Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Mundo chega a 1 milhão de mortes, diz Universidade Johns Hopkins

Brasil registra média diária de 687 mortes

Terça, 29/9/2020 6:35.
NIAID
Micrografia eletrônica de varredura colorida de uma célula (azul) infectada com partículas do vírus SARS-COV-2 (vermelha).

Publicidade

Por Iander Porcella

O mundo atingiu a marca de 1 milhão de mortes causadas pela covid-19, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins, nesta segunda-feira, 28. Segundo a instituição americana, são 1 000.555 vidas perdidas desde o início da pandemia.

Os Estados Unidos lideram o número de óbitos (205.031), seguidos pelo Brasil (142.058), Índia (95.542), México (76.430) e Reino Unido (42.090).

Os dados da Johns Hopkins mostram que, ao todo, já são mais de 33 milhões de casos de covid-19 no mundo. Os EUA, mais uma vez, lideram a contagem (7,14 milhões), seguidos por Índia (6,07 milhões), Brasil (4,74 milhões); Rússia (1,15 milhão) e Colômbia (818 mil).

Brasil registra média diária de 687 mortes

A média diária de mortes causadas pelo novo coronavírus no Brasil ficou em 687 nesta segunda-feira, 28. A média móvel registra as oscilações dos últimos sete dias e elimina distorções entre um número alto de meio de semana e baixo de fim de semana.

Nas últimas 24 horas, o País registrou 16.412 novos casos e 385 óbitos, o que elevou o total para 4.748.327 brasileiros infectados e 142.161 mortos pela covid-19 desde o início da pandemia, segundo dados do consórcio dos veículos de imprensa, formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL, e feito em conjunto com as secretarias estaduais de Saúde. O balanço do Ministério da Saúde indica que há 4.084.182 pessoas recuperadas da doença e outras 519.224 que seguem em acompanhamento.

O Estado de São Paulo, que conta com os maiores números absolutos do País, contabilizou mais 905 novos casos e 17 mortes nas últimas 24 horas. Ao todo, o Estado tem 973.142 infecções diagnosticadas e 35.125 óbitos. Conforme boletim da Secretaria Estadual de Saúde, são 839.629 pessoas recuperadas.

Em coletiva de imprensa nesta segunda, o governo de São Paulo anunciou que o Estado voltou a registrar queda de mortes por covid-19. Os números foram comemorados, mas com cautela. "São sim bons indicadores, mas como sempre não podemos baixar a guarda. Precisamos manter os cuidados fundamentais, com uso obrigatório de máscaras e distanciamento social", afirmou o governador João Doria (PSDB).

O Brasil continua como o terceiro país mais afetado pela pandemia em número de contaminados, de acordo com contagem da Universidade Johns Hopkins. Está atrás de Estados Unidos e Índia, que ocupam a primeira e segunda posição, respectivamente. No entanto, em relação ao total de óbitos, o País se mantém na vice-liderança.

Parceria

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal. De forma inédita, a iniciativa foi uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia e se manteve mesmo após a manutenção dos registros governamentais.

Conforme o Ministério da Saúde, 13.155 novos casos de infecção pela covid-19 e 317 novos óbitos foram registrados nas últimas 24 horas. No total são 4.745.464 pessoas infectadas e 142.058 que faleceram por conta da doença. Os números diferem dos compilados pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
NIAID
Micrografia eletrônica de varredura colorida de uma célula (azul) infectada com partículas do vírus SARS-COV-2 (vermelha).
Micrografia eletrônica de varredura colorida de uma célula (azul) infectada com partículas do vírus SARS-COV-2 (vermelha).

Mundo chega a 1 milhão de mortes, diz Universidade Johns Hopkins

Brasil registra média diária de 687 mortes

Publicidade

Terça, 29/9/2020 6:35.

Por Iander Porcella

O mundo atingiu a marca de 1 milhão de mortes causadas pela covid-19, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins, nesta segunda-feira, 28. Segundo a instituição americana, são 1 000.555 vidas perdidas desde o início da pandemia.

Os Estados Unidos lideram o número de óbitos (205.031), seguidos pelo Brasil (142.058), Índia (95.542), México (76.430) e Reino Unido (42.090).

Os dados da Johns Hopkins mostram que, ao todo, já são mais de 33 milhões de casos de covid-19 no mundo. Os EUA, mais uma vez, lideram a contagem (7,14 milhões), seguidos por Índia (6,07 milhões), Brasil (4,74 milhões); Rússia (1,15 milhão) e Colômbia (818 mil).

Brasil registra média diária de 687 mortes

A média diária de mortes causadas pelo novo coronavírus no Brasil ficou em 687 nesta segunda-feira, 28. A média móvel registra as oscilações dos últimos sete dias e elimina distorções entre um número alto de meio de semana e baixo de fim de semana.

Nas últimas 24 horas, o País registrou 16.412 novos casos e 385 óbitos, o que elevou o total para 4.748.327 brasileiros infectados e 142.161 mortos pela covid-19 desde o início da pandemia, segundo dados do consórcio dos veículos de imprensa, formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL, e feito em conjunto com as secretarias estaduais de Saúde. O balanço do Ministério da Saúde indica que há 4.084.182 pessoas recuperadas da doença e outras 519.224 que seguem em acompanhamento.

O Estado de São Paulo, que conta com os maiores números absolutos do País, contabilizou mais 905 novos casos e 17 mortes nas últimas 24 horas. Ao todo, o Estado tem 973.142 infecções diagnosticadas e 35.125 óbitos. Conforme boletim da Secretaria Estadual de Saúde, são 839.629 pessoas recuperadas.

Em coletiva de imprensa nesta segunda, o governo de São Paulo anunciou que o Estado voltou a registrar queda de mortes por covid-19. Os números foram comemorados, mas com cautela. "São sim bons indicadores, mas como sempre não podemos baixar a guarda. Precisamos manter os cuidados fundamentais, com uso obrigatório de máscaras e distanciamento social", afirmou o governador João Doria (PSDB).

O Brasil continua como o terceiro país mais afetado pela pandemia em número de contaminados, de acordo com contagem da Universidade Johns Hopkins. Está atrás de Estados Unidos e Índia, que ocupam a primeira e segunda posição, respectivamente. No entanto, em relação ao total de óbitos, o País se mantém na vice-liderança.

Parceria

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal. De forma inédita, a iniciativa foi uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia e se manteve mesmo após a manutenção dos registros governamentais.

Conforme o Ministério da Saúde, 13.155 novos casos de infecção pela covid-19 e 317 novos óbitos foram registrados nas últimas 24 horas. No total são 4.745.464 pessoas infectadas e 142.058 que faleceram por conta da doença. Os números diferem dos compilados pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade