Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Construção civil vai parar uma semana em Balneário Camboriú e Camboriú

Quinta, 19/3/2020 16:44.
EBC.

Publicidade

O presidente do Sinduscon de Balneário Camboriú e Camboriú, Nelson Nitz determinou a suspensão das atividades da categoria, a partir das próxima segunda-feira (23) por uma período de sete dias (29).

Ele explicou que as próximas horas serão fundamentais para que as empresas possam preparar suas estruturas nos canteiros de obras, já que ficarão sem atividade por uma semana.

“Este tempo entre a decisão de parar e a paralisação efetiva é essencial para providências como a guarda e armazenamento de materiais, a proteção de estruturas que não podem ficar expostas por questões de segurança, o desmontar de equipamentos de grande porte, a eventual recepção de materiais cujo transporte já está a caminho, entre outros fatores comuns à indústria”, descreveu em nota pública.

Esta orientação visa evitar aglomeração de pessoas nesta fase crítica do vírus. Desta forma, aquelas empresas cujo serviço ou etapa da obra permita atuar com quadro reduzido de pessoal, podem optar por seguir o que determinam os decretos municipais e estaduais já publicados neste sentido.

“Permanecemos acompanhando o comportamento do vírus em nosso país, e qualquer mudança de direcionamento todos
serão comunicados. A indústria da construção civil de Balneário Camboriú e Camboriú mantém seu compromisso com a sociedade e não economizará esforços nesta luta pela vida”, finalizou a nota.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
EBC.

Construção civil vai parar uma semana em Balneário Camboriú e Camboriú

Publicidade

Quinta, 19/3/2020 16:44.

O presidente do Sinduscon de Balneário Camboriú e Camboriú, Nelson Nitz determinou a suspensão das atividades da categoria, a partir das próxima segunda-feira (23) por uma período de sete dias (29).

Ele explicou que as próximas horas serão fundamentais para que as empresas possam preparar suas estruturas nos canteiros de obras, já que ficarão sem atividade por uma semana.

“Este tempo entre a decisão de parar e a paralisação efetiva é essencial para providências como a guarda e armazenamento de materiais, a proteção de estruturas que não podem ficar expostas por questões de segurança, o desmontar de equipamentos de grande porte, a eventual recepção de materiais cujo transporte já está a caminho, entre outros fatores comuns à indústria”, descreveu em nota pública.

Esta orientação visa evitar aglomeração de pessoas nesta fase crítica do vírus. Desta forma, aquelas empresas cujo serviço ou etapa da obra permita atuar com quadro reduzido de pessoal, podem optar por seguir o que determinam os decretos municipais e estaduais já publicados neste sentido.

“Permanecemos acompanhando o comportamento do vírus em nosso país, e qualquer mudança de direcionamento todos
serão comunicados. A indústria da construção civil de Balneário Camboriú e Camboriú mantém seu compromisso com a sociedade e não economizará esforços nesta luta pela vida”, finalizou a nota.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade