Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Tecnologia
Em teste, 22 mil aceitam termos de serviço de internet que exigem desentupir esgoto

Sexta, 14/7/2017 12:56.

Publicidade

(FOLHAPRESS) - Para comprovar que ninguém lê os termos de serviço na internet, um provedor de wi-fi britânico inseriu algumas exigências absurdas no seu texto contratual.

Quem concordasse em utilizar o serviço estaria obrigado a prestar mil horas de serviço comunitário, como, por exemplo, limpar dejetos de animais em um parque, abraçar gatos abandonados, limpar banheiros públicos em eventos, arrancar chiclete grudado no asfalto ou desentupir o esgoto.

"Nosso experimento mostra o quanto é fácil clicar em uma caixa e consentir com algo injusto", diz Gavin Wheedon, CEO da Purple, em um comunicado à imprensa.

Cerca de 22 mil pessoas concordaram com esses termos de serviço, e só uma pessoa percebeu que havia lago de errado e comunicou isso à empresa.

O teste foi feito pela Purple, um provedor de wi-fi em ambientes públicos na Inglaterra. "Os usuários de wi-fi precisam ler os termos de serviço.

Com o que estão concordando? Quantos dados estão compartilhado, e qual a permissão que estão dando aos provedores?", questiona Wheedon. 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Em teste, 22 mil aceitam termos de serviço de internet que exigem desentupir esgoto

Publicidade

Sexta, 14/7/2017 12:56.

(FOLHAPRESS) - Para comprovar que ninguém lê os termos de serviço na internet, um provedor de wi-fi britânico inseriu algumas exigências absurdas no seu texto contratual.

Quem concordasse em utilizar o serviço estaria obrigado a prestar mil horas de serviço comunitário, como, por exemplo, limpar dejetos de animais em um parque, abraçar gatos abandonados, limpar banheiros públicos em eventos, arrancar chiclete grudado no asfalto ou desentupir o esgoto.

"Nosso experimento mostra o quanto é fácil clicar em uma caixa e consentir com algo injusto", diz Gavin Wheedon, CEO da Purple, em um comunicado à imprensa.

Cerca de 22 mil pessoas concordaram com esses termos de serviço, e só uma pessoa percebeu que havia lago de errado e comunicou isso à empresa.

O teste foi feito pela Purple, um provedor de wi-fi em ambientes públicos na Inglaterra. "Os usuários de wi-fi precisam ler os termos de serviço.

Com o que estão concordando? Quantos dados estão compartilhado, e qual a permissão que estão dando aos provedores?", questiona Wheedon. 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade