Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Balneário Camboriú 757 focos do Aedes aegipty e 182 casos de dengue autóctones

Segunda, 29/6/2020 16:48.
Divulgação/PMBC
Fumacê pesado: quando tem vários casos na mesma região.

Publicidade

Dados do Programa Municipal de Combate a Dengue registraram 757 focos do mosquito Aedes aegipty, 182 casos de dengue autóctones (contraídos dentro do município), 48 casos indeterminados e 2 casos importados.

Normalmente os números reduzem quando chega o inverno, mas nas últimas semanas, muitas pessoas estão reclamando da quantidade de mosquitos na cidade. Uma moradora do Bairro das Nações disse que há uma ‘invasão’ de mosquitos naquele bairro.

A diretora da Vigilância Ambiental, Eliane Cassatti disse que desde a semana passada a equipe do Programa de Combate foi solicitada para verificar vários pontos e casas onde havia essa grande quantidade de mosquitos.

“No local, foi verificado que são pernilongos, que surgiram com esse calor fora de época. Conforme a temperatura for abaixando a tendência é que volte ao normal. Mesmo assim é orientado o uso de repelentes e inseticidas que se acha facilmente em supermercados”, recomendou.

Com a queda da temperatura registrada no sábado, a tendência é que os números reduzam, mas mesmo assim, é preciso ajudar a combater o Aedes aegipty.

“As pessoas precisam ajudar, basta dedicar alguns minutos por dia e conferir poças d´água nos terrenos, pátios, calçadas de sua casa, e eliminá-los. Bastante comum também é a água nos pratos das plantas, eles precisam ser eliminados ou as pessoas devem colocar areia. Cuidar também com o bebedouro dos animais em casa e por fim, permitir a entrada dos nossos agentes, devidamente equipados e protegidos por causa do coronavírus”, disse Eliane.

Ela acrescentou que muitas ligações vêm solicitando o fumacê, mas o fumacê pesado feito com o carro, que vem de Florianópolis, é realizado quando há vários casos na mesma região. Isso é verificado também as datas dos sintomas das pessoas. O fumacê manual aplicado pelos agentes locais é feito quando se confirma um caso na região.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação/PMBC
Fumacê pesado: quando tem vários casos na mesma região.
Fumacê pesado: quando tem vários casos na mesma região.

Balneário Camboriú 757 focos do Aedes aegipty e 182 casos de dengue autóctones

Publicidade

Segunda, 29/6/2020 16:48.

Dados do Programa Municipal de Combate a Dengue registraram 757 focos do mosquito Aedes aegipty, 182 casos de dengue autóctones (contraídos dentro do município), 48 casos indeterminados e 2 casos importados.

Normalmente os números reduzem quando chega o inverno, mas nas últimas semanas, muitas pessoas estão reclamando da quantidade de mosquitos na cidade. Uma moradora do Bairro das Nações disse que há uma ‘invasão’ de mosquitos naquele bairro.

A diretora da Vigilância Ambiental, Eliane Cassatti disse que desde a semana passada a equipe do Programa de Combate foi solicitada para verificar vários pontos e casas onde havia essa grande quantidade de mosquitos.

“No local, foi verificado que são pernilongos, que surgiram com esse calor fora de época. Conforme a temperatura for abaixando a tendência é que volte ao normal. Mesmo assim é orientado o uso de repelentes e inseticidas que se acha facilmente em supermercados”, recomendou.

Com a queda da temperatura registrada no sábado, a tendência é que os números reduzam, mas mesmo assim, é preciso ajudar a combater o Aedes aegipty.

“As pessoas precisam ajudar, basta dedicar alguns minutos por dia e conferir poças d´água nos terrenos, pátios, calçadas de sua casa, e eliminá-los. Bastante comum também é a água nos pratos das plantas, eles precisam ser eliminados ou as pessoas devem colocar areia. Cuidar também com o bebedouro dos animais em casa e por fim, permitir a entrada dos nossos agentes, devidamente equipados e protegidos por causa do coronavírus”, disse Eliane.

Ela acrescentou que muitas ligações vêm solicitando o fumacê, mas o fumacê pesado feito com o carro, que vem de Florianópolis, é realizado quando há vários casos na mesma região. Isso é verificado também as datas dos sintomas das pessoas. O fumacê manual aplicado pelos agentes locais é feito quando se confirma um caso na região.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade