Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Saúde Mental em tempos de pandemia, será tema de live

Quarta, 3/6/2020 14:37.

Publicidade

Saúde Mental em tempos de pandemia e sua aplicabilidade para a modalidade treino em casa destinados a paratletas será o tema da live, organizada pela professora Gévelyn Almeida, técnica do Paradesporto, nesta quinta-feira (4), às 19h30. Junto com Gévelyn estará o psicólogo Rollandy Rodrigues, do Programa Abraço à Vida, da Secretaria da Inclusão Social e paratletas do ICED/FMEBC/SDIS, das modalidades de atletismo, Handebol em Cadeira de Rodas, Natação Paralímpica e Paraciclismo.

Os profissionais da mediação atendem diariamente (treinos em casa) e semanalmente (atividade de grupo Psicologia).

Gevelyn disse que a pandemia mudou a realidade para todos e o Paradesporto passou por essa transição no início do isolamento social e permanece até hoje com treinamentos em casa orientados individualmente e coletivamente.

“A pessoa com deficiência vive uma constante adaptação diária em inúmeros quesitos desde a sociedade como um todo frente às barreiras e o esporte é a ferramenta que transpõe criando oportunidades a estas pessoas e a importância exercitar o corpo e também a mente é o que todos devemos almejar para nossa qualidade de vida”, disse Gevelyn.

O psicólogo Rollandy explicou que a saúde mental é um importante fator que contribui para a pessoa lidar melhor com suas emoções, possibilita um equilíbrio mental e um bem-estar biopsicossocial e este será o principal foco da live.

Opiniões

Susana da Silva, pratica paratletismo e handebol em cadeira de rodas, é acadêmica de Psicologia/Univali

“A live vai falar sobre um trabalho que o ICED está fazendo com os atletas e com psicólogo, para trabalhar em grupo algumas demandas que são individuais, para que a gente se conheça mais enquanto colegas de equipe e para que a gente entenda um pouco sobre o que o outro está vivendo, como ele está sendo impactado por algumas demandas da pandemia. O objetivo é trazer um pouco dos resultados do que estamos vivenciando com esse trabalho em equipe. O ponto mais importante desse trabalho é a afinidade que está se desenvolvendo entre os atletas de equipe. Esse trabalho é realizado com grupo masculino e feminino, e o evento será em conjunto, trazendo depoimentos de como tem sido o processo de trabalho com o psicólogo. Cada um de nós está sofrendo um certo impacto com essa pandemia, alguns têm familiares, outros estão sozinhos, então essa proximidade tem sido bem bacana”.

Thais Cristina da Silva Teixeira, mãe de Arthur, 13 anos, cadeirante que nasceu com uma má formação congênita que afetou seus membros inferiores. Cursa o sétimo ano do ensino fundamental, na rede pública de BC

“Diante desta pandemia, que modificou completamente a nossa rotina, as aulas do paradesporto em conjunto ao atendimento psicológico em grupo que vem acontecendo de forma virtual, têm contribuído muito para o enfrentamento desta nova realidade. Com este isolamento social que se faz necessário, o psicológico do Arthur ficou um pouco abalado. Em uma rede social eu vi um post da Gévelyn sobre a oferta dos treinos virtuais e lhe perguntei como faria para participar. Logo depois ela me respondeu, por aplicativo de mensagem tivemos um contato inicial, e desta forma o Arthur começou a participar”.

Ezequiel da Luz Geraldo, 35, pratica handebol em cadeiras de rodas equipe ICED/FMEBC/SDIS

“Treinar em casa tem sido bacana, tem nos motivado bastante, aprendemos a adaptar o treino às nossas necessidades, muito produtivo. Tenho feito treino ‘coletivo’ com meu irmão, eu aprendo com ele, ele aprende comigo e nós dois aprendemos com a treinadora Gévelyn. A questão da psicologia do grupo é fundamental para nós, porque ali não tratamos somente do esporte, mas do cotidiano de cada um, o psicólogo interage bastante conosco, ele nos motiva, é importante, já faz quase três meses que não vemos nossos amigos de quadra e essa é uma maneira de interagir com eles, não perder esse contato.

Letícia Pereira, paratleta natação ICED/FMEBC

“Estamos abordando nesta live sobre nossos treinos em casa que durante esta epidemia estão nos ajudando, até nossa saúde mental, nossa rotina mudou mas a plataforma que utilizamos nos treinos é revigorante e animadora, nós mantêm animados e a continuar nossos treinos mesmo de casa. Treinos em dupla, às vezes individuais por chamadas de vídeo, materiais de uso cotidiano como quilos de arroz, garrafas pet, toalhas e até papel higiênico”.

Live - facebook Gevelyn Almeida


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Saúde Mental em tempos de pandemia, será tema de live

Publicidade

Quarta, 3/6/2020 14:37.

Saúde Mental em tempos de pandemia e sua aplicabilidade para a modalidade treino em casa destinados a paratletas será o tema da live, organizada pela professora Gévelyn Almeida, técnica do Paradesporto, nesta quinta-feira (4), às 19h30. Junto com Gévelyn estará o psicólogo Rollandy Rodrigues, do Programa Abraço à Vida, da Secretaria da Inclusão Social e paratletas do ICED/FMEBC/SDIS, das modalidades de atletismo, Handebol em Cadeira de Rodas, Natação Paralímpica e Paraciclismo.

Os profissionais da mediação atendem diariamente (treinos em casa) e semanalmente (atividade de grupo Psicologia).

Gevelyn disse que a pandemia mudou a realidade para todos e o Paradesporto passou por essa transição no início do isolamento social e permanece até hoje com treinamentos em casa orientados individualmente e coletivamente.

“A pessoa com deficiência vive uma constante adaptação diária em inúmeros quesitos desde a sociedade como um todo frente às barreiras e o esporte é a ferramenta que transpõe criando oportunidades a estas pessoas e a importância exercitar o corpo e também a mente é o que todos devemos almejar para nossa qualidade de vida”, disse Gevelyn.

O psicólogo Rollandy explicou que a saúde mental é um importante fator que contribui para a pessoa lidar melhor com suas emoções, possibilita um equilíbrio mental e um bem-estar biopsicossocial e este será o principal foco da live.

Opiniões

Susana da Silva, pratica paratletismo e handebol em cadeira de rodas, é acadêmica de Psicologia/Univali

“A live vai falar sobre um trabalho que o ICED está fazendo com os atletas e com psicólogo, para trabalhar em grupo algumas demandas que são individuais, para que a gente se conheça mais enquanto colegas de equipe e para que a gente entenda um pouco sobre o que o outro está vivendo, como ele está sendo impactado por algumas demandas da pandemia. O objetivo é trazer um pouco dos resultados do que estamos vivenciando com esse trabalho em equipe. O ponto mais importante desse trabalho é a afinidade que está se desenvolvendo entre os atletas de equipe. Esse trabalho é realizado com grupo masculino e feminino, e o evento será em conjunto, trazendo depoimentos de como tem sido o processo de trabalho com o psicólogo. Cada um de nós está sofrendo um certo impacto com essa pandemia, alguns têm familiares, outros estão sozinhos, então essa proximidade tem sido bem bacana”.

Thais Cristina da Silva Teixeira, mãe de Arthur, 13 anos, cadeirante que nasceu com uma má formação congênita que afetou seus membros inferiores. Cursa o sétimo ano do ensino fundamental, na rede pública de BC

“Diante desta pandemia, que modificou completamente a nossa rotina, as aulas do paradesporto em conjunto ao atendimento psicológico em grupo que vem acontecendo de forma virtual, têm contribuído muito para o enfrentamento desta nova realidade. Com este isolamento social que se faz necessário, o psicológico do Arthur ficou um pouco abalado. Em uma rede social eu vi um post da Gévelyn sobre a oferta dos treinos virtuais e lhe perguntei como faria para participar. Logo depois ela me respondeu, por aplicativo de mensagem tivemos um contato inicial, e desta forma o Arthur começou a participar”.

Ezequiel da Luz Geraldo, 35, pratica handebol em cadeiras de rodas equipe ICED/FMEBC/SDIS

“Treinar em casa tem sido bacana, tem nos motivado bastante, aprendemos a adaptar o treino às nossas necessidades, muito produtivo. Tenho feito treino ‘coletivo’ com meu irmão, eu aprendo com ele, ele aprende comigo e nós dois aprendemos com a treinadora Gévelyn. A questão da psicologia do grupo é fundamental para nós, porque ali não tratamos somente do esporte, mas do cotidiano de cada um, o psicólogo interage bastante conosco, ele nos motiva, é importante, já faz quase três meses que não vemos nossos amigos de quadra e essa é uma maneira de interagir com eles, não perder esse contato.

Letícia Pereira, paratleta natação ICED/FMEBC

“Estamos abordando nesta live sobre nossos treinos em casa que durante esta epidemia estão nos ajudando, até nossa saúde mental, nossa rotina mudou mas a plataforma que utilizamos nos treinos é revigorante e animadora, nós mantêm animados e a continuar nossos treinos mesmo de casa. Treinos em dupla, às vezes individuais por chamadas de vídeo, materiais de uso cotidiano como quilos de arroz, garrafas pet, toalhas e até papel higiênico”.

Live - facebook Gevelyn Almeida


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade