Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Tecnologia
Dessalinizador e postes solares levam prêmio de tecnologias sociais da FBB

Sexta, 24/11/2017 14:07.
Ecoassist.

Publicidade

ELIANE TRINDADE
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um dessalinizador de baixo custo, postes de iluminação gratuita -ambos com uso de energia solar- e jogos interativos para ensinar noções de política foram três das soluções vencedoras na 9ª edição do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, realizado na noite desta quinta-feira (23), em Brasília.

Com um banco de quase mil tecnologias que propõem inovações em áreas de impacto social, como saúde, educação e ambiente, a premiação distribuiu R$ 50 mil para cada uma das iniciativas vencedoras em seis categorias, escolhidas entre 21 finalistas.

Ao final da premiação, o presidente da FBB, Asclepius Soares, e a chefe de Inclusão Produtiva do BNDES, Daniela Arantes, anunciaram o lançamento de um edital de R$ 10 milhões em 2018 para a replicação das tecnologias sociais já certificadas ao longo dos últimos 16 anos.

"Acreditamos que inclusão social e inclusão produtiva podem fazer diferença no nosso país", afirmou a representante do BNDES na cerimônia, realizada no Centro Internacional de Convenções do Brasil.

O presidente da FBB destacou como exemplo de impacto social e de replicabilidade as cisternas de placa, tecnologia social desenvolvida no semiárido brasileiro e que foi premiada na primeira edição do prêmio, em 2001.

"Hoje, temos 1 milhão destas cisternas implantadas no semiárido brasileiro, mudando a vida de pessoas que antes não tinham água para beber." Para Soares, é um exemplo também de como ao se tornar política pública uma tecnologia social pode ganhar escala.

PREMIADOS

A Litro de Luz, que já instalou mais de 400 postes com iluminação gratuita por meio de energia solar, venceu a categoria Cidades Sustentáveis. A ONG já levou a solução para comunidades de Ferraz de Vasconcelos, no interior de São Paulo, que viviam às escuras.

Um dessalinizador solar de baixo custo, que produz água potável para famílias do semiárido paraibano, garantiu o prêmio na categoria Água e Meio Ambiente para a Cooperativa de Trabalho Múltiplo de Apoio às Organizações de Autopromoção (Coonap), de Campina Grande (PB).

Fast Food da Política levou o prêmio na categoria Educação com uma série de jogos interativos que partem do princípio de que é possível aprender regras do sistema político brasileiro no tempo de uma pessoa comer um hambúrguer. Ao longo de dois anos, a equipe elaborou mais de 80 jogos em oficinas de criação.

Na categoria Agroecologia, o prêmio foi para a Rede Povos da Mata, que reúne quilombolas assentados da reforma agrária e agricultores familiares certificados em quatro regiões da Bahia.

Já o destaque entre os finalistas da categoria Economia Solidária foi a Rede Bodega de Comercialização Solidária, que abriga a produção de artesãos e agricultores do Ceará.

Entre as tecnologias sociais de Saúde e Bem-estar, a vencedora foi "Uma Sinfonia Diferente", musical para pessoas com autismo idealizado pelo Instituto Steinkopf, de Brasília.

Com a internacionalização do prêmio a partir desta edição, três finalistas de América Latina e do Caribe concorreram na categoria internacional, vencida por Caminhos da Favela, da Argentina. Trata-se de uma ferramenta multimídia on-line que mostra prestações de serviços e obras públicas e 20 comunidades carentes e assentamentos de Buenos Aires.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Ecoassist.

Dessalinizador e postes solares levam prêmio de tecnologias sociais da FBB

Publicidade

Sexta, 24/11/2017 14:07.

ELIANE TRINDADE
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um dessalinizador de baixo custo, postes de iluminação gratuita -ambos com uso de energia solar- e jogos interativos para ensinar noções de política foram três das soluções vencedoras na 9ª edição do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, realizado na noite desta quinta-feira (23), em Brasília.

Com um banco de quase mil tecnologias que propõem inovações em áreas de impacto social, como saúde, educação e ambiente, a premiação distribuiu R$ 50 mil para cada uma das iniciativas vencedoras em seis categorias, escolhidas entre 21 finalistas.

Ao final da premiação, o presidente da FBB, Asclepius Soares, e a chefe de Inclusão Produtiva do BNDES, Daniela Arantes, anunciaram o lançamento de um edital de R$ 10 milhões em 2018 para a replicação das tecnologias sociais já certificadas ao longo dos últimos 16 anos.

"Acreditamos que inclusão social e inclusão produtiva podem fazer diferença no nosso país", afirmou a representante do BNDES na cerimônia, realizada no Centro Internacional de Convenções do Brasil.

O presidente da FBB destacou como exemplo de impacto social e de replicabilidade as cisternas de placa, tecnologia social desenvolvida no semiárido brasileiro e que foi premiada na primeira edição do prêmio, em 2001.

"Hoje, temos 1 milhão destas cisternas implantadas no semiárido brasileiro, mudando a vida de pessoas que antes não tinham água para beber." Para Soares, é um exemplo também de como ao se tornar política pública uma tecnologia social pode ganhar escala.

PREMIADOS

A Litro de Luz, que já instalou mais de 400 postes com iluminação gratuita por meio de energia solar, venceu a categoria Cidades Sustentáveis. A ONG já levou a solução para comunidades de Ferraz de Vasconcelos, no interior de São Paulo, que viviam às escuras.

Um dessalinizador solar de baixo custo, que produz água potável para famílias do semiárido paraibano, garantiu o prêmio na categoria Água e Meio Ambiente para a Cooperativa de Trabalho Múltiplo de Apoio às Organizações de Autopromoção (Coonap), de Campina Grande (PB).

Fast Food da Política levou o prêmio na categoria Educação com uma série de jogos interativos que partem do princípio de que é possível aprender regras do sistema político brasileiro no tempo de uma pessoa comer um hambúrguer. Ao longo de dois anos, a equipe elaborou mais de 80 jogos em oficinas de criação.

Na categoria Agroecologia, o prêmio foi para a Rede Povos da Mata, que reúne quilombolas assentados da reforma agrária e agricultores familiares certificados em quatro regiões da Bahia.

Já o destaque entre os finalistas da categoria Economia Solidária foi a Rede Bodega de Comercialização Solidária, que abriga a produção de artesãos e agricultores do Ceará.

Entre as tecnologias sociais de Saúde e Bem-estar, a vencedora foi "Uma Sinfonia Diferente", musical para pessoas com autismo idealizado pelo Instituto Steinkopf, de Brasília.

Com a internacionalização do prêmio a partir desta edição, três finalistas de América Latina e do Caribe concorreram na categoria internacional, vencida por Caminhos da Favela, da Argentina. Trata-se de uma ferramenta multimídia on-line que mostra prestações de serviços e obras públicas e 20 comunidades carentes e assentamentos de Buenos Aires.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade