Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Dentistas cuidam da saúde bucal de pacientes internados na UTI do hospital Ruth Cardoso

Os profissionais integram o quadro do CEO de Balneário Camboriú

Quarta, 2/9/2020 11:20.
Dr.Kolling (D) e técnicos em atendimento na UTI

Publicidade

A saúde bucal dos pacientes internados com Covid-19 no Hospital Municipal Ruth Cardoso é controlada de perto por dois odontólogos do Centro Odontológico Especializado (COE), da prefeitura.

No mês de abril oito odontólogos do COE foram treinados em Blumenau para trabalhar com testagens (teste do PCR). Quando diminuiu a demanda dos testes, esta equipe se dividiu e dois deles começaram a atender pacientes internados na UTI do Centro Covid.

Um deles, Everton Kolling, cirurgião dentista, disse que o paciente internado, que é entubado, tem às vezes uma condição bucal precária e hoje as pesquisas científicas demonstram que a cavidade oral é considerada uma das principais portas de entrada para microorganismos.

“Por isso há uma grande preocupação com a saúde bucal do paciente internado, porque os microorganismos provenientes da boca vão causar as infecções generalizadas e no paciente com coronavírus temos que tentar limitar o número dessas bactérias, desses microorganismos da cavidade oral, para impedir sua disseminação para outras regiões, principalmente para a região do trato respiratório, onde estão os pacientes mais graves”, explicou.

O cirurgião Kolling disse que além disso, é muito importante dar uma condição melhor ao paciente de recuperar, de reverter essa quantidade viral, e para isso ele precisa estar com uma saúde geral boa.

“Estes são nossos principais objetivos na UTI”, acrescentou.

O trabalho destes especialistas consiste em dar os subsídios para redução das bactérias e isso é feito através de uma adequação dos instrumentos individuais (escovas apropriadas) para controlar a placa bacteriana. Eles também orientam os técnicos para quando os dentistas não estão junto, eles possam fazer esse controle da placa bacteriana. Os pacientes da clínica médica que já estão com uma condição melhor, também recebem orientações, mas eles próprios já podem seguir os cuidados, diferente dos pacientes em UTI.

“Pacientes entubados às vezes tem prótese, às vezes ele tem uma condição bucal que impede a entubação, precisamos fazer a adequação, a retirada da prótese, lixar as superfícies mais afiadas para o paciente não se cortar, ele está sedado, pode apertar os dentes, em alguns casos, se precisar, fazemos sutura, por isso é muito importante o dentista estar sempre junto acompanhando a UTI”, informou Kolling.

A preocupação com a contaminação para profissionais de linha de frente existe, mas Kolling disse que o hospital disponibiliza recursos muito bons e seguros para proteção, com material adequado.

“Independente de tudo isso, temos certeza de que nosso trabalho é importante para cada paciente e isso passa por cima de qualquer preocupação de se contaminar ou ter algum problema mais grave”, resumiu o cirurgião dentista.

A coordenadora do COE, Priscila Teixeira destacou a importância do trabalho destes profissionais na UTI e acrescentou que a higiene bucal dos pacientes que estão hospitalizados normalmente não é adequada, seja pela incapacidade de se movimentarem ou até pelo fato de estarem entubados e sedados.

“Temos dois odontólogos realizando esse trabalho de segunda a sábado, na UTI Covid com os entubados e com os pacientes da clínica Covid também, pois são pacientes desmotivados”, disse Priscila.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Dr.Kolling (D) e técnicos em atendimento na UTI
Dr.Kolling (D) e técnicos em atendimento na UTI

Dentistas cuidam da saúde bucal de pacientes internados na UTI do hospital Ruth Cardoso

Os profissionais integram o quadro do CEO de Balneário Camboriú

Publicidade

Quarta, 2/9/2020 11:20.

A saúde bucal dos pacientes internados com Covid-19 no Hospital Municipal Ruth Cardoso é controlada de perto por dois odontólogos do Centro Odontológico Especializado (COE), da prefeitura.

No mês de abril oito odontólogos do COE foram treinados em Blumenau para trabalhar com testagens (teste do PCR). Quando diminuiu a demanda dos testes, esta equipe se dividiu e dois deles começaram a atender pacientes internados na UTI do Centro Covid.

Um deles, Everton Kolling, cirurgião dentista, disse que o paciente internado, que é entubado, tem às vezes uma condição bucal precária e hoje as pesquisas científicas demonstram que a cavidade oral é considerada uma das principais portas de entrada para microorganismos.

“Por isso há uma grande preocupação com a saúde bucal do paciente internado, porque os microorganismos provenientes da boca vão causar as infecções generalizadas e no paciente com coronavírus temos que tentar limitar o número dessas bactérias, desses microorganismos da cavidade oral, para impedir sua disseminação para outras regiões, principalmente para a região do trato respiratório, onde estão os pacientes mais graves”, explicou.

O cirurgião Kolling disse que além disso, é muito importante dar uma condição melhor ao paciente de recuperar, de reverter essa quantidade viral, e para isso ele precisa estar com uma saúde geral boa.

“Estes são nossos principais objetivos na UTI”, acrescentou.

O trabalho destes especialistas consiste em dar os subsídios para redução das bactérias e isso é feito através de uma adequação dos instrumentos individuais (escovas apropriadas) para controlar a placa bacteriana. Eles também orientam os técnicos para quando os dentistas não estão junto, eles possam fazer esse controle da placa bacteriana. Os pacientes da clínica médica que já estão com uma condição melhor, também recebem orientações, mas eles próprios já podem seguir os cuidados, diferente dos pacientes em UTI.

“Pacientes entubados às vezes tem prótese, às vezes ele tem uma condição bucal que impede a entubação, precisamos fazer a adequação, a retirada da prótese, lixar as superfícies mais afiadas para o paciente não se cortar, ele está sedado, pode apertar os dentes, em alguns casos, se precisar, fazemos sutura, por isso é muito importante o dentista estar sempre junto acompanhando a UTI”, informou Kolling.

A preocupação com a contaminação para profissionais de linha de frente existe, mas Kolling disse que o hospital disponibiliza recursos muito bons e seguros para proteção, com material adequado.

“Independente de tudo isso, temos certeza de que nosso trabalho é importante para cada paciente e isso passa por cima de qualquer preocupação de se contaminar ou ter algum problema mais grave”, resumiu o cirurgião dentista.

A coordenadora do COE, Priscila Teixeira destacou a importância do trabalho destes profissionais na UTI e acrescentou que a higiene bucal dos pacientes que estão hospitalizados normalmente não é adequada, seja pela incapacidade de se movimentarem ou até pelo fato de estarem entubados e sedados.

“Temos dois odontólogos realizando esse trabalho de segunda a sábado, na UTI Covid com os entubados e com os pacientes da clínica Covid também, pois são pacientes desmotivados”, disse Priscila.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade