Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Santa Catarina aprontou menos de 20% dos leitos de UTI necessários para enfrentar o Covid-19

Faltam suprimentos básicos para os hospitais atuarem

Terça, 31/3/2020 6:08.
Tecpar

Publicidade

Em entrevista no final da tarde desta segunda-feira (30) o governador Carlos Moisés detalhou que apenas 118 dos 713 novos leitos de UTI programados ficaram prontos e que Santa Catarina não tem neste momento condições de enfrentar uma epidemia de Covid-19, por isso é necessário o isolamento social.

Sem isolamento, se houver contaminação em massa, uma grande quantidade de infectados podem morrer e a maioria sem assistência médica.

Os 118 novos leitos de UTI demoraram 17 dias para ficarem prontos e o prazo para os demais é imprevisível devido à dificuldade generalizada de obter suprimentos.

Os hospitais catarinenses carecem do básico. O Estado recebeu do governo federal 135.000 máscaras de proteção que se forem distribuídos pelos mais de 2.000 pontos onde há serviço de saúde pública, daria 65 unidades para cada um.

A quantidade de aventais de proteção remetida por Brasília, não chega 7 para cada ponto de atendimento e esse material é descartável, tem que ser dispensado várias vezes ao dia.

Por isso a decisão do governador, seguindo a recomendação da Organização Mundial da Saúde, de manter o isolamento comunitário, permitido o funcionamento apenas dos serviços essenciais.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Tecpar

Santa Catarina aprontou menos de 20% dos leitos de UTI necessários para enfrentar o Covid-19

Faltam suprimentos básicos para os hospitais atuarem

Publicidade

Terça, 31/3/2020 6:08.

Em entrevista no final da tarde desta segunda-feira (30) o governador Carlos Moisés detalhou que apenas 118 dos 713 novos leitos de UTI programados ficaram prontos e que Santa Catarina não tem neste momento condições de enfrentar uma epidemia de Covid-19, por isso é necessário o isolamento social.

Sem isolamento, se houver contaminação em massa, uma grande quantidade de infectados podem morrer e a maioria sem assistência médica.

Os 118 novos leitos de UTI demoraram 17 dias para ficarem prontos e o prazo para os demais é imprevisível devido à dificuldade generalizada de obter suprimentos.

Os hospitais catarinenses carecem do básico. O Estado recebeu do governo federal 135.000 máscaras de proteção que se forem distribuídos pelos mais de 2.000 pontos onde há serviço de saúde pública, daria 65 unidades para cada um.

A quantidade de aventais de proteção remetida por Brasília, não chega 7 para cada ponto de atendimento e esse material é descartável, tem que ser dispensado várias vezes ao dia.

Por isso a decisão do governador, seguindo a recomendação da Organização Mundial da Saúde, de manter o isolamento comunitário, permitido o funcionamento apenas dos serviços essenciais.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade