Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Central de Doações da prefeitura pede prioridade para alimentos e material de higiene

Segunda, 23/3/2020 11:25.

Publicidade

A Secretaria da Inclusão Social lançou neste domingo (22) a Central de Arrecadação de Doações e Serviços Voluntários, para ajudar pessoas necessitadas e que já vêm manifestando dificuldade para se alimentar ou comprar produtos de higiene.

Doações
Desde ontem quando foi criada a Central, muitas pessoas estão procurando e algumas que nem eram atendidas pela assistência social do municipios estão ligando.

“São prestadores de serviço como faxineiras, manicures, vigias que ganham por semana e estão desesperadas. Estamos pedindo basicamente alimentação, leite principalmente, fraldas para crianças e idosos, roupas de cama e de banho para o novo abrigo”, disse a secretária.

Toda a arrecadação será na Casa da Mulher e do Voluntário, que funciona das 7h às 19h, diariamente. As pessoas que querem doar ou se voluntariar, ligam (47) 3264-0192 e a secretaria vai buscar, para que ninguém se desloque.

Também tem outro telefone (whats) para as pessoas que precisam de doações: (47) 99982-1975.

VOLUNTÁRIO

O serviço voluntário é apenas para profissionais da assistência social e da saúde, porque a prefeitura abriu um abrigo para pessoas em situação de rua, complementando o serviço da Casa de Passagem que destina-se a essa finalidade está com todas as vagas ocupada.

O novo abrigo tem 70 leitos (50 para homens e 20 para mulheres) e com um dia de funcionamento já estava com todas as vagas ocupadas. É para atender este segundo abrigo, que funciona na igreja Luz da Vida, que são necessários os serviços de voluntários da saúde e da assistência social.

A secretária da Inclusão Social, Christina Barichello explicou que muitas pessoas que estão procurando esse novo abrigo não estão em situação de rua.

“Alguns procuraram porque brigaram com a família em confinamento, outros que não tinham para onde ir, porque estavam em hostel e estão sem dinheiro para voltar, enfim são vários motivos que os levam até esse abrigo. Hoje ampliamos mais 20 vagas e se necessário vamos montar outro abrigo”, disse.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

Central de Doações da prefeitura pede prioridade para alimentos e material de higiene

Publicidade

Segunda, 23/3/2020 11:25.

A Secretaria da Inclusão Social lançou neste domingo (22) a Central de Arrecadação de Doações e Serviços Voluntários, para ajudar pessoas necessitadas e que já vêm manifestando dificuldade para se alimentar ou comprar produtos de higiene.

Doações
Desde ontem quando foi criada a Central, muitas pessoas estão procurando e algumas que nem eram atendidas pela assistência social do municipios estão ligando.

“São prestadores de serviço como faxineiras, manicures, vigias que ganham por semana e estão desesperadas. Estamos pedindo basicamente alimentação, leite principalmente, fraldas para crianças e idosos, roupas de cama e de banho para o novo abrigo”, disse a secretária.

Toda a arrecadação será na Casa da Mulher e do Voluntário, que funciona das 7h às 19h, diariamente. As pessoas que querem doar ou se voluntariar, ligam (47) 3264-0192 e a secretaria vai buscar, para que ninguém se desloque.

Também tem outro telefone (whats) para as pessoas que precisam de doações: (47) 99982-1975.

VOLUNTÁRIO

O serviço voluntário é apenas para profissionais da assistência social e da saúde, porque a prefeitura abriu um abrigo para pessoas em situação de rua, complementando o serviço da Casa de Passagem que destina-se a essa finalidade está com todas as vagas ocupada.

O novo abrigo tem 70 leitos (50 para homens e 20 para mulheres) e com um dia de funcionamento já estava com todas as vagas ocupadas. É para atender este segundo abrigo, que funciona na igreja Luz da Vida, que são necessários os serviços de voluntários da saúde e da assistência social.

A secretária da Inclusão Social, Christina Barichello explicou que muitas pessoas que estão procurando esse novo abrigo não estão em situação de rua.

“Alguns procuraram porque brigaram com a família em confinamento, outros que não tinham para onde ir, porque estavam em hostel e estão sem dinheiro para voltar, enfim são vários motivos que os levam até esse abrigo. Hoje ampliamos mais 20 vagas e se necessário vamos montar outro abrigo”, disse.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade