

● Falta de ar e dificuldade na respiração;

● Dores no tórax ao respirar;

● Confusão mental;

● Mal estar e fadiga em excesso.

Quando procurar um pneumologista

Um clínico geral é apto a diagnosticar a pneumonia, mas o pneumologista é o profissional de saúde especializado em tratar as doenças nos pulmões.

Ao observar os sintomas citados acima, o paciente não pode negligenciar a consulta médica para receber diagnóstico e tratamento corretos.

Diagnóstico

Para confirmar a doença, o médico fará uma análise clínica com base nos sintomas, exame físico, e, quando indicado, em exames de sangue, radiografia do tórax, oximetria de pulso (exame que mede o nível de oxigênio no sangue) e teste de escarro (exame que analisa o muco da tosse).

Tratamento

Para tratar a infecção pulmonar causada pela pneumonia, são utilizados antibióticos via oral ou de forma intravenosa.

Dependendo da gravidade da infecção, é necessária uma internação, para acompanhamento de médicos e enfermeiros. Os hospitais da Rede D’Or São Luiz, por exemplo, possuem estrutura adequada e profissionais especializados no tratamento de pneumonia.

A internação hospital ocorre quando a infecção causa complicações nos rins, na pressão arterial e no fluxo normal da respiração.

Nos casos de idosos, essas complicações são mais comuns, portanto normalmente pessoas com mais de 65 anos são internadas para tratar a doença.

Se o paciente estiver com o risco controlado, a internação não é necessária: basta que tome corretamente os medicamentos e faça repouso por alguns dias. Em uma semana, mais ou menos, a pessoa poderá retomar suas atividades cotidianas.

Fatores de risco e prevenção

Os fatores de risco mais comuns para a contaminação dos agentes causadores da pneumonia são:

1. Tagabismo: o cigarro provoca uma reação inflamatória nos pulmões, o que facilita o acesso dos agentes infecciosos neste órgão;

2. Exposição em excesso ao ar condicionado: o sistema de refrigeração deixa o ar muito seco, facilitando a proliferação e o contágio nas vias respiratórias por vírus e bactérias;

3. Gripes e resfriados mal cuidados: os vírus da gripe costumam atingir as vias respiratórias superiores, como nariz, laringe e faringe.

Quando a gripe não é bem cuidada, os vírus podem chegar aos pulmões, causando infecções mais complexas. Vírus mais resistentes, como o H1N1, têm maior probabilidade de causar pneumonia.

Além de adotar um estilo saudável, sem tabagismo e com alimentação saudável para o fortalecimento do sistema imunológico, é possível prevenir a pneumonia evitando mudanças bruscas de temperatura, não se expondo por muito tempo ao ar condicionado e fazendo a manutenção regular do aparelho.

Além disso, é fundamental ficar atento aos sintomas da gripe e procurar atendimento médico sempre que surgirem os sintomas descritos neste artigo.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Pexels

Como diferenciar pneumonia de gripe e resfriado

Publicidade

Sexta, 19/6/2020 7:09.

A pneumonia é uma das doenças que mais mata no Brasil. São cerca de 900 mil casos registrados por ano, segundo dados da Organização Mundial de Saúde.

Com alguns sintomas semelhantes aos das gripes e resfriados, muitas vezes as pessoas não procuram atendimento médico quando adoecem. Resultado: não recebem o tratamento adequado para combater a doença.

Este artigo aborda o que é a pneumonia, quais os sintomas, quando o paciente deve procurar ajuda de um especialista, como são feitos diagnóstico e tratamento, além de esclarecer quais são as diferenças entre essa doença e as viroses corriqueiras que afetam o sistema respiratório.

O que é a pneumonia?

Pneumonia é uma doença infecciosa nos pulmões, que pode atingir os alvéolos pulmonares.

Os alvéolos são estruturas que têm a importante função da hematose, que consiste nas trocas gasosas entre o ar e o sangue. Em outras palavras, ajudam a eliminar o gás carbônico do nosso organismo e a transportar o oxigênio para alimentação das nossas células.

Essa infecção pode acontecer por vírus, bactérias e até fungos. Todos esses agentes afetam a função da hematose, comprometendo a saúde de todo o organismo.

Sintomas

Com sintomas parecidos com os das gripes, é importante ficar atento a algumas especificidades características da pneumonia:

● Febre acima dos 38ºC;

● Tosse com produção de muco com coloração verde-amarelada;

● Falta de ar e dificuldade na respiração;

● Dores no tórax ao respirar;

● Confusão mental;

● Mal estar e fadiga em excesso.

Quando procurar um pneumologista

Um clínico geral é apto a diagnosticar a pneumonia, mas o pneumologista é o profissional de saúde especializado em tratar as doenças nos pulmões.

Ao observar os sintomas citados acima, o paciente não pode negligenciar a consulta médica para receber diagnóstico e tratamento corretos.

Diagnóstico

Para confirmar a doença, o médico fará uma análise clínica com base nos sintomas, exame físico, e, quando indicado, em exames de sangue, radiografia do tórax, oximetria de pulso (exame que mede o nível de oxigênio no sangue) e teste de escarro (exame que analisa o muco da tosse).

Tratamento

Para tratar a infecção pulmonar causada pela pneumonia, são utilizados antibióticos via oral ou de forma intravenosa.

Dependendo da gravidade da infecção, é necessária uma internação, para acompanhamento de médicos e enfermeiros. Os hospitais da Rede D’Or São Luiz, por exemplo, possuem estrutura adequada e profissionais especializados no tratamento de pneumonia.

A internação hospital ocorre quando a infecção causa complicações nos rins, na pressão arterial e no fluxo normal da respiração.

Nos casos de idosos, essas complicações são mais comuns, portanto normalmente pessoas com mais de 65 anos são internadas para tratar a doença.

Se o paciente estiver com o risco controlado, a internação não é necessária: basta que tome corretamente os medicamentos e faça repouso por alguns dias. Em uma semana, mais ou menos, a pessoa poderá retomar suas atividades cotidianas.

Fatores de risco e prevenção

Os fatores de risco mais comuns para a contaminação dos agentes causadores da pneumonia são:

1. Tagabismo: o cigarro provoca uma reação inflamatória nos pulmões, o que facilita o acesso dos agentes infecciosos neste órgão;

2. Exposição em excesso ao ar condicionado: o sistema de refrigeração deixa o ar muito seco, facilitando a proliferação e o contágio nas vias respiratórias por vírus e bactérias;

3. Gripes e resfriados mal cuidados: os vírus da gripe costumam atingir as vias respiratórias superiores, como nariz, laringe e faringe.

Quando a gripe não é bem cuidada, os vírus podem chegar aos pulmões, causando infecções mais complexas. Vírus mais resistentes, como o H1N1, têm maior probabilidade de causar pneumonia.

Além de adotar um estilo saudável, sem tabagismo e com alimentação saudável para o fortalecimento do sistema imunológico, é possível prevenir a pneumonia evitando mudanças bruscas de temperatura, não se expondo por muito tempo ao ar condicionado e fazendo a manutenção regular do aparelho.

Além disso, é fundamental ficar atento aos sintomas da gripe e procurar atendimento médico sempre que surgirem os sintomas descritos neste artigo.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade