Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Balneário Camboriú precisa imunizar quase sete mil crianças contra poliomielite

Campanha nacional começa nesta segunda-feira com foco na multivacinação de crianças, jovens e adultos

Domingo, 4/10/2020 9:14.

Publicidade

Além da prevenção contra a poliomielite para crianças até 5 anos, a campanha nacional que o Ministério da Saúde inicia nesta segunda-feira (5), tem foco na multivacinação e atualização da carteira vacinal de jovens e adultos também. Por conta da pandemia a cobertura vacinal sofreu forte queda nos números, a ponto da Sociedade Brasileira de Pediatria pedir providências urgentes ao Ministério da Saúde, para estimular a adesão às campanhas e facilitar o acesso da população a esse serviço.

A campanha de multivacinação será realizada de 5 a 30 de outubro e junto o governo lançará uma campanha publicitária para alertar sobre a importância da imunização. Cerca de 11,2 milhões de crianças de um ano a menores de cinco anos devem ser vacinadas contra a poliomielite. A meta do ministério é atingir, no mínimo, 95%. Desde 1990, não há casos da doença no Brasil e o objetivo é manter essa marca.

Balneário Camboriú

A Secretaria de Saúde tem como meta vacinar 6964 crianças menores de cinco anos contra a poliomielite. A secretária da Saúde, Leila Crócomo (à direita na foto) fez um apelo aos pais e responsáveis que compareçam nas unidades de saúde, que estarão atendendo de segunda sexta, das 7h às 19h.

“Por causa da pandemia, muitos pais não procuraram os postos. Nossos agentes de saúde estarão divulgando e orientando sobre a importância da imunização e que levem seus filhos. Além da polio é preciso melhorar os índices de vacinação da tríplice viral (sarampo/rubéola/caxumba), febre amarela e hepatite em jovens e adultos”, disse Leila.

Ela lembrou que a vacina é um direito da criança, registrado no Estatuto da Criança e do Adolescente e os pais devem ser responsáveis.
A diretora da Vigilância Epidemiológica, Adriana Diogo (à esquerda na foto), reforçou o foco desta campanha, que terá dois sábados de atendimento: dias 17 (Dia D nacional) e dia 24, das 8h às 17 em todas as unidades de saúde.

Nesta campanha não haverá barreiras e postos de vacinação fora das unidades de saúde, por causa da estrutura, porque com exceção das gotinhas da polio, as demais são injetáveis e as unidades oferecem a segurança necessária.

“É contra a poliomielite que é a paralisia flácida aguda, que não temos no Brasil, mas tem dois países onde esse vírus está circulante e com o direito de ir e vir, é preciso estar alerta e a multivacinação, para atualizar o esquema vacinal dos pequenos até os grandes”, orientou Adriana.

Ela segue informando que o objetivo é aumentar a cobertura vacinal do municipio e assim diminuir a incidência das doenças imunopreveníveis.
Adriana destacou que nesta pandemia em que todos esperam uma vacina para o Covid, é preciso lembrar de tantas outras que já existem e estão sendo esquecidas.

Cuidados Covid

Adriana explicou que todos os cuidados obedecerão os protocolos da pandemia.

“Faremos o controle, permitindo a entrada na unidade só de um adulto e a criança, para não acontecer nenhum aglomero, haverá álcool, distanciamento, uso da máscara de todos, também profissionais que estarão cuidando para higienizar o local após a saída dos pais e monitorando na área externa. Estamos precisando muito que todos venham. Em um primeiro momento foi solicitado que todos fiquem em casa, eles fizeram isso, mas agora precisamos colocar em dia, porque o que já estava ruim, piorou bastante. Agora a situação melhorou, a cor do municipio em amarelo, permite fazer essa saída, mas sempre lembrando que o vírus do Covid está por aí e temos que manter essa atenção especial”, finalizou Adriana.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

Balneário Camboriú precisa imunizar quase sete mil crianças contra poliomielite

Campanha nacional começa nesta segunda-feira com foco na multivacinação de crianças, jovens e adultos

Publicidade

Domingo, 4/10/2020 9:14.

Além da prevenção contra a poliomielite para crianças até 5 anos, a campanha nacional que o Ministério da Saúde inicia nesta segunda-feira (5), tem foco na multivacinação e atualização da carteira vacinal de jovens e adultos também. Por conta da pandemia a cobertura vacinal sofreu forte queda nos números, a ponto da Sociedade Brasileira de Pediatria pedir providências urgentes ao Ministério da Saúde, para estimular a adesão às campanhas e facilitar o acesso da população a esse serviço.

A campanha de multivacinação será realizada de 5 a 30 de outubro e junto o governo lançará uma campanha publicitária para alertar sobre a importância da imunização. Cerca de 11,2 milhões de crianças de um ano a menores de cinco anos devem ser vacinadas contra a poliomielite. A meta do ministério é atingir, no mínimo, 95%. Desde 1990, não há casos da doença no Brasil e o objetivo é manter essa marca.

Balneário Camboriú

A Secretaria de Saúde tem como meta vacinar 6964 crianças menores de cinco anos contra a poliomielite. A secretária da Saúde, Leila Crócomo (à direita na foto) fez um apelo aos pais e responsáveis que compareçam nas unidades de saúde, que estarão atendendo de segunda sexta, das 7h às 19h.

“Por causa da pandemia, muitos pais não procuraram os postos. Nossos agentes de saúde estarão divulgando e orientando sobre a importância da imunização e que levem seus filhos. Além da polio é preciso melhorar os índices de vacinação da tríplice viral (sarampo/rubéola/caxumba), febre amarela e hepatite em jovens e adultos”, disse Leila.

Ela lembrou que a vacina é um direito da criança, registrado no Estatuto da Criança e do Adolescente e os pais devem ser responsáveis.
A diretora da Vigilância Epidemiológica, Adriana Diogo (à esquerda na foto), reforçou o foco desta campanha, que terá dois sábados de atendimento: dias 17 (Dia D nacional) e dia 24, das 8h às 17 em todas as unidades de saúde.

Nesta campanha não haverá barreiras e postos de vacinação fora das unidades de saúde, por causa da estrutura, porque com exceção das gotinhas da polio, as demais são injetáveis e as unidades oferecem a segurança necessária.

“É contra a poliomielite que é a paralisia flácida aguda, que não temos no Brasil, mas tem dois países onde esse vírus está circulante e com o direito de ir e vir, é preciso estar alerta e a multivacinação, para atualizar o esquema vacinal dos pequenos até os grandes”, orientou Adriana.

Ela segue informando que o objetivo é aumentar a cobertura vacinal do municipio e assim diminuir a incidência das doenças imunopreveníveis.
Adriana destacou que nesta pandemia em que todos esperam uma vacina para o Covid, é preciso lembrar de tantas outras que já existem e estão sendo esquecidas.

Cuidados Covid

Adriana explicou que todos os cuidados obedecerão os protocolos da pandemia.

“Faremos o controle, permitindo a entrada na unidade só de um adulto e a criança, para não acontecer nenhum aglomero, haverá álcool, distanciamento, uso da máscara de todos, também profissionais que estarão cuidando para higienizar o local após a saída dos pais e monitorando na área externa. Estamos precisando muito que todos venham. Em um primeiro momento foi solicitado que todos fiquem em casa, eles fizeram isso, mas agora precisamos colocar em dia, porque o que já estava ruim, piorou bastante. Agora a situação melhorou, a cor do municipio em amarelo, permite fazer essa saída, mas sempre lembrando que o vírus do Covid está por aí e temos que manter essa atenção especial”, finalizou Adriana.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade