Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Secretaria da Saúde orienta sobre novo protocolo de isolamento social na pandemia

Terça, 15/9/2020 8:21.
Divulgação
A secretária Leila Crócomo e a infectologista Letícia Ziggiotti

Publicidade

Os números da Covid-19 diminuíram bastante em Balneário Camboriú. Segundo a secretária da Saúde, Leila Crócomo, a média é de 20 casos novos por dia. No entanto, ela faz questão de alertar que não é hora de ‘baixar a guarda’, muito pelo contrário.

“Estamos alertando e orientando para que as pessoas se cuidem, se informem, usem máscara, façam a higienização das mãos, principalmente aquelas que trabalham, para que não coloquem em risco quem está em casa”, disse.

O alerta - segue Leila - é destinado para todos, inclusive aqueles que já tiveram a doença, porque depende de cada organismo, cada situação, mas ela pode voltar a ter. Todas as recomendações vem junto com o novo protocolo de enfrentamento à doença, publicado pelo Ministério da Saúde e que Balneário Camboriú adotou, também modificando várias questões.

A infectologista da Secretaria da Saúde, Letícia Ziggiotti disse que a principal mudança é o tempo de isolamento dos pacientes infectados.

“Quadros leves baixou de 14 para 10 dias de isolamento, o que já era sugerido pela Organização Mundial da Saúde também. Porque eles transmitem principalmente na primeira semana. O paciente fica 10 dias isolado a partir do primeiro dia do sintoma detectado. Nos casos de pacientes graves, o isolamento aumentou de 14 para 20 dias, porque o período de transmissão é maior”, detalhou Letícia.

Ela acrescenta que para sair do isolamento o paciente precisa estar 24h sem febre e apresentar melhora do quadro clínico. Se no décimo dia ele continuar com febre, o isolamento vai continuar.

Com base nas fichas de notificações cerca de 60% dos pacientes que procuram atendimento fazem febre e em menor número, os que apresentam tosse, perda de paladar, de olfato, dor de cabeça, de garganta ou dor muscular. Mas a orientação é sempre que a pessoa tiver um sintoma procurar atendimento.

“Quem tem sintoma deve sempre procurar assistência, Pronto Atendimento para receber orientações e fazer exames e assim evitar estar contaminando outras pessoas”, reforçou a secretária.

Testes

“Sempre é muito importante saber a data do início dos sintomas para fechar qualquer diagnóstico”, afirmou a secretária da Saúde, dizendo que o exame mais preciso e que Balneário Camboriú usa é o PCR (padrão Ouro), o melhor teste usado para diagnóstico. Ele é positivo entre o terceiro e o sétimo dia do início dos sintomas enquanto o Teste Rápido pode aparecer lá pelo sétimo dia, por exemplo, então o paciente nem está mais transmitindo, mas pode estar positivo”, detalhou.

A infectologista Letícia acrescentou que muitas pessoas quando sentem um sintoma vão procurar uma farmácia e aplicar o teste rápido.

“Testes rápidos não servem para diagnosticar infecção ativa. O teste rápido mostra se a pessoa teve o contato com o vírus ou não. O resultado sai em 15 minutos, mas não serve para dizer que ele está infectado no momento. Ele pode ficar positivo duas semanas depois e a pessoa já nem tem mais sintomas e nem está mais transmitindo. Por isso é importante sempre procurar atendimento médico antes de tudo”, orientou Letícia.

O novo protocolo está valendo desde os primeiros dias deste mês, todas as unidades de saúde estão divulgando.

“É importante que as pessoas fiquem atentas ao novo protocolo também por causa dos atestados médicos”, enfatizou a secretária.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação
A secretária Leila Crócomo e a infectologista Letícia Ziggiotti
A secretária Leila Crócomo e a infectologista Letícia Ziggiotti

Secretaria da Saúde orienta sobre novo protocolo de isolamento social na pandemia

Publicidade

Terça, 15/9/2020 8:21.

Os números da Covid-19 diminuíram bastante em Balneário Camboriú. Segundo a secretária da Saúde, Leila Crócomo, a média é de 20 casos novos por dia. No entanto, ela faz questão de alertar que não é hora de ‘baixar a guarda’, muito pelo contrário.

“Estamos alertando e orientando para que as pessoas se cuidem, se informem, usem máscara, façam a higienização das mãos, principalmente aquelas que trabalham, para que não coloquem em risco quem está em casa”, disse.

O alerta - segue Leila - é destinado para todos, inclusive aqueles que já tiveram a doença, porque depende de cada organismo, cada situação, mas ela pode voltar a ter. Todas as recomendações vem junto com o novo protocolo de enfrentamento à doença, publicado pelo Ministério da Saúde e que Balneário Camboriú adotou, também modificando várias questões.

A infectologista da Secretaria da Saúde, Letícia Ziggiotti disse que a principal mudança é o tempo de isolamento dos pacientes infectados.

“Quadros leves baixou de 14 para 10 dias de isolamento, o que já era sugerido pela Organização Mundial da Saúde também. Porque eles transmitem principalmente na primeira semana. O paciente fica 10 dias isolado a partir do primeiro dia do sintoma detectado. Nos casos de pacientes graves, o isolamento aumentou de 14 para 20 dias, porque o período de transmissão é maior”, detalhou Letícia.

Ela acrescenta que para sair do isolamento o paciente precisa estar 24h sem febre e apresentar melhora do quadro clínico. Se no décimo dia ele continuar com febre, o isolamento vai continuar.

Com base nas fichas de notificações cerca de 60% dos pacientes que procuram atendimento fazem febre e em menor número, os que apresentam tosse, perda de paladar, de olfato, dor de cabeça, de garganta ou dor muscular. Mas a orientação é sempre que a pessoa tiver um sintoma procurar atendimento.

“Quem tem sintoma deve sempre procurar assistência, Pronto Atendimento para receber orientações e fazer exames e assim evitar estar contaminando outras pessoas”, reforçou a secretária.

Testes

“Sempre é muito importante saber a data do início dos sintomas para fechar qualquer diagnóstico”, afirmou a secretária da Saúde, dizendo que o exame mais preciso e que Balneário Camboriú usa é o PCR (padrão Ouro), o melhor teste usado para diagnóstico. Ele é positivo entre o terceiro e o sétimo dia do início dos sintomas enquanto o Teste Rápido pode aparecer lá pelo sétimo dia, por exemplo, então o paciente nem está mais transmitindo, mas pode estar positivo”, detalhou.

A infectologista Letícia acrescentou que muitas pessoas quando sentem um sintoma vão procurar uma farmácia e aplicar o teste rápido.

“Testes rápidos não servem para diagnosticar infecção ativa. O teste rápido mostra se a pessoa teve o contato com o vírus ou não. O resultado sai em 15 minutos, mas não serve para dizer que ele está infectado no momento. Ele pode ficar positivo duas semanas depois e a pessoa já nem tem mais sintomas e nem está mais transmitindo. Por isso é importante sempre procurar atendimento médico antes de tudo”, orientou Letícia.

O novo protocolo está valendo desde os primeiros dias deste mês, todas as unidades de saúde estão divulgando.

“É importante que as pessoas fiquem atentas ao novo protocolo também por causa dos atestados médicos”, enfatizou a secretária.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade